"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

MISSÕES: OPORTUNIDADE DE SERVIR



Texto: I Pedro 4.10

Introdução

No mundo atual, parece que a maioria sempre fica esperando a minoria dar o primeiro passo para SERVIR. Servir é preciso. Em todos os lugares há alguém servindo, atendendo, estendendo as mãos, abrindo o bolso, dividindo o pão, a roupa, o calçado etc.
Mas este grupo ainda é muito pequeno. A quantidade de pessoas necessitadas, abandonadas, com fome e frio e perdidas comprova o que estamos dizendo. A nossa existência como Agência do Reino de Deus somente se justifica quando nossa fé é transformada em frutos que alimentam e abençoam as pessoas ao nosso redor.

O apóstolo Pedro compartilha conosco as seguintes verdades eternas, a propósito do tema Missões: oportunidade de servir:

1. O fim de todas as coisas está próximo (v.7)

Acreditamos que o Apóstolo Pedro tinha em mente o fim da última dispensação da manifestação de Deus aos homens. A época da Igreja representa a última oportunidade divina concedida à raça humana caída.

Caminhamos para o juízo final. A Obra, da parte de Deus, já está consumada. Agora Ele aguarda a nossa obediência incondicional e uma resposta firme. Se o fim está chegando, então agora é a melhor hora para se fazer Missões: orando, testemunhando, contribuindo e oferecendo a própria vida para o Senhor usar neste mundo desviado.

Oportunidade como esta poucos tiveram até agora. Então, sirvamos. Esta é a vontade e o desejo de Deus para todos os seus filhos. Cada membro do corpo de Cristo já é um ministro de Deus, cumprindo as ordens recebidas do cabeça deste Corpo. O serviço deve ser prestado antes do fim. Quando o fim chegar, só haverá prestação de contas. Então, sirvamos com alegria. A oportunidade já está oferecida.

2. A motivação principal, o amor (v. 8)

É mais que poética esta Escritura: "Tendo, antes de tudo, ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados". A verdadeira motivação que deve nos levar a viver, a fazer e a servir tem que ser aquela que nunca se acabará.
Fazer a Obra Missionária sem amor é um peso, um pesadelo, uma ignorância e um desperdício. Deus fez Missões com amor, muito amor. Como isso é possível a nós mortais? É simples. Quando você está servindo a uma pessoa, você pensa no bem-estar de quem? Dela ou no seu próprio bem-estar? Ao servir, seu coração age egoisticamente ou há o desejo de que a pessoa servida seja plenamente atendida?

Jesus nos ensinou a servir como Ele serviu. João Batista e Paulo entenderam o espírito do ensino do divino Mestre: "Convém que Ele cresça e que eu diminua"."Cada um considere os outros superiores a si mesmo...".

Quando o nosso amor é ardente pela Obra Missionária, o fogo deste amor atinge não somente os nossos obreiros nos campos mas também as pessoas perdidas que eles vão alcançando cada dia. Servir com amor é preciso.

3. Servir uns aos outros conforme o seu dom (v. 10)

"Desperta os dons que há em ti". Os dons espirituais são espirituais porque nos foram dados pelo Espírito Santo. Eles representam as ferramentas mais usadas por Deus para edificar o corpo de seu Filho aqui na terra. Felizes são os crentes que têm oferecido seus dons ao serviço do Senhor. Estes poderão cantar: "No serviço do meu Rei eu sou feliz, satisfeito e abençoado". Ninguém consegue trabalhar sem ferramentas.

Assim acontece conosco na lavoura de Deus. Nossos dons pertencem ao Senhor e devem ser totalmente utilizados por Ele e segundo a Palavra Dele. O "uns aos outros" indica fraternidade, mutualidade, comunhão e nivelamento espiritual. O exercício dos dons representa o preenchimento de necessidades mútuas e anuncia a nossa dependência uns dos outros.

No corpo de Cristo, ninguém é independente ou completamente dependente. Somos todos interdependentes. Somos abençoados quando alguém nos serve e quando servimos a alguém. Esta espécie de santa troca de favores em amor significa sem dúvida, obediência à Palavra de Deus.

Conclusão

O Apóstolo Pedro nos declara que a graça de Deus é multiforme. O que significa isso? Ela possui muitas formas. É plural. É dinâmica. É criativa. É atraente. É exuberante. Superabundante. Fazer Missões neste contexto é gratificante. Comovente. Estimulante e prazeroso. Não há a sensação de peso, desconforto, obrigação legalista, mecânica ou fria. Servir sob a multiforme graça de Deus é possível, é preciso, é urgente e muito recompensador. Missões todo o tempo, em amor. Foi assim que fomos salvos e é assim que devemos viver. Antes que seja tarde, antes que chegue o fim. Amém!

Nenhum comentário: