"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O DESAFIO DA OBRA MISSIONÁRIA


Estima-se que população mundial é de 6,8 bilhões de pessoas, vivendo em mais de 250 países com uma população do tamanho de um município brasileiro pequeno, como também há país que a sua população é praticamente um terço da população mundial. Os países variam em população desde 8.000 habitantes em Nauru (uma ilha do Pacifico), até 1.3 bilhão na China.

Nos países grandes, há uma enorme variedade de línguas,
religiões, raças, classes sociais, castas e profissões.
Pôr exemplo, a Índia com mais de 1bilhão de habitantes
tem 17 línguas oficiais e cerca de 400 castas registradas. Vemos então que o mundo é mais do que agrupamento de países, religiões ou nacionalidades. O mundo é constituído de diversos "Povos".

1. ESTATÍSTICA DO NOSSO DESAFIO

Aproveitando a estatística atual, descobrimos que a população mundial se divide da seguinte maneira:

População do mundo em 2010: 6,847,434,064

Católicos romanos +1.100.000.000

Protestantes e Evangélicos 800.000.000

Ortodoxos e outros 180.000.000

Muçulmanos +1.800.000.000

Hindus +770.000.000

Religiões Orientais 680.000.000

Animismo 160.000.000

Judaísmo 20.000.000

Ateus e sem Religião 1.200.000.000

Cristãos Verdadeiros 800.000.000

Cristãos Nominais 1.300.000.000

Não Cristãos Vivendo entre Cristãos 2.000.000.000

Não Evangelizados

O evangelho não está disponível em sua língua e cultura 2.000.000.000

2. Resumo das Maiores Religiões do Mundo




a) ISLAMISMO -
I s l a m é u m a p a l a v r a á r a b e q u e s i g n i f i c a s u b m i s s ã o
a Deus é a crença dos povos que seguiram a religião fundada por Maomé.

O s S e g u i d o r e s d o I s l a m i s m o a s i m e s m o s e c h a m a m M u ç u l m a n o q u e s e g u n d o e l e s é a q u e l e q u e s e s u b m e t e a D e u s . M a o m é nasceu em Meca no 570 d.C. Casou-se com uma viúva rica chamada Khadijah,
e este casamento proporcionou-lhe também estabilidade financeira, que passava a maior parte do seu tempo em meditação no deserto. Nestas meditações Maomé alegou ter visões, e que o anjo G a b r i e l l h e t r a z i a r e v e l a ç õ e s d a p a r t e d e D e u s , que enfatizavam o Monoteísmo e a justiça social, o que muito preocupou a classe dominadora de Meca (Arábia Saudita). Após três anos de perseguições, Ele, fugiu em 622 d.C. Com muitos discípulos para a cidade de Medina. Em Medina sua influência cresceu muito e ele se tornou o líder religioso, político e militar de milhares de Árabes. No 630 d.C. Maomé e dez mil de seus seguidores foram recebidos como heróis em Meca, e marcharam para Caaba, a sagrada construção cúbica no centro da cidade. Ali, Maomé proclamou o enorme cubo preto como o centro de adoração ao "Único Deus Verdadeiro" Alá, em 632 d.C. Maomé morreu e foi reconhecido por seus milhares de seguidores como o ultimo e maior profeta de Alá.
 Hoje 30% dos muçulmanos do mundo vivem no Oriente Médio que inclui países como Arábia Saudita, Iraque, Irã, Egito e vários outros países. Mais de 90% dos países do Oriente Médio são Islamitas. Segundo o livro Batalha Mundial o Oriente Médio é o c a m p o m i s s i o n á r i o m a i s n e c e s s i t a d o d o m u n d o a t u a l m e n t e .
Existe lá cerca de 1.500 missionários.

A doutrina do Islamismo é perigosa, porque ensina que Maomé é maior que Jesus e todos os profetas da Bíblia, e que o livro verdadeiro é o Alcorão onde estão escritas as supostas revelações de Maomé. Segundo dados e estatísticos mais recentes o muçulmanismo já passa de um Bilhão de seguidores. Atualmente é um dos maiores desafios das Missões Atuais.

b) HINDUÍSMO

- Esta religião também conhecida como religião do Bramanismo, começou na Índia muitos séculos antes do nascimento de Jesus, sendo fruto de uma síntese de varias religiões antigas.

É a religião nacional da Índia praticada por 82% da população.




No papel a parte da Indonésia, o Hinduísmo também é
predominante.

Os Hindus Crêem na seguinte Doutrina: A reencarnação, ou transmigração da alma é o renascer do homem na forma de um outro homem, ou de um Tigre ou até mesmo de um inseto.

O animal mais sagrado de todos e a vaca, literalmente adorada na Índia por esta razão o Hindu não mata ratos, nem inseto ou qualquer outra criatura, por achar que seus avós possam estar encarnados nestas criaturas. Todas as religiões "são boas".

O rio Ganges é sagrado e suas águas poluídas tem poder para limpar a alma do pecador Brama e o seu verdadeiro deus, e Mahatma Gandhi é o seu verdadeiro líder. Já existem vários missionários trabalhando na Índia, e muitos cristãos Indianos. Só Jesus que é a luz do mundo, pode iluminar estas almas imersas nas densas trevas do sofrimento e da ignorância.
Este é também um grande desafio para as Missões atuais.

c) BUDISMO

O budismo ensina que o alto sacrifício e a renuncia são o caminho da bem aventurança. O Budismo possui varias crenças em comum como o Hinduísmo e o Taoísmo, antiga religião da China que prega a adoração da natureza e dedica-se a ritos de magia. A nação Nipônica abriga uns Cem Milhões de Budistas, mais de 60% da população do Japão.

Por exemplo, na cidade Japonesa a cerca de 1.400 Templos Budistas.
O fundador do Budismo era chamado Sidharta Gautama como nome de nascimento. Porém depois recebeu o título de Buda. Nasceu no ano 560 a.C. na Índia mais aos 20 anos de idade resolveu abandonar as riquezas (pois era de família nobre), abandonou também sua esposa e um filho recém nascido para ir a procura da verdade. Experimentou as praticas
do Hinduismo e chegou a conclusão que para ele a salvação onde não há nem sofrimento e nem n ã o e e r a o p e r d ã o d o s p e c a d os , e s i m c h e g a r a o e s t a d o d e N i r v a v a , morte. Como o Hinduismo, o Budismo c r ê n a t r a n s m i g r a ç ã o d a a l m a o u S a n s a r a .

C o m tudo, o Budismo ensina que através da obediência que as regras estabelecidas pelo próprio Buda, a libertação da prisão d e S a n s a r a , e o a d e p t o a o a l c a n ç a o N i r v a n a porém o Budismo não e tão militante como o Islamismo.

A liberdade em muitos países para se pregar Cristo. Vamos orar para que Milhões de Budistas tenham a oportunidade de ouvir Evangelho de perdão e vida abundante em Jesus Cristo.

d) ANIMISMO

O animista adora os espíritos dos mortos e lhe sacrificam alimentos e até dinheiro. Na China os animais estão ligados a propiciação e adoração dos espíritos dos antepassados.
Há Muitos Sincronismos entre os animistas. O Animismo com os seus ritos tribais, a macumba com o catolicismo. O único caminho ao Pai é Jesus Cristo; O animismo é também um desafio para a Igreja atual fazer missões.

e) JUDAÍSMO - O Judaísmo representa uma das culturas mais antigas do mundo. Abraão, o fundador do Judaísmo, e os outros Patriarcas foram chamados hebreus.

A grande maioria dos Judeus não crê que Jesus é o Messias p r o m e t i d o , c o m o d i z e m J o ã o 1 . 1 1 V e i o p a r a o q u e e r a s e u e o s
s e u s n ã o o r e c e b e r a m A p e s a r d i s s o , v i r á o d i a q u a n d o D e u s
h á d e r e s t a u r a r o s e u p o v o e s c o l h i d o q u e s e u n i r á com a noiva de Cristo no grande Reino de Deus (Rm. 9.27). Todos os autores da
Bíblia, menos Lucas, eram Judeus. Nós temos uma dívida
para com o povo israelita e a melhor maneira de pagarmos é mostrarmo-nos amigos deles e tentar ganhar alguns deles para Jesus. Existem vários missionários evangelizando este povo. E quando um se converte, se torna o maior missionário entre eles.

MISSÕES TRANSCULTURAIS
Missões Transculturais trata de um movimento cristão que atualmente é de alcance mundial. O lema principal de Missões Transculturais é este: A Missão primária da Igreja e, portanto, das igrejas, é proclamar o evangelho de Cristo e implantar novas congregações no mundo inteiro. Mas para entender Missões Transculturais, vamos analisá-las sob quatro principais perspectivas:

1. Perspectiva Histórica

Podemos dividir estes anos de história de Missões em cinco períodos de 400 anos:

a) 0 - 400 - Neste período Roma foi conquistada, mas não entendeu o evangelho aos povos Bárbaros, Celtas e Godos. Como castigo os godos invadiram Roma e fizeram desmoronar toda parte ocidental do império.

b) - 400 - 800 - Os Godos (Bárbaros), foram evangelizados e mantiveram durante pouco tempo um novo "Sacro" Império Romano. Mas também não os Godos não levaram o evangelho mais ao norte. Também foram castigados pelos Vikings que invadiram as regiões habitadas por estes Celtas e Godos cristianizados.



c) - Neste período os Vikings se tornaram cristão em meio a este processo, e se consolidaram até o período da Europa Unida.

d) - Neste período, a Europa, pela primeira vez unida pela fé cristã, se lançou a uma espécie de Pseudo-Missões aos Sarracenos e se dirigiu aooriente mais distante como conseqüência do grande fracasso das cruzadas.

e) - 1600-2000 - Neste período a Europa atingiu até os confins da Terra e o avanço foi à ordem do dia, mas com motivações muito confusas; os interesses comerciais e espirituais tem sido tanto maldição como benção. O que acontecerá antes do ano 2000? O mundo não ocidental invadirá a Europa e a América, tal como os godos invadiram Roma, e os Vikngs varreram a Europa? Virá o terceiro mundo sobre nós numa série de invasões bárbaras? Qual será o papel do evangelho? Podemos aprender muitas coisas com estes ciclos prévios de avanços missionários? Que isso sirva como exemplo para não cometermos os mesmos erros do passado.

2. Perspectiva Cultural
O que é cultura? Para o aluno que está apenas principiando o estudo de Antropologia missionária, esta pergunta parece um tanto confusa. O primeiro passo num estudo de cultura é denominar a sua própria cultura. Todo mundo tem uma cultura. Ninguém consegue se elevar acima de sua própria
cultura ou de outras culturas de modo a ter uma perspectiva verdadeiramente supra-cultural. Por esta razão mesmo, o estudo da cultura é uma tarefa difícil. A primeira coisa que o visitante recém chegado i r i a p e r c e b e r é o c o m p o r t a m e n t o d o p o v o .


S u a s c r e n ç a s , valores e educação. Deus deu a o homem um mandamento cultural que
impôs um certo domínio sobre o seu ambiente. Quando criou o homem e o A m b i e n t e d o h o m e m , D e u s d e c l a r o u q u e t u d o e r a m u i t o b o m ( G n . 1.26-31). O Mandamento Evangélico (Mt. 28.18-20) requer dos missionários
que ensinem aos outros homens a observarem tudo o que Cristo ordenou. Ao ensinarem, os missionários afetam a cultura, pois todas as culturas necessitam de transformação, se não no conteúdo, pelo menos na motivação. Portanto, como Calvino já havia insistido, os crentes devem trabalhar para tornar cristã a cultura (isto é, colocá-la debaixo de Cristo). Dentro do contexto da vida não cristã, os costumes e as práticas servem como tendências idólatras e afastam uma pessoa de Deus. Quando o missionário chega com oevangelho, a vida cristã apanha, então, esses costumes e práticas e lhes dá um conteúdo inteiramente diferente. Ainda que na forma exterior haja muito que lembre práticas do passado, na verdade tudo se fez novo; na essência o antigo já passou e o novo chegou.

Cristo toma em suas mãos a vida de um povo, renova e reconstruí o que estavadistorcido e deteriorado, ele enche cada coisa, cada palavra, e cada prática com um novo sentido e lhes dá uma nova direção. Para muitos c u l t u r a , r e f e r e - s e a o c o m p o r t a m e n t o d o s r i c o s e d a e l i t e . P o r é m para os nossos propósitos definiremos cultura como o sistema integrado de padrões de comportamento aprendidos, idéias e produtos que
caracterizam uma sociedade.

O missionário se encontra, direta e indiretamente, envolvido neste processo. E para isso precisa está integrado com estes
padrões de comportamentos, idéias e produtos, no sentido de conviver com essas diferenças transculturais não apenas na forma pela qual os povos comem, vestem-se, falam e agem, e nos seus valores e crenças, mas também nas pressuposições fundamentais que fazem sobre o seu mundo, para tentar ganhá-los para Cristo. O Apostolo Paulo nos d e u o m a i o r e x e m p l o t r a n s c u l t u r a l q u a n d o d i s s e : F i z - m e t u d o p a r a t o d o s , para por todos os meios chegar a salvar alguns (1 Co 9.22). Paulo se fazia Romano para ganhar os romanos, se fazia grego para ganhar os gregos e assim sucessivamente.

2. Perspectiva Bíblia

Esta perspectiva Bíblica de Missões Transculturais já comentamos quando falamos da Bíblia como livro missionário, Missões no Antigo Testamento, Missões no Novo Testamento, a Grande Comissão e muitos outros assuntos dentro da perspectiva bíblica missionária.

4. Perspectiva Estratégica de Missões Transculturais Nesta quarta perspectiva de missões transculturais nós vamos estudar a maneira de cumprir de forma cabal a ordem imperativa de Jesus para alcançar todos os povos
do mundo pela evangelização. Nestes últimos dias eu vejo
o Espírito Santo como Grande estrategista de Missões despertando e mobilizando a sua Igreja para evangelizar todos os povos não alcançados.
Posso ver até mesmo Pastores e líderes que não se importavam muito por Missões Transculturais, ampliando sua visão, no sentido de cumprir em caráter de urgência a Grande Comissão dada por Jesus. Muitos destes pastores e líderes, a exemplo dos discípulos só tinham uma visão de Missões Nacionais. Mas graças a Deus, que pelo seu Espírito está mobilizando todo o mundo cristão, para abraçar todos os povos não alcançados ainda pelo evangelho.

5. Tipos de Estratégias

A estratégia nos proporciona um sentido genérico de direção e coesão. Também nos ajuda a decidir o que faremos e o que não faremos, pois exclui certas maneiras de fazer as coisas. Trataremos sobre 04 principais tipos de estratégias:

a) - Estratégia

Da Solução Padrão - A estratégia da "Solução Padrão", desenvolve um método específico de fazer as coisas e, depois aplica esta mesma abordagem em cada situação.
Um exemplo deste tipo de estratégia é a abordagem da Cruzada Mundial de Literatura, que procura colocar literatura cristã nas mãos das pessoas em cada casa de cada cidade no mundo.

b) - Estratégia Do Deixa Acontecer - A Estratégia do deixa Acontecer parece que não é estratégia alguma. Aqueles que adotam esta estratégia acreditam que não é necessário planejar.

Acreditam que Deus irá agir. Um exemplo desta estratégia ocorreu no livro de Atos dos Apóstolos quando Felipe, o evangelista, foi guiado pelo Senhor a situações novas. Nos dias pioneiros das Missões de Fé, particularmente no caso das missões que desbravaram para o evangelho, regiões, nunca antes alcançadas tais como: Missão para o interior da China, a Missão para o interior da África, com muita coragem os missionários levaram o evangelho a continentes desconhecidos.Muitas vezes encontrariam a doença e a morte. Precisamos honrar estes primeiros missionários, que estabelecem as bases para o trabalho missionário contemporâneo.

c) - Estratégia do Planejamento Parcial - Esta estratégia presume-se que nós planejaremos começar o trabalho e Deus fará o resto. Um exemplo deste tipo de estratégia é a entidade que, depois de negociações com um governo local, recebeu autorização para dar inicio a uma indústria artesanal naquele país. Todavia a entidade não faz planos, específicos sobre como iria relacionar-se com as igrejas cristãs já existentes no país, igrejas que no seu ponto de vista são uma mistura de cristianismo e animismo. Todavia uma reflexão mais cuidadosa revelará que é necessário ter muito mais para compreender aquilo que Deus quer que aconteça.

d) - Estratégia da Solução Especifica - Esta estratégia presume-se que cada situação que enfrentamos é diferente, que cada uma exige sua própria estratégia especifica. Presume-se que encontraremos uma solução, e que há uma resposta, estabelecer alvos etc.
Porém a estratégia missionária moderna não é simplista. Deve ser estabelecidos, primeiro Alvos Certos, segundo, O Lugar Certo Na Hora Certa, terceiro, os métodos certos e quarto, As Pessoas Certas. Na Grande Comissão dada por Jesus por exemplo, contém quatro verbos de Ação: Ir, Fazer discípulos, Batizar e Ensinar.

O imperativo

F a z e r D i s c í p u l o s , é o  m a g o d a O r d e m , o s o u t r o s verbos: "Indo, Batizando e Ensinando" são verbos que estão subordinados ao verbo principal. Fazer discípulos é, portanto o Alvo Certo de Missões. Algumas coisas Deus faz por Si mesmo; algumas coisas Ele faz usando seres humanos.

Um comentário:

cleide Feitoza disse...

Preocupante e doloroso, num dia como o de hoje em que comemoramos a páscoa. Saber quantos não tem este privilégio de saber que alguém lá atrás a dois mil anos, o amou tanto que deu sua vida. Para que nós estivessemos livres das correntes do pecado. Senhor erguemos templos majestosos, pensamos o tempo todo em nós mesmos e envergonhamos teu Santo Nome. Foi especial esta visão da necessidade de irmos ao campo buscar os que sofrem.