"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

terça-feira, 30 de novembro de 2010

TREINAMENTO E ENVIO DE MISSIONÁRIOS - UM PROCESSO INTERMINÁVEL

Nunca se deve imaginar que o ciclo de treinamento e cuidado do vocacionado tem uma conclusão, porque este é um trabalho que pode ser comparado a um ciclo interminável.

Alguns de nós poderiam imaginar que, findo o processo de treinamento lê envio do missionário ao campo, nossa responsabilidade cessa, dando início a uma nova etapa com um novo vocacionado, mas, seria um engano de nossa parte se agíssemos assim. O cuidado da igreja local com seu missionário prossegue durante todo o tempo em que ele estiver servindo ao Senhor em algum lugar deste mundo, pois aquele obreiro continua sendo parte integrante de nossa igreja, mesmo estando fisicamente distante de nós.

Vejamos algumas destas tarefas que a igreja deve prosseguir realizando demonstrando cuidado e amor para com seu missionário.

ESTABELECER CONTATOS FREQUENTES

Já foi o tempo em que tínhamos que colocar uma carta no correio e esperar quase um mês para que chegasse ao seu destino, e também deixou de existir aquela tarefa, quase inglória, de ligar para um missionário e ter que esperar horas – às vezes, dias – para que a ligação pudesse ser completada. O avanço da ciência e da tecnologia tem sido espantosos e hoje temos enorme facilidade para manter contato com quem quer que seja, esteja onde estiver.

Recordo-me de que há alguns anos estava participando de um encontro de líderes do Movimento AD2000 e alguém foi à frente daquele grupo e disse textualmente o seguinte: “Por favor esqueçam o fax, deixem de usa-lo, e daqui para frente passem a se utilizar da internet”. Aquilo me soava muito estranho, pois havia sido incumbido de comprar um aparelho de fax para a agência missionária durantye aquela viagem, por ser muito mais barato do que aqui no Brasil e estávamos precisando de um modelo mais moderno. Então, ao retornar procurei conhecer o que significava se comunicar através da “Internet”, o que agora é algo tão comum entre nós. A lição para mim foi: o mundo ficou pequeno demais e, hoje, podemos nos comunicar muito mais rápido do que podemos imaginar.

Uma igreja comprometida com missões sabe que seu missionário precisa receber atenção freqüente através de comunicações regulares que podem ser feitas por cartas, telefonemas, faxes, mensagens eletrônicas, etc.

Somente aqueles que estão no campo missionário sabem como é importante receber algum contato de seus irmãos e líderes da igreja, como também sabem a dor do silêncio provocado por parte de pessoas que deixaram de se comunicar.
"Do Chamado ao Campo" de Oswaldo Prado. Editora Sepal. ACMI. pag. 87

Nenhum comentário: