"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

CUIDADO INTEGRAL DE MISSIONÁRIOS


LAR – LICENÇA PARA ATUALIZAÇÃO E RENOVO



1. O QUE É LAR? O termo utilizado para o período que o missionário passa de tempos em tempos em seu país de origem ainda não havia sido escolhido em português. Em inglês há pelo menos dois termos, furlough e home assignment.
Após uma consulta a vários participantes do cuidado de missionários e a missionários por email, houve uma votação, e a maioria considerou que LAR, Licença para Atualização e Renovo seria uma sigla interessante.

Este tempo de Atualização abrange tempo com família e amigos, um visita a base enviadora, estudos, tratamento de saúde, a atualização da igreja na pátria em relação ao ministério do campo, divulgação e levantamento de sustento. O Renovo se refere a questão de descanso físico e renovo espiritual e emocional. As obrigações do LAR e o tempo de duração do mesmo vão variar de agência para agência.



Neste fórum temos algumas colaborações sobre este tempo crucial de divulgação que o missionário passa junto à sua igreja e renovando os laços com amigos e família.


2. A OUTRA PARTE DO MINISTÉRIO MISSIONÁRIO

Temos uma boa noção do trabalho do missionário enquanto ele está no campo: estudo de idioma, adaptação e estudo da cultura, contato com as pessoas, apresentação do evangelho, discipulado, boas obras etc.



Mas o que acontece quando ele volta temporariamente ao seu país de origem? Essa é uma prática comum e necessária, que acontece geralmente a cada dois ou três anos.



Temos até um exemplo bíblico, quando Paulo e Barnabé voltaram à igreja para compartilhar o que Deus tinha feito durante sua viagem missionária: “e dali navegaram para Antioquia, onde tinham sido recomendados à graça de Deus para a obra que haviam já cumprido. Ali chegados, reunida a igreja, relataram quantas coisas fizera Deus com eles e como abrira aos gentios a porta da fé. E permaneceram não pouco tempo com os discípulos” (Atos 14.26-28).



Contar às igrejas o que Deus tem feito entre outros grupos étnicos e nações é muito importante. Serve para animar os irmãos, desafiá-los a continuar orando e apoiando financeiramente, e também para desafiar outros a obedecerem ao chamado missionário.



Outras atividades do missionário nesse período, além das visitas às igrejas, são (ou deveriam ser): descanso físico, mental e espiritual. O desgaste no campo é contínuo e quotidiano. Às vezes é preciso falar duas ou três línguas fluentemente, se esforçar para entender e se adaptar a uma cultura totalmente diferente da sua e travar uma batalha espiritual para trazer luz em meio às trevas – tudo isso traz um desgaste que necessita ser compensado e cuidado. Ter momentos de refrigério, estar com familiares e amigos, ir ao culto somente para participar, louvando a Deus, desfrutando da comunhão dos irmãos e ouvindo a Palavra, são atividades importantíssimas para que o missionário e sua família recarreguem as baterias antes de voltar ao campo.


Igualmente importante é cuidar da saúde física. Um check-up médico e odontológico é imprescindível, pois, na maioria das vezes, isso não é feito no campo, seja por falta de condições financeiras, seja por falta desses serviços no local.



Se o missionário vem por um período maior, seria importante também participar de algum curso, conferência, ler livros, atualizar-se em sua área – enfim, tudo o que possa contribuir para que ele adquira novas ferramentas necessárias ao seu trabalho.


A volta ao país de origem é outra parte do ministério, mediante a qual o obreiro compartilha e contribui para a visão missionária da igreja, além de cuidar de si mesmo e sua família. Jesus mesmo nos deu o exemplo: após um período intenso de trabalho, ele chamou seus discípulos para descansar (Mc 6.30-32).



Que tanto as igrejas como nós mesmos, os missionários, estejamos conscientes dessas necessidades e prontos para supri-las.



3. O tempo de LAR (Licença para Atualização e Renovo) e, em particular o primeiro é um acontecimento ansiosamente aguardado. Mas para muitas pessoas, torna-se um tempo inesperadamente difícil e confuso. Aqui são indicadas algumas das dificuldades que muitas pessoas sentem, e alguns pensamentos sobre como lidar com elas.



Escrevi na perspectiva de um obreiro solteiro e, portanto, não abordo alguns dos problemas específicos que enfrentam as famílias e as crianças no LAR.



Dificuldades:



1. Tempo de divulgação As visitas a igrejas e amigos podem ocupar todo o tempo. Muitos obreiros viajam milhares de quilômetros e isso não os ajuda a descansar ou achar restauração.



2. A Perda do papel profissional pode causar algum desconforto, muitas vezes inconscientemente. Parece que você está gastando muito tempo falando sobre o que você faz, mas você não está realmente ‘fazendo’ nada!



3. Ver amigos progredindo em suas vidas e carreiras e pensar na vida que você tem como resultado de seguir o chamado de Deus pode causar estresse e te deixar chateado. Isto é especialmente verdadeiro para pessoas solteiras quando eles vêem seus amigos com famílias.



4. Não querer retornar para o campo.



Possíveis maneiras de lidar com estas dificuldades:



1. Tempo de divulgação e visita a amigos mantenedores. Tente separar o tempo, com antecedência, para fazer isso. E, igualmente importante, separe o tempo para não fazer isto. Caso contrário, as visitas vão ocupar todo o seu tempo de LAR facilmente e você não vai se sentir descansado quando voltar.



A regra dos terços é útil: um terço – divulgação; um terço – de férias e tempo com os mais chegados;



Um terço – de atualização profissional e espiritual.


Lembre-se que a divulgação é trabalho, e visitar as pessoas não é necessariamente restaurador, mas trabalho, principalmente para os introvertidos.



Peça (diga!) aos seus mantenedores para que reservem datas para palestras com antecedência, de preferência antes de chegar ao seu país de origem. Desta forma, você pode agrupar as visitas geograficamente e reduzir algumas das viagens.



Aprenda a dizer não quando as pessoas pedirem muito tarde. Isso é difícil de fazer, mas essencial se você for se beneficiar do tempo de LAR.



Você pode dizer algo como: “Lamento, mas minha agenda está cheia para o resto da minha licença. Gostaria muito de visitar seu grupo na minha próxima licença.”



Então, faça uma anotação para perguntar-lhes com antecedência na próxima vez.



Lembre-se que o tempo gasto em uma palestra inclui viagem e preparação, e não apenas a reunião propriamente dita.


Seja proativo em perguntar às pessoas que quiser visitar. Assim, você pode manter algum controle sobre quando você vai visitá-las.



Planeje tempo de férias. Estes tempos de férias também serão boas lembranças quando você estiver de volta no campo. Faça algumas de suas atividades favoritas / hobbies que você talvez não tenha tempo ou a liberdade de fazer no país onde você está trabalhando.


Pense nas coisas de que mais sente falta quando você está no exterior e faça-as!
Certifique-se de que você gasta bastante tempo com sua família / as pessoas que são queridas para você. Não é só tempo de qualidade que conta, mas a quantidade de tempo. Você não tem que planejar eventos especiais para cada vez, ser apenas uma parte do seu quotidiano é o que importa. Não se sinta culpado sobre isso.



Quando você estiver no campo, você não vai poder ‘dar um pulo’ para estar com eles como pode, se você está vivendo em seu país de origem.


Da mesma forma, tente priorizar o tempo em sua igreja local como um membro normal (ao invés do “palestrante convidado”). Veja se você pode visitar outras igrejas nos dias de semana, em vez de aos domingos. Se você estiver viajando, todos os domingos em alguma reunião, você não vai sentir que se reconectou com a sua igreja local, e eles não vão sentir que tiveram tempo com você, e você terá perdido uma oportunidade para o sua renovação espiritual.



Finalmente, você pode ouvir comentários como: “Que bom ter 6 meses de férias!” Você pode querer tentar esclarecer o que realmente implica o tempo de LAR. Em todo o caso, tente reagir gentilmente, quando confrontado com tais comentários, o que pode ser muito irritante e desanimador, especialmente quando estiver cansado.


2. Papel Profissional. Tente planejar com antecedência qualquer curso ou estudo privado para ajudá-lo a se desenvolver profissionalmente.




Muitos cursos precisam de reserva com antecedência.



3. Estilo de vida. Lembre-se que você mudou muito, e as experiências que você tem são igualmente de grande valor. Lembre-se que muitas pessoas realmente invejam a vida que você tem. Muitos gostariam de fazer o que você está fazendo, mas se sentem amarrados em seu país de origem.




Tente focalizar as coisas boas de sua experiência no exterior.



Lembre-se das coisas que Deus lhe ensinou, e fique firme na fé para a qual Ele o chamou, e lembre-se que os horários estão em Suas mãos.


Se for possível, tenha sua própria casa, ou a sua própria base, que é um lar para você, quando você está no seu país de origem.



Idealmente, esse lugar deveria ficar perto de sua igreja de origem. Viver constantemente como convidado de outras pessoas é muito cansativo.




Organize as suas férias e suas atividades profissionais a partir dessa base.



Você vai ter que se deslocar para a divulgação, mas isto deveria tomar apenas um terço do seu tempo.



4. Não querer voltar ao “campo”. Quase todos sentem isso, então não se sinta de alguma forma anormal, nem pense que isso significa que você não tem chamado. Mesmo aqueles já serviram no exterior por muitos anos, dizem que sentem isso. Se não houver nenhuma razão óbvia para ficar em seu país, então isso provavelmente significa que Deus quer que você volte para o campo, mesmo que você não sinta a emoção que sentiu quando foi pela primeira vez. Desta vez, você sabe o que te espera e é mais difícil entrar no avião do que foi da primeira vez.


Mas tende bom ânimo! É mais fácil chegar lá do que foi na primeira vez. Tudo é familiar e os relacionamentos são mais profundos, porque você tem história com as pessoas. O próprio fato de você ter voltado mostra às pessoas que você está comprometido com elas.



Uma forma de lidar com o sentimento de não querer voltar para mim foi dizer a mim mesmo que iria retornar por seis meses e, em seguida, reavaliar a situação. Seis meses parecia um tempo com o qual eu podia lidar mais facilmente do que três anos. No final, já na primeira semana de volta, eu sabia que era o lugar onde Deus queria que eu estivesse.


Se existem aspectos específicos de seu trabalho no exterior que precisam ser alterados, a fim de ajudá-lo a viver e trabalhar lá, então resolva essas questões. Se você trabalha muitas horas, tome providências para cortá-las. Se você tem muitas responsabilidades diferentes corte algumas fora.




Sua equipe está trabalhando há vários meses sem você, então durante o tempo de LAR seria um bom momento para fazer uma mudança. Seja realista sobre o que é sustentável para você a longo prazo. Isto é uma maratona e não um sprint.



5. Por fim, nenhum de nós fará tudo certo e vamos aprender com nossos próprios erros.



Mas às vezes pode ajudar aprender com os erros dos outros também. Ser prevenido vale por dois!



Elspeth Paterson

OBS. Verifique que você tem alguma maneira de lembrar as suas senhas de banco etc. Facilmente esquecemo-nos delas enquanto estamos fora, no campo.



(tradução de Jan Greenwood)

Nenhum comentário: