"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

AS LUTAS ÍNTIMAS NO CORAÇÃO DE UM MISSIONÁRIO


COM QUEM SE COMUNICAR?
Eu sei que poderia estar escrevendo sobre outro assunto, porém são tantas as pessoas, tanto da igreja como do seminário teológico, que me escrevem fazendo perguntas sobre meu ministério neste campo ou exigindo respostas sobre dúvidas que lhes sobrevem na fase pré-campo, que às vezes me sinto atordoado! Porém tenho orado para que o Senhor me ajude a estabelecer prioridades nas respostas.

Ore por mim neste sentido, pois às vezes fico angustiado com aos muitos e-mails que tenho que responder muitos dos quais são verdadeiros pedidos de socorro. A maioria é dos novos convertidos e, às vezes, até mesmo de irmãos mais idôneos, os quais se sentem perplexos com certas situações. E não sei se sou compreendido, porém não tenho coragem de simplesmente deixa-los entregues às suas perplexidades. Simplesmente não o posso fazer.

LUTAS LINGUISTICAS
Por outro lado, quando olho para a tremenda oportunidade que meu precioso Mestre me tem dado para aprender inglês, tenho vontade de ignorar tudo e só dedicar-me aos estudos! Como vê, estou num impasse. Meu irmão, o senhor não pode imaginar como Jesus tem-me ajudado! Para ter uma idéia, já me é mais fácil orar e pensar em inglês do que em português. Ele também está me fazendo mais clara a leitura da Bíblia em inglês. Eu o amo por tudo. Sim, por tudo!

COMUNHÃO CONSTANTE
Ele tem estado tão perto, tão perto, que não tenho como expressá-lo. Também me tem proporcionado gozar de comunhão com este povo aqui. Eu os amo muito! Amo porque são filhos do meu Deus, porque amam o mesmo Senhor e Rei, porque foram comprados com o mesmo sangue precioso. Ah, meu irmão, como é maravilhoso quando o Mestre nos abre o coração para amarmos como ele amou, os olhos para vermos como ele vê, e a mente para entendermos como ele entende! Aleluias! Glórias ao Seu precioso Nome!

FUTURO INCERTO
Encontrei-me com o líder do meu futuro campo missionário. Gozamos de uma comunhão maravilhosa, e foi decidido que, até setembro ou dezembro próximo, estarei mudando de Campo. Por favor, irmão, não se apavore nem se assuste, pois este é o caminho que o Senhor tem me apontado. Após aceitar esta decisão, de todo o meu coração, Deus me deu uma paz tão profunda que não posso explicar. Uma paz que só podemos ter quando estamos no centro da vontade do Mestre. Meu amado irmão, não posso explicar o porquê de muitas coisas, porém há algo que eu posso dizer, com plena convicção até este instante, o meu Guia Eterno me tem colocado exatamente nas circunstâncias e lugares onde ele deseja que eu esteja.

CHAMADA PARA QUÊ?!
Não há pressa no meu coração! Não tenho pressa de estar em lugar algum a não ser na presença e no centro da vontade do Senhor. Muitas vezes, fico muito angustiado de ver os “missionários” tão aflitos, tão ansiosos, chorando mesmo, por um certo país.

Eles sentem um “amor tão grande” pelas almas de “lá” que são totalmente impedidos de ver quantas estão ao seu redor, sedentas e famintas. Meus irmãos, eu simplesmente não consigo entender como pode a alma de um italiano ou brasileiro ou norueguês ser mais importante que a alma de um inglês! Esta idéia simplesmente não entra na minha cabeça. Eu espero que vocês me entendam.

Isto não quer absolutamente dizer que perdi a chamada ou coisa parecida, mas que nosso campo está em cada lugar por onde o Mestre nos permite passar. Ali há vidas, vidas que precisam ouvir acerca de Cristo! Conheço algumas pessoas “que são chamadas” que estão esperando chegar ao campo para começarem a dar frutos, para começarem a perder os seus maus hábitos e coisas parecidas! E esta é a razão pela qual, quando lá chegam, começam as brigas, desentendimentos e ciúmes. São missionários, porém não são discípulos. Amam o “campo” mas se esquecem do mais importante: o Deus que os enviou ao campo.

PRIMEIROS FRUTOS
Eu não sei por que estou escrevendo isto, porém estou colocando o meu coração nestas linhas. Talvez esteja influenciado pela primeira pessoa que me escreveu e que o Senhor me ajudou a conduzir aos Seus pés aqui – uma italiana chamada Sonia. Apesar de o meu inglês ser quase nada, o Senhor me ajudou de uma maneira muito especial. Dias depois ela escreveu-me dizendo que havia se decidido por Jesus e na semana passada recebi uma carta dela, já da Itália. Disse que conhece o Senhor e que o sente bem de perto; mas em algumas linhas assim se expressou:

“Irmão, encontrei uma igreja, mas infelizmente não é a nova família que eu esperava. Existem muitas brigas entre os membros e muito pouco amor”. Quando li a carta não pude conter um gemido profundo na minha alma! Chorei, chorei, chorei e somente um versículo caiu profundo em meu coração:
“Se um grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só, mas se morrer produz muito fruto.” (Jô 12.24)

O SEGREDO ESPIRITUAL
Então Deus me fez ver o que é mais importante: morrer! Morrer para os meus direitos, para as minhas razões, para os meus desejos, e ressurgir com Cristo. Ressurgir na sua humildade e mansidão, na sua completa submissão ao Pai, no seu perfeito amor e compaixão para com os perdidos e os que já são seus, para que a “nuvem de testemunhas”, que tão perto nos rodeia, possa ver o Rei no seu maravilhoso caráter.

Pastor, não envie “sementes verdes”; nem se preocupe em enviar muitos; não se apresse! Envie, porém, apenas aqueles que o Mestre tem escolhido! E na hora que ele tem escolhido! Difícil? Não! Nosso Deus tem boca e fala, tem olhos e vê, tem ouvidos e ouve, tem mãos e pés, e trabalha. Sim, trabalha para aqueles que nele confiam.

“Rogai ao Senhor da seara que envie obreiros para sua seara.”



Nenhum comentário: