"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

EM TEMPO...

3º Congresso Mundial para Evangelização do Mundo

Cristãos evangélicos de 197 países se reuniram entre os dias 16 e 25 de outubro na Cidade do Cabo, na África do Sul, para participarem da 3ª edição do Congresso Mundial de Evangelização, oportunidade na qual reafirmaram a intenção de levarem adiante um dos preceitos do “Pacto de Lausanne”: “Toda a igreja levando todo o Evangelho para todo o mundo”.

O evento, também conhecido como Lausanne 3, teve tamanha amplitude que foi considerado por alguns de seus participantes como o maior congresso sobre missões já realizado, sendo acompanhado por mais de 100 mil pessoas através da internet.

Um dos assuntos abordados foi: Os maiores desafios da igreja para a evangelização mundial nas próximas décadas, que foram identificados e organizados em seis questões básicas:

1.Em primeiro lugar se falou da necessidade de a igreja defender a verdade de Cristo em um mundo pluralista e globalizado. Assim, foram abordados desafios para não se ter uma postura autoritária, mas sim uma humildade corajosa.

2.O segundo ponto foi o da reconciliação, por meio da qual é possível construir a paz de Cristo em um mundo dividido e ferido. Para isto é necessário reconhecer que o pecado tem características individuais, coletivas e sociais (estruturais). A partir destes pressupostos, todos os presentes foram desafiados a agir contra a ação maligna que atenta contra a dignidade humana.

3.Em terceiro lugar se tratou do desafio de testemunhar do amor de Cristo a pessoas de outras crenças. O desafio é viver este amor de forma prática no contato com as pessoas de outras religiões para que desejem conhecer a Cristo.

4.A quarta ênfase foi a de necessidade de discernir a vontade Deus para a evangelização neste século. Neste contexto, o desafio dos povos não alcançados foi discutido e foram apresentadas sugestões de ações.

5.O quinto desafio foi o do chamado da igreja de Cristo a um retorno para a humildade, a integridade e a simplicidade. Este desafio foi marcante pois produziu um quebrantamento claro. Neste momento houve uma clara condenação à Teologia da Prosperidade e um apelo ao retorno aos valores do Evangelho.

6.E por último houve o desafio da formação de parcerias no Corpo de Cristo para que haja um novo equilíbrio global. Neste ponto foi destacada a necessidade de realização de trabalhos conjuntos para acelerar o processo de evangelização mundial. Além disso, foi identificado o surgimento de uma liderança jovem que precisa ser capacitada e ter oportunidades.

Nenhum comentário: