"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

MISSÕES OU MISSÃO?


Comecemos raciocinando sobre o termo: devemos falar MISSÕES ou MISSÃO?

Sem sombra de dúvida, Jesus veio para fundar a Igreja e confiou-lhe a missão de pregar o evangelho: Mt 28.19 "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;" Mais anteriormente, o próprio Deus fala a Abraão: "Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra" (Gn 12.3).

Na verdade, muito mais do que fazer discípulos ou ser uma bênção para todas as famílias da terra, o propósito do homem deve ser o de glorificar ao Criador do Universo. "Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus." (ICo 10.31).

Foi para a Glória de Deus que José foi enviado ao Egito, para que soubesse toda a terra do Nilo que Yhavé pode revelar sonhos e preservar o homem (Gn 40.8; 41.16, veja em especial as palavras de Faraó nos versos 38,39).

Foi para a Glória de Deus que Moisés volta à terra dos opressores de seu povo, e liberta-os com grandes sinais e prodígios, fazendo com que os egípcios reconhecessem que não há outro deus senão Yhavé (Ex 1—11).

Por último vejamos Is 45.23 "Por mim mesmo jurei; já saiu da minha boca a palavra de justiça, e não tornará atrás. Diante de mim se dobrará todo joelho, e jurará toda língua" e Rm 14.11 "Porque está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua louvará a Deus" - com isso podemos dizer que a Igreja tem uma Missão: Fazer com que Deus, o único Deus, seja Glorificado.

Contudo, para que alguém glorifique a Deus é preciso conhecê-lo; saber quem Ele é, e o que Ele quer - Rm 10.14 "Como, pois invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue?" Foi para isto que Jesus se manifestou, para fazer a Vontade do Pai (Jo 4.34). Deus quer que o homem o conheça e cresça neste conhecimento (Os 6.3).

A Missão da Igreja, desta forma, é tornar Deus conhecido para que toda a terra lhe renda louvores. Toda a Igreja é chamada para a obra missionária. Ela é a instituição de missionário para a pregação da fé cristã. A Igreja, como um todo, tem a missão de ir e fazer discípulos.

Missionários Ativos e Passivos

Do ponto de vista do campo, existem dois tipos de missionários: Missionários Ativos e Missionários Passivos.

Missionário Ativo é aquele que vai, que está presente fisicamente no campo missionário evangelizando, transmitindo a glória de Deus para torná-lo conhecido.

Missionário Passivo é aquele que fica em sua base, em seu país, e colabora para que aquele que viajou para o campo possa realizar a tarefa. Por colaboração entende-se todo o suporte necessário para o sucesso de quem está no campo missionário.

Podemos chamar de Missão Apostólica da Igreja a tarefa missionária. A palavra apóstolo significa "enviado". Jesus foi o principal Apóstolo do Senhor. Depois, o Supremo Apóstolo escolhe outros doze para irem e anunciarem a chegada do Reino de Deus (Mc 6.7-13; Lc 10.1). Quando estava preste a voltar para seu Trono, nosso Mestre comissiona, desta vez, todos os seus seguidores repetirem o que fizeram os primeiros (Mt 28.18-20).

O Velho Testamento aponta para o mesmo princípio de proporcionar meios para que o Senhor seja glorificado.

Deus chama a nação de Israel para que esta fosse o resplendor de sua Glória. Israel atrairia todos os povos a si e lhes mostraria o Único Deus vivo. A missão de Israel era centrípeta - atrair para o centro, e a da Igreja é centrífuga - se afasta do centro. A diferença, no entanto, reside apenas no método e não no objetivo.

Israel chegou a cumprir sua missão, mas não consegui mantê-la por muito tempo. Nos dias do rei Salomão temos o testemunho das escrituras onde todas as nações da terra vinham a Israel, para verem o quanto o Deus de Abraão, Isaque e Jacó era Grande ( IRs 1—11; ICr 28—29; IICr 1—9). Israel fracassou, mas o Senhor Jesus não fracassou.

Um último exemplo pode ser notado na vida do profeta Jonas. Mesmo contra a vontade deste, prevalece o desejo apostólico de Yhavé enviando-o para anunciar o juízo, caso os moradores de Nínive não se arrependessem. E qual foi resultado? Deus foi glorificado quando o rei da cidade e todo o povo reconhecem a Grandeza do Senhor, se humilham e arrependem-se de seus erros.

A Igreja, sendo assim, possui uma única MISSÃO. Todas as tarefas secundárias devem ter como objetivo alcançarem esta por excelência: Fazer tudo para que o Deus da Glória seja conhecido por todos os homens.

Nenhum comentário: