"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

sábado, 17 de abril de 2010

PARÁBOLA MISSIONÁRIA



Na sala de espera de um diretor de agência missionária, encontravam-se três sujeitos. O primeiro, meio fedido, tinha mãos calejadas e aspecto ignorante. O segundo tinha aparência de ser de classe social superior, face obstinada e fina. O terceiro estava com uma Bíblia gigante debaixo do braço, orando baixinho enquanto aguardava.

O diretor manda entrar o primeiro:

- Então, o irmão quer ser missionário. É membro de qual comunidade?

- Olha, num sô membro di ninhum lugar não sinhô.

- Não? O irmão não congrega?

- Oia moço. Maômeno. O ocorrido foi o seguinte: eu tava lá pescando, quando Jesus me chamô e eu fui. Fiquei andando com ele uns ano. Nóis às veiz parava numa sinagoga, mais era difícir de nóis ficá muito tempo numa, sabe como é, né? Bom, depois teve aquela confusão toda, e num é que Jesus apareceu pra mim de novo? E ele me enviô e mandô fazê discípulo de tudo quanto é gente. Pur isso eu tô aqui.

- Hmmm... mas sem igreja local, fica difícil, irmão. O irmão precisa da Igreja local. É assim que fazemos missões. E curso teológico, o irmão tem?

- Curso o quê?

- Bíblico... seminário...

- Olha, sei disso não... o que sei é o que meus pais me ensinô, depois o que Jesus me ensinô. Mas tenho estudado bastante por mim mesmo e acredito que o Espírito Santo tem me ajudado a entendê umas coisa muito bonita. O sinhô acredita que...

- Sem curso teológico... - o diretor falou vagarosamente enquanto escrevia numa folha de papel.

- Algum curso superior?

- Olha moço, num sei se dá prá percebê, mas eu sô pescadô. Não tenho curso superiô, não sinhô.

- Pescador... olha irmão, hoje em dia, é impossível ser missionário sem curso superior. Os países querem profissionais da área de saúde, educação...

- Ih... ó moço, o sinhô tá complicano. Num vim aqui prá ser professor, longe di mim. Nem tenho educação direito. Eu só tô aqui porque Jesus mandô eu ensiná pros outro o que ele ensinô prá mim.

- Imagino que o irmão tem uma vida muito piedosa então, sem mácula...

- Olha moço, prá lhe falá a verdade... teve uma vez que Jesus me deu uma bronca, dizendo "sai de perto de mim, Satanais!" Teve uma otra vez também que eu cortei a orelha dum homi... e, prá sê bem sincero pro sinhô, eu já neguei Jesus três veiz...

- Irmão Simão, infelizmente tenho que comunica-lo que o irmão não tem a mínima condição de ser missionário. Olhe, o senhor procure uma igreja local, um diploma de curso superior, formação teológica e também é aconselhável que o irmão faça aconselhamento prá conter essa impulsividade. Depois disso podemos conversar.
Simão ficou meio sem entender e saiu. O diretor mandou chamar o segundo candidato:

- Bom dia. Não me diga o irmão que também não é membro de nenhuma congregação...

- Eu? Por quê? Sou membro, sim. Aliás, o pessoal orou, impôs as mãos sobre mim e me enviou, por isto estou aqui.

- Ah, me desculpe. É que me aparece cada um... e curso bíblico, o irmão possui?

- Possuo sim. Estudei as Escrituras e Filosofia muito tempo com um dos grandes mestres de nosso tempo. Sou de uma tradicional família hebraica, e fui muito zeloso em guardar e Lei quando era judeu. Até fui perseguidor, mas hoje estou salvo.

- Que maravilha, que testemunho! Tenho certeza que muitos judeus se converterão pela sua mão. Você é judeu messiânico? Pretende ir para Israel? E quipá, você não usa?

- Olha irmão, prá falar a verdade, tenho um chamado específico para os não-judeus.

- Como assim não-judeus? O irmão vem de família hebraica, conhece a Torah de cabo a rabo, é parte da comunidade. O irmão vai desperdiçar esses dons que Deus lhe deu?

- Vou. E digo mais, prá mim, tudo isso é esterco de vaca!

- Hmpf... bem que estou vendo aqui no seu exame psicotécnico que o irmão tem grande tendência à desobediência a autoridades. Além disso vejo aqui que o irmão tem também tendências a correr muito risco e procurar o perigo. Veja bem, nós não queremos investir em alguém teimoso que chegará no campo e correrá o risco de morrer.

- Então não invista em mim, disse o segundo candidato deixando a sala.

O candidato restante vê o seu antecessor passando furioso pela sala, e logo em seguida a cabeça do diretor olhando para fora da porta.

- O irmão permite que eu entre?

- Claro, respondeu o diretor, com o humor já afetado.

- Olha, o irmão me perdoe, mas não estou tendo um dia bom. O que esses jovens querem? Não se faz mais missões como antigamente... enfim, o irmão é membro de alguma comunidade?

- Sim, claro que sim. Desde criança congrego no mesmo lugar. Fui criado lá e instruído também. Sou dizimista fiel, dando até o dízimo da hortelã e do cominho. O senhor ouvirá os melhores relatórios sobre mim da minha liderança. Sempre fui obediente a eles.

- Que bênção!

- Aliás, na minha cidade sou conhecido pela minha espiritualidade e devoção. O pessoal até brinca. Sabe como é, estou sempre nas praças orando, fazendo caridade, em jejuns... a gente até tenta esconder essas coisas, mas Deus nos honra. Além disso fiz diversos cursos teológicos, sou mestre em divindade e doutor da Lei. Minha família ocupa os melhores lugares nos banquetes e igrejas, tendo contatos políticos que me permitem viajar para onde eu quiser também.

- Uau...

- Sim, e eles também estão dispostos a me sustentar. Recursos prá nós, não é problema, o que importa é levar ao mundo as Escrituras. Se for preciso, eu atravesso o mar e viajo toda a terra para fazer um discípulo!

- Olha, temos que fazer mais algumas análises, mas já posso adiantar pro irmão que você está praticamente aprovado. Glórias a Deus, o irmão salvou meu dia! Ainda bem que ainda temos gente séria fazendo missões nesse país!

(Missão Portas Abertas)

Nenhum comentário: