"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

sábado, 5 de junho de 2010

QUEM PODE EVANGELIZAR OS POVOS DA JANELA 10/40





Então, os que foram dispersos por causa da tribulação que sobreveio a Estêvão se espalharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, . . .. Alguns deles, porém, que eram de Chipre e de Cirene e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus. A mão do Senhor estava com eles e muitos, crendo, se converteram ao Senhor (Atos 11:19-21).

A expansão da Igreja em Atos não foi feita apenas por ministros profissionais como Pedro e Paulo. Foi feita por cristãos fiéis, dispostos a perderem seus empregos, seus lares e sua vida normal por causa da sua fé em Jesus Cristo como o Salvador e Senhor verdadeiro. Fugiram da perseguição, mas não ficaram amedrontados e calados. Anunciavam o Evangelho e a mão do Senhor estava com eles. . .!
Ronaldo Lidório, missionário em Gana, disse que os povos mais fáceis de alcançar já foram contatados. Restam agora os mais difíceis, onde muitos dos quais, com certeza, existem dentro da Janela 10/40. O evangelista nesta região tem que ser fiel, disposto a negar-se a si mesmo e ter a “mão do Senhor sobre ele”. Este missionário, nos campos difíceis, precisa de uma clara direção de Deus e da poderosa manifestação da Sua presença e benção na vida dele.

Estatísticas ao Contrário

Conforme estatísticas recentes,[1] o Brasil perde um quarto da sua força missionária a cada três anos. As razões principais são (1) a falta de preparo, (2) o baixo nível de compromisso, (3) os problemas pessoais e sociais e a (4) falta de apoio das suas igrejas no Brasil.
O missionário que trabalha na Janela 10/40 especialmente precisa superar estes problemas. Além da dificuldade e resistência inerentes na região, muitos vão trabalhar como “fazedores-de-tendas”, ou profissionais seculares, como aqueles primeiros missionários espalhados pela perseguição em Jerusalem. Mesmo assim, o candidato precisa ter certeza de que estas qualificações não faltam, para que ele também não entre na estatística de desistência.

Padrões Bíblicos

No capítulo onze de Atos, acima citado, temos o relato da história tremenda da primeira expansão da Igreja de Jesus Cristo. A Igreja de Jerusalém tinha crescido rapidamente, pelo poder do Espírito Santo atuando na vida dos seus apóstolos, diáconos e membros. Pedro relata a sua experiência na casa de Cornélio, um gentio que aceitou o Evangelho e recebeu a aprovação do Espírito Santo. Anteriormente, Pedro precisou ter uma visão sobrenatural para entender a ordem de Deus para evangelizar os gentios. Resumindo para os irmãos em Jerusalém, Pedro disse que “Logo, também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para vida” (11:18). Uma parte forte da mensagem do Evangelho foi o arrependimento, que levava ao perdão e a vida, algo que aqueles primeiros missionários tinham experimentado e compreendido.
Logo começou a complicar mais para a Igreja. Os mesmos que mataram Jesus, começaram a perseguir e a matar os Seus seguidores. Os crentes foram espalhados, deixando tudo para trás, mas firmes na convicção e compromisso com a nova fé em Jesus como Messias e Salvador. Tal foi o impacto que alguns, que tinham mais contato com gentios, começaram a falar com eles também. Os gregos se ajuntaram às igrejas, e este fato chegou logo aos ouvidos dos Apóstolos em Jerusalem. Enviaram um homem aprovado, experiente e de confiança para verificar o que se passava em Antioquia. Quando chegou, podia ver que Deus estava atuando. Ele ficou para dar os ensinos mais profundos e estabelecer a igreja, com a ajuda de Saulo. A igreja de Antioquia cresceu com o ministério dos evangelistas fieis e dos mestres com conhecimento mais profundo da Palavra de Deus. Em pouco tempo se tornou a igreja enviadora de missionários, e capaz de continuar o trabalho sem os seus dois principais líderes.

A Janela 10/40 também precisa receber homens e mulheres que experimentaram uma profunda experiência de arrependimento e salvação, e precisa também de homens e mulheres que possam ensinar as verdades mais profundas do Evangelho.

Características do Missionário à Janela 10/40

A PRIMEIRA CARACTERÍSTICA DO MISSIONÁRIO, para qualquer lugar, é que tenha experimentado o “arrependimento para vida”. Não pode ser um “crente”, membro de igreja, que nunca chegou a reconhecer o seu pecado e a profunda necessidade da salvação em Cristo. Quem de verdade é salvo demonstra o fruto do Espírito e vive uma vida de humildade, pois sabe de onde veio. Ama os outros, porque experimentou o grande amor de Deus na sua vida. Perdoa as falhas dos outros, mesmo como ele foi perdoado por Deus.

Além destas características “normais” do crente em Cristo, o missionário precisa também ter um CONHECIMENTO PROFUNDO DA PALAVRA DE DEUS. Quem vai para a Janela 10/40 vai encontrar pessoas de religiões formadas e articuladas. Muitos são evangelistas das suas próprias crenças e sabem combater o cristianismo. Muitos têm ódio de cristãos. No entanto em primeiro lugar o missionário vai precisar explicar o Evangelho para estas pessoas, com sabedoria. Em segundo lugar, ele vai precisar instruir na fé cristã as pessoas que aceitam o Evangelho.

Capacidade e conhecimento para poder explicar a história bíblica, os conceitos de Deus, o significado da vinda, morte e ressurreição de Jesus Cristo, e o papel da igreja no mundo de hoje é essencial para qualquer missionário. Precisam estar aptos a ensinar o verdadeiro significado do texto bíblico, aplicando-o na vida do novo crente e demonstrando esta aplicação na sua própria vida e na vida do outro.

Uma terceira característica de quem quer servir o Senhor nos campos missionários, é UMA VIDA DE COMUNHÃO COM DEUS. Um período devocional regular, submissão e busca da presença e vontade de Deus (Pedro ouviu o Espírito “falar” com ele [Atos 11:12]) devem fazer parte do cotidiano do missionário. Qualquer servo do Senhor tem que reconhecer que é Ele quem capacita e dirige. É o Espírito Santo em Atos 1:8 que vai dar o poder para testemunhar tanto em Jerusalém como até aos confins da terra!

A vida espiritual, comunhão com Deus, dependência no Espírito Santo são essenciais para alguém que vai trabalhar, às vezes sozinho, cercado por pessoas convictas de outras religiões e por um ambiente muitas vezes carregado da influência das trevas.

Estas características são desenvolvidas e reconhecidas dentro do contexto da igreja local. Um seminário ou instituto bíblico podem e devem ajudar, especialmente na área de conhecimento bíblico, mas não substituem as bases formadas no convívio da igreja.

O missionário deve ter tido UMA BOA EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO E MINISTÉRIO NA SUA IGREJA DE ORIGEM.

O ministério prático é essencial para o futuro missionário. Ele precisa ter experiência no evangelismo, no ensino da Palavra, no discipulado e na expressão do papel da igreja local. Precisa ser acompanhado por pessoas maduras que ajudam a moldá-lo conforme os padrões bíblicos. Infelizmente, muitas vezes as igrejas enviam jovens para os seminários e depois esperam que voltem como ministros formados e capacitados! Esquecem que é dentro do contexto da igreja local que o ministro é formado de verdade, com a ajuda importante do seminário.

Muitos irão para a Janela 10/40 como profissionais seculares. Nisto a igreja e a Junta precisam verificar O PREPARO E A CAPACIDADE PROFISSIONAL. Não podemos esperar que alguém que fez auxiliar de enfermagem se torne uma enfermeira chefe no campo missionário. Devemos investir nas pessoas para que tenham as melhores credenciais profissionais possíveis, se tornando exemplos e podendo treinar outros.

Finalmente este missionário precisa ter CONHECIMENTO MISSIOLÓGICO. Soube de alguém que foi para as Filipinas ser missionário. Saiu do avião e descobriu que não se fala português por ali! Há muitas pessoas dedicadas, aprovadas nas suas igrejas de origem, e desejosas de servir ao Senhor a qualquer custo, que não conseguem fruto no campo missionário transcultural porque nunca estudaram sobre choque cultural, comunicação transcultural ou os costumes e significados dos povos onde vão trabalhar. Nós naturalmente enxergamos o mundo através dos nossos preconceitos e pressupostos culturais. Portanto julgamos as outras culturas conforme nossos critérios e evangelizamos, discipulamos e implantamos igrejas de forma brasileira, às vezes, mais do que de forma bíblica, e muitas vezes de forma estranha e fora da compreensão dos recipientes.

Este preparo missiológico exige tempo, pois necessita efetuar transformações na cosmovisão e compreensão do missionário. Exige profundo conhecimento da Bíblia e profundo conhecimento de si mesmo e da sua própria cultura, para poder distinguir entre os dois. E exige estudos de culturas recipientes, para podermos viver, comunicar e trabalhar num ambiente transcultural, sem maiores transtornos e confusões.

Quem pode ir para a Janela 10/40? Alguém sensível e sensato. Alguém com convicção das verdades cristãs. E alguém que sabe ensinar e aplicar estas maravilhosas verdades de forma relevante em um outro contexto. Talvez a palavra chave e, para alguns surpreendente, para tudo que temos falado é humildade. O missionário precisa de humildade diante de Deus e da Sua Palavra para a conhecer e a obedecer. Precisa de humildade diante de quem ele mesmo realmente é, junto com sua própria cultura. E humildade diante de um outro povo que Deus ama e valoriza e quer alcançar através da sua vida. Ele precisa de humildade para reconhecer que a busca de informações, compreensão e maior obediência é essencial para que ele posso servir ao Senhor. Humildade para saber que ele não tem todas as respostas e deve procurar ouvir os outros, sejam missionários mais velhos, nacionais ou crentes idôneos. Ele deve ter o espírito de aprendiz—aprendiz de Deus, da igreja, dos colegas, de escolas e dos próprios recipientes da sua mensagem.
Em abril de 1996, a Associação de Professores de Missões no Brasil (APMB) patrocinou uma consulta sobre alvos para o candidato a missões transculturais. O resumo das conclusões do grupo de missiologos está no gráfico a seguir.

CONHECIMENTO
-Teológico
-Exegese bíblica
-Doutrinas cristãs
-Teologia bíblica de missões
-Princípios de contextualização bíblica
-Antropologia cultural
-Identificação transcultural
-Análise cultural
Contextualização
-Lingüística
-Saber aprender e se tornar fluente na comunicação de outra língua t
-Traduzir fielmente a bíblia
-História de missões e da Igreja
-Estratégias missionárias: bíblicas, históricas e contemporâneas
-Religiões
-Tendências heréticas
-Saúde

ATITUDES E CARACTERISTICAS


-Conversão
-Maturidade e autoridade espiritual
-Compromisso como discípulo
-Fé e confiança em Deus
-Vida de oração
-Estudo da Palavra
-Vida devocional
-Testemunho e paixão pelas almas
-Obediência e submissão
-Espírito amoroso e pacífico
-Sensibilidade às necessidades dos outros
-Domínio próprio
-Prudência
-Abnegação
-Humildade
-Andar no Espírito
-Integridade
-Perseverança
-Iniciativa
-Autenticidade
-Boa vida familiar
-Convicção do chamado
-Espírito de aprendiz
-Responsabilidade
-Flexibilidade
-Saúde e capacidade física

COMPETÊNCIAS MINISTERIIAIS

-Ministério eficaz na área dos seus dons
-Comunicação eficaz
-Ensino e pregação
-Nos relacionamentos pessoais
-Capacidade de gerar discípulos
-Pensamento teológico desenvolvido
-Análise de textos bíblicos
-Sabe explicar as doutrinas cristãs e defendê-las
-Conhecer a semântica do texto bíblico
-Serviço cristão
-Bons relacionamentos com os outros
-Liderança
-Capacidade de implantar e edificar novas igrejas
-Administração de bens, tempo e responsabilidades honesta e eficiente

O Papel da Igreja Enviadora


“Quem pode ir para a janela 10/40?” A resposta é que podem ir pessoas qualificadas na sua vida espiritual, no seu caráter, no seu ministério e na sua profissão. Essencial em tudo isto é a igreja local. A pessoa que pode ir para este campo difícil é a pessoa que tem a aprovação e o firme apoio da sua igreja local.

Às vezes é fácil pensar que tendo o sustento da sua própria profissão, não precisa da aprovação ou apoio da igreja local ou de uma agência missionária. Mas, quem vai para a Janela 10/40 - aquele campo mais difícil - precisa acima de tudo do apoio espiritual, emocional e missiológico de sua igreja e de uma junta missionária. Precisa de pessoas que possam oferecer uma rede comprometida de oração, orientação estratégica e logística no campo e contato constante com pessoas que darão seu amor, compreensão e compaixão pelas lutas, desafios e vitórias obtidas no campo.

Com certeza temos um papel importante na Janela 10/40, como em muitos outros lugares no mundo. Vamos enviar pessoas escolhidas e preparadas por Deus para levar a mensagem do Evangelho e fazer discípulos fiéis a Ele.

[1]WEF e SEPAL, 1997.

Nenhum comentário: