"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

domingo, 29 de janeiro de 2012

DOE UMA BÍBLIA AO POVO CHILENO, DOE ALEGRIA...

Estou mandando esta carta que contem uma linda Campanha, aqui do município de Peñalolen – Chile, nos pés das Cordilheiras dos Andes, onde estamos trabalhando com irmãos pobres neste inicio de Missão. Peñalolen significa em língua indigna Mapuche: “Penha que Chora”

Por onde temos andado, visitado e pregado temos visto e apalpado muitas carências. Carêcias de tudo, de mobílias, de instrumentos, de letreiros, de templos. As igrejas são pequenas e pobres o povo não tem nem Bíblia, nem o pastor onde estamos hospedados tem sua Bíblia própria, ele esta usa uma Bíblia emprestada.

Estamos vivendo uma grata surpresa de ouvir crianças e adolescentes dizerem que somos os primeiros missionários pisando as terras de Peñalolen, que nunca havia haviam chegado aqui Missionários brasileiros como nós.

Me da vergonha daquelas igrejas brasileiras revestida de mármore, mas não revestida de amor. Com ar acondicionado centralizado e nós enfrentado uma umidade relativa do ar de 22%, clima deserto mesmo, onde nossa garganta se seca rapidamente e o nosso nariz começa a sangrar. Esse clima é o mesmo da Palestina onde Jesus morava em Belem.

Tanto conforto em certas igrejas, tantas demagogias falando em missão, mas é só da boca pra fora, por que se fosse do coração deixaria gastar dinheiro em algo que já esta pronto, para aplicar o dinheiro e o amor, onde esta ha carência do povo de Deus.

Encontramos na Sociedade Bíblica Chilena, Bíblias populares, ou Bíblias chamadas de Missionárias, no valor de Oito Reais cada uma, só que por este valor temos que comprar uma caixa de 24 Bíblias.

Se tivéssemos quatro caixas dessas teríamos onde Doar elas aos pobres de Peñalolen como presente de amor, vindo de brasileiros com um coração cristão de verdade, neste ano de 2012.

Uma caixa de Bíblia custa R$ 192,00 reais, isso é um valor onde no Brasil alcançaria comprar duas Bíblias de Estudo ou nem isso, pode que seja um pouco alto o valor, mas imagina faríamos 24 chilenos felizes ou 96.

Ajude-nos a colocar a Bíblia na não de muitos adolescentes, ajude-nos a semear a Palavra de Deus entre os pobres de Peñalolen. Depois teríamos 32 Municípios mais na grande Santiago, todas elas com as mesmas Carências.

Fale com mais alguém, algum amigo seu, algum pastor, algum empresário que queiram Doar estas Bíblias Missionárias, muitas pessoas precisam ter a Palavra de Deus. Muitas vidas conhecerão a Jesus Cristo através deste trabalho.

Como as Bíblias se encontram aqui no Chile, as Doações deverão ser enviadas em Dinheiro na conta abaixo: Agencia 3078-3 Conta Corrente 18.491-8 Banco do Brasil em nome de Teófilo Karkle.

Finalizo esta carta com muita esperança de que faremos isso para a Gloria de Deus segue anexo 11 fotos das Biblias ja entregues.

Em Cristo Jesus.

Pr. Teófilo Karkle
CENTRO DE ALEGRIA










sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

PASTOR BUSCA PESSOAS LOUCAS POR MISSÕES


Pr. Teófilo Karkle e Mis. Ivone Karkle



· Ninguém pode colocar limitações em você, ajude-nos a quebrar esses paradigmas, contribua com missão fora das quatro paredes.
· O campo é o mundo, independente de tua denominação.
· Dinheiro de Missões não pode ser para os Cofres, mas para os Pobres.

Sempre gostei de ver reportagens de aventureiros em expedições de alto risco, como aquelas de cruzar os oceanos, ou de subir nos pontos mais altos de uma cordilheira, ou de percorrer todo o leito de um rio desde sua nascente até a sua desembocadura no mar, como tem acontecido no rio Amazonas.

Pensando nisso, nunca vi algo parecido para Jesus, para chamar atenção de um povo inteiro de uma nação, para se interessar num projeto missionário. É o que pretendemos fazer com estes escritos, despertando em você essa idéia fantástica.

Tenho certeza que Deus Despertará nos 5564 municípios do Brasil, alguém interessado a fazer parceria conosco e logo receber informações dos resultados alcançados ou quem sabe estar corpo a corpo nesta fantástica aventura para ganhar vidas para o Nosso Senhor Jesus.

Aprendi em Missões, nos meus 20 anos de atuação, que tenho uma nação inteira como campo de atuação, as divisões geográficas não podem me parar, nem mesmo dos monopólios de uma denominação. Como falou o apostolo Pedro na sua segunda carta, capitulo dois e versículo três E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas...

Veja só que fantástico, nem precisamos usar combustível para percorrer os milhões de kilometros do nosso imenso Brasil, nem mesmo usar o correio tradicional para enviar milhares de cartas contando deste projeto missionário. Sendo que primeiro teríamos que fazer um banco de dados, de endereços de cristãos, isso seria um desgaste tremendo. Nem todo o mundo lê os artigos, os apelos, que são enviados em milhares de cartas, creio que a porcentagem de pessoas que respondem a este tipo de desafios são as mínimas.

Mas via internet, em site que podemos publicar grátis, ou no mundo da blogosfera, tudo é rápido e a informação se multiplica entre os milhões de usuários da rede. Quem estiver lendo estas linhas até agora, é por que tem um interesse muito grande no tema desta aventura. Por si só, e de maneira gratuita, os filtros aplicados serão naturais, ao ler este artigo, evitando assim um desperdício de milhares de reais com impressões de folders, de revistas, para captar a atenção de pessoas no nosso imenso Brasil. Sempre será assim tipos de pessoas especificas, buscam temas específicos dentro de sua área na internet.

Quero te felicitar se chegasse aqui nestas linhas, isso me indica que você chegará até ao final do tema. Pedimos para você não deixar de dar sua opinião, ou de comentar entre seus conhecidos estes escritos. Se quiser me enviar um e-mail, nosso endereço esta no final deste texto.

O povo brasileiro é Generoso com missões, e também são muito inteligente, eles sabem onde realmente a obra esta sendo feita e onde ela esta sendo enfeitada. Onde os cultos são de missões, são de veras ou onde somente tem cultos de missões e ofertas missionárias, que ficam ali mesmo na igreja que arrecadou ou para um cofre centralizado. Como esta acontecendo nos eventos de missões, onde de paixão não tem nada, mas sim é puro mercado.

Se eu fosse esperar que alguém abrisse um Cofre desses para me oferecer o respaldo necessário, eu não estaria em preparativos para a viagem missionária. Se eu fosse esperar resposta de e-mail que mandei a certas pessoas que querem ter o “Comando” em suas mãos, não estaria indo ao Chile, pois na verdade é que quando se toca neste tema, os que têm o “Comando” não respondem e-mail e tão poucos retornam uma ligação telefônica. Quando são interrogados por pessoas, então a resposta mais imediata é aquela: “Vamos Orar Irmão.”

Tenho certeza que existem pessoas no Brasil Dispostas a acreditar e fazer parte neste projeto missionário e não somente acreditar, mas se envolver e verificar dentro do possível em terreno, onde estamos e o que estamos fazendo.

Estimado brasileiro (a) que esta me conhecendo através destas palavras, você não tem limites geográficos que te impeçam contribuir. Venha viajar juntamente conosco, começando por um sonho, seguido depois de uma investigação, terminando numa tarefa com muita emoção. (Lucas 10.17) E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam.

Meu Deus, o governo brasileiro, falam em reformas tributárias, reformas agrárias, etc. Reformas de leis que ficaram atrofiadas do século 19 ou 20, e dentro das igrejas que são filantrópicas, sem fins de lucros, que não pagam tributos nem mesmo passam por auditorias, pois ali dentro da igreja é tudo espiritual, até o dinheiro é sobrenatural, é segredo ministerial, ninguém nem faz idéia de quanto realmente se tem e que foi enviado ao campo missionário.

Precisa ser reformado o sistema missionário, canalizado por um mecanismo único, quem quiser fazer missões deveria estar fazendo dentro de uma organização transparente e única. Mas o que se vê é que cada um tenta fazer do seu jeito, cheio de defeito.

Nenhuma nação envia um exercito a uma guerra por conta própria e para seu bel prazer. Existem as alianças, os condutos de envio, e lá no campo de ação terá alguma organização a cargo daquela missão, certo?

É tão ampla a quantidade de pessoas que amam missões e que estarão lendo estas palavras. Pessoas que sentem um chamado de Deus para missões, alunos de seminário teológico, promotores de missões e milhares de pessoas de ambos os sexos e de todas as idades que gostam de ajudar de contribuir, que sabem ouvir, quando estão diante de uma narração missionária extraordinária. Eu agradeço muito as pessoas que sabem ouvir, para mim onde tem esse tipo de pessoas é o lugar para se falar de missões.

Sabem de repente me deparo com algo, que vou chamar de fenômeno, que a totalidade da igreja sabe ouvir, e chora quando ouve um missionário e contribui de coração, chegam até pegar dinheiro emprestado de alguém para doar as missões na hora que esta sendo levantada a doação.

Mas, tem lugares deste Brasil que nem a mão eles querem dar, é possível passar pelos corredores sem parar. Em dez minutos que terminou o culto, não tem mais ninguém dentro da igreja, nem mesmo na frente dela. Eu louvo a Deus pelas igrejas que fui e o povo nem queria ir embora, é realmente uma família unida, esse lugar é como diz a canção, “Onde flui o amor”.

Estamos buscando por este meio globalizado e inteligente, a internet, Pessoas do tipo que sabem Ouvir, que são Inteligentes e que não aceita paredes de impedimentos. Tem lugares que a ordem vem do púlpito: lá você não pode contribuir, com aquele missionário você nem pode falar e nem saber se tem uma conta bancária, isso é ditadura denominacional.

Buscamos pessoas livres, loucas por missões, apaixonadas, que queiram começar a viver esta aventura missionária, rompendo paradigmas quase papais, ortodoxos, e semear de verdade nas missões mundiais.

Queremos pessoas que acreditam que dando um copo d’água fria, Deus anota no seu caderno para depois recompensar. (Mateus 10.42) E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos, em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão.

O nosso Deus é tão especial, tão detalhista, que ele conta os cabelos da nossa cabeça. (Mateus 10.30) E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados.

Deus aplica uma engenharia sofisticada numa flor miúda, com suas cores vivas em um terreno nada apropriado, onde aquela flor a qualquer instante pode ser pisada pelo homem ou atropelado por uma roda. Se Deus que cuida das flores, recompensa pelos copos d’ água dado, conta os cabelos, como não te abençoará com tua contribuição para missões? (Lucas 12.28) E, se Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé?

Estamos indo ao Chile, (Novembro 2011) num tempo especial, pós-terremoto de 27 de fevereiro de 2010, no qual deixou mais de 110 Templos evangélicos destruídos em todo território chileno. E pós-vulcões Puyehue e Hadson, para começar lá um Ministério novo chamado ACA - Associação Centro de Alegria, para ganhar muitas vidas para Jesus, e levar muita Alegria em nome de Jesus.

Os Terremotos não nos assustam, nem mesmo as cinzas dos Vulcões que tem entrado em erupção nestes últimos meses. Mas o que nos assusta é ver como a tristeza se alojou nas casas, nas vidas e na sociedade chilena. Ela, a tristeza entrou pelo Luto e ficou, entrou pelo Divorcio e ficou, permanece a mais de 200 anos com cara de Depressão. A tristeza colocou a sua cadeira lá no coração dos chilenos e não quer sair, mas nos queremos colocar o trono de Jesus e ungir os chilenos com o Óleo de Alegria, para emancipar naquela nação na Alegria que é também a força de Deus. (Neemias 8.10) não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força.

Você pode nos escrever? Faça isso, por favor, comente com pelo menos duas pessoas mais, indicando o link do site onde estas lendo este Projeto. Podem copiar e colar, imprimir e xerocar, multiplicar e distribuir, encaminhar aos teus contatos, republicar em teu blog. Comece a partir de agora quem sabe tua primeira experiência missionária, isso será visto por Deus e recompensado por ele.

Queremos que faça parte da nossa rede social no facebook, no Orkut, no MSN, queremos que nos escreva, se tiveres algum artigo de tua autoria sobre missões que queira nos enviar, agradeceríamos de todo coração.

Não fique olhando as condições e proibições impostos por certos meios religiosos, lançar o teu pão sobre as águas é responsabilidade individual de cada cristão. (Eclesiastes 11.1) Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás.

Visitar os órfãos e a viúvas é responsabilidade de cada um também. (Tiago 1.27) A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.

Dar de comer ao que tem fome, vestir a quem tem frio, não é responsabilidade do pastor “profissional”, mas é particular de cada um principalmente de pessoas como você, que tem um coração de Missionário. (Mateus 25.35) Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me.

Não vamos profissionalizar as missões, não vamos deixar que elas sejam feitas só detrás de um monitor de led de um notebook, vamos fazer missões livres, diretas, de corpo a corpo onde realmente elas estão acontecendo.

Não chame a tua contribuição de grão de areia, chame-a de semente. (Salmos 126.6) Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

Agora imagina uma coisa; que beneficio terá jogar a tua semente no meio de um canavial que se perde de vista, no meio de dois milhões de terra de plantio? Não vai aparecer, nem prosperar. Agora imagine também se você coloca a tua semente num vaso de barro, onde você pode ver a semente nascer, crescer e dar frutos? Não jogue tua semente fora, coloque no terreno fértil, que precisa de ajuda real.

Para pessoas inteligentes e que amam as missões queremos responder os e-mail e através de e-mail indicaremos como canalizar tua contribuição. Enquanto isso nós vamos seguir incentivando os brasileiros a serem Promotores de Missões, juntamente conosco na Republica do Chile. Podemos responder suas perguntas e podemos falar mais sobre o Chile em correios pessoais, onde você nos indicar para te escrever.

1. Terá uma mulher de Deus neste amado Brasil que queira nos ajudar?



2. Terá um fazendeiro neste gigante território do Brasil em querer adotar esse projeto?



3. Terá jovens dinâmicos do Sul ao Norte, de Oceano ao Interior brasileiro que queira fazer parte deste projeto?



4. Terá homens de Deus nas regiões do Brasil, com visões de Deus de contribuir com Missões?



5. Onde estão as viúvas do Brasil que ajudam os Missionários?



6. Onde estão aquelas famílias inteiras que gostaria de abraçar esta causa? Onde estão aquelas pessoas extrovertidas com coragem de difundir este projeto entre seus contatos da internet?


7. Terá algum empresário na área de Editora, disposto a lançar os livros do Centro de Alegria?



8. Onde estão os camioneros que viajariam milhares de kilometros para ir ao Chile?



9. Onde estão aqueles amados que gostam de ver os outros felizes com doações feitas do seu coração?



10. Onde estão os donos de lojas, que topariam o desafio de vestir os missionários?



11. O onde está os donos de mercados com um coração grande para fazer o rancho dos missionários?


12. Onde estão os cirurgiões dentistas, que oferecem o tratamento dos dentes de um missionário?



13. Você homem do campo por que não faz uma oferta em arroz, feijão, batata ou gado?



14. Onde estão os Aposentados com corações generosos de amor pelas almas sem Cristo?



15. E onde estão as crianças e os adolescentes que queiram ser os nossos promotores keds de missões? Hei! Fala com o teu pai, avo, tio, amigo internauta xD, sobre nós.

Comecei a ser missionário com dez anos de vida. Fiquei 6.333 dias no Chile como Missionário e agora com 42 anos de idade estou voltado para lá, mais maduro, mais responsável, com a mesma coragem, com a mesma fé e com o mesmo amor.

Aceite este Desafio vindo da parte de Deus, como sendo um compromisso de amor. Não faça como aqueles que só dizem: “Vamos Orar Irmão.”
Não faça de cego como alguns diante de e-mail missionários, pois não querem compromisso.

Esse clamor missionário não pode ficar como aquelas ligações telefônicas que tocam e tocam até cair na caixa de mensagem.



Deixe de buscar noticias loucas na internet, de casamentos estranhos, de escândalos religiosos, etc., e entre neste tema de Missões e então a Alegria vira aos borbotões, depois me conta o que Deus irá fazer por ti, quando você souber dar ouvido a este nosso chamado.

Jesus foi o maior responsável sobre missões e veja o que ele disse ao enviar os seus missionários. (Lucas 22.35) Quando vos mandei sem bolsa, alforje, ou alparcas, faltou-vos porventura alguma coisa? Eles responderam: Nada.

Pr. Teófilo Karkle e sua esposa Mis. Ivone Karkle está no Chile levantando uma grande Obra e gostaria muito de te conhecer nessa imensa nação.









Conta corrente Banco do Brasil 18.491-8 Agencia 3078-3 em nome do Pr. Teófilo Karkle



PASSE A CORDILHEIRA DOS ANDES E AJUDE-NOS (ATOS 16.9)

CENTRO DE ALEGRIA - QUE MINISTÉRIO É ESSE

Pr. Teófilo Karkle

Você esta conhecendo através deste artigo o Centro de Alegria, o mais novo Ministério criado a fim de oferecer aos seres humanos através da Palavra de Deus, uma porta de escape dos conflitos que os afligem.

Por todos os lados, em todas as camadas sociais, em todas as circunstâncias econômicas se podem ver pessoas tristes por centenas de motivos, citaremos os mais comuns:

Tristeza causada pelo Luto, pois perderam um ser querido.

Tristeza causada pelo Divórcio, onde a pessoa não consegue sentir-se novamente livre.





O Centro de Alegria existe para dizer a estas pessoas que sim há uma saída, que é possível voltar se alegrar, voltar a sorrir, voltar a sonhar:

Sonhar com o futuro, com o amor, com a vida.

Tristeza causada por perdas, diferentes tipos de perdas: do emprego, da empresa, do veículo, da casa, da namorada (o) da saúde, etc.

Centro de Alegria é um Ministério inovador enfocado na Palavra de Deus, com finalidades especiais de trabalhar com a saúde mental e espiritual de seres humanos que outrora foram felizes e alegres, mas que no momento necessitam ser restaurados, pois passaram por alguma dificuldade severa em suas vidas e se encontram feridos, caídos, sem forças para continuar a viver.

A Bíblia fala no Óleo de Alegria em Isaias 61 este Óleo não é outra coisa senão a pessoa do Espírito Santo mesmo, promovendo Alegria no interior de cada vida. Se puder dizer que o Fruto do Espírito tem nove gomos como de uma vergamota, o segundo gomo mencionado por Paulo em Gálatas cinco é a Alegria.

O texto chave do Centro de Alegria esta em Isaias 61 a qual transcrevemos a continuação, parafraseando e adaptando a nossa realidade: O Espírito do Soberano Senhor está sobre o Centro de Alegria porque o Senhor ungiu-o para levar boas notícias aos pobres. Enviou-o para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros, para proclamar o ano da bondade do Senhor... Para consolar todos os que andam tristes, e dar a todos os que choram no Chile uma bela coroa em vez de cinzas, o óleo da alegria em vez de pranto, e um manto de louvor em vez de espírito deprimido. Então estamos autorizados por Deus para fazer estas três trocas emocionais:

Trocar as Cinzas, que são as lembranças do passado por uma bela coroa.

Trocar o Pranto, o choro, por óleo de alegria e por ultimo trocar o espírito deprimido, amargurado, angustiado, por vestes de louvor.

Ou seja, as pessoas que passar pelo Centro de Alegria, voltará a cantar, sorrir, sonhar.

Aqui no Chile existe uma Igreja fora da Igreja, sem exageros, mas uns 40% são irmãos feridos, extraviados e abandonados no meio da guerra, a eles queremos encontrar, consertar, levantar, fortalecer, alegrar.

Outra área que não podemos esquecer é das crianças e adolescentes, em sua idade tão terna, tão prematura, estão metidos em angustias devastadoras, avassaladoras, e destrutivas. Elas precisam conhecer a Jesus urgentemente como Salvador, através do Centro de Alegria, este Resgate será possível realizar.

Crianças que foram violentadas, crianças que foram abusadas, crianças que nem estão estudando.

Por tanto, o Centro de Alegria precisa de Recursos Econômicos para ser configurado, formado, precisamos de doações de nossos amigos e conhecidos, para que possa funcionar, progredir e restaurar muitas vidas.

Vamos chamar as pessoas que nos ajudarem de Promotores da Alegria, você pode ajudar esse povo tão castigado por seca, terremoto, tsunami, vulcões, nevações, aluviões de neve.

Convidamos você a nos ajudar, fazendo doações para o Centro de Alegria, como geograficamente estamos separados pela Cordilheira dos Andes, pois estamos aqui no Chile, mas afetivamente, amistosamente, irmanadamente pode estar conosco aqui no Chile, acompanhando nosso trabalho pelas redes sociais, pelos blogs e enviando uma contribuição esporádica mensal de amor.

Quando você fizer uma Doação de qualquer valor, lembre-se que serão transformadas em Cadeiras, Mesas, Camas, Materiais de Escritório, Gastos com Luz, Água, Internet, Telefone, Calefação, Alimentos, Gastos Administrativos, Manutenção, Documentação, Impostos, tudo que o Centro de Alegria precisa, etc.

Sinto que Deus tocará no seu coração e no coração de pessoas de todos os extratos sociais, jovens, crianças, empresários, profissionais, militares, empregados, aposentados, viúvas, amigos.

Sinto que tua alegria vai aumentar ao poder ajudar este Ministério Social e Restaurativo.

Sinto que neste momento teu coração já esta dizendo, sim, quero ajudar, podem contar comigo.

Tuas doações deverão ser em Depósito Bancário na conta corrente do Banco do Brasil C/C 18491-8 Agência 3078-3 anote este número com carinho na sua agenda.

Não se esqueça de nos informar o dia e o valor depositado através do nosso e-mail centrodealegria@hotmail.com

Estaremos orando sempre por ti, por teu trabalho, pela tua empresa, pelo teu negócio e por sua família e com certeza acontecerá uma virada na tua sorte e nos teus empreendimentos, pois Deus promete abençoar desde um copo de água fria que deres a quem necessita, imagina agora em dar para que nosso Ministério seja mantido e sustentado?

Eu lhes digo a verdade:

Quem lhes der um copo de água em meu nome, por vocês pertencerem a Cristo, de modo nenhum perderá a sua recompensa. (Marcos 9.41)

Estendemos este Convite a Missionários brasileiros que tenham coragem, fé, amor e recursos economicos para que venham nos Ajudar, pois é muito grande a Missão.

Lançamos este Convite a Igrejas brasileiras que queiram Adotar o Centro de Alegria e nos ajudar a salvar vidas e Restaurar a Alegria.

Não precisamos ir tão longe como na Africa ou na India, Chile tão perto do Brasil esta cheio de carências.

Passe a Cordilheira dos Andes e ajude-nos.

Abraços desde Peñalolen – Chile.

Abraços desde o Centro de Alegria.

Feliz 2012 - Pastor: Teófilo Karkle e esposa, Missionária Ivone Karkle







quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

LEGALIDADE MISSIONÁRIA


Pr. Teófilo Karkle
CENTRO DE ALEGRIA


Cada Missionário no Planeta Terra precisa trabalhar com esta ferramenta chamada Legalidade Missionária, fora disso pode viajar por muitos países, mas será apenas um Turista.
E a diferença entre Turismo e Legalidade é a seguinte: O turista ele vem, passa e volta, ele não toma posse da terra. O Missionário toma Posse da Terra e tem a Legalidade de Deus sobre ela, para determinar, decretar a Palavra de Deus sobre ela e pra ela.

Lembramos que em cada terra tem os demônios daquele lugar, eles não vão querer perder seu território com facilidade, mas o Missionário com Legalidade ele recebe a autoridade de Deus para desfazer as obras do Diabo naquele país.

Anunciando liberdade aos cativos, e libertação das trevas aos prisioneiros. Imagina Satanás perdendo as pessoas que por anos manteve suas mentes com cinza, ver agora recebendo uma bela coroa de liberdade. Pessoas que estavam vivendo no pranto, receber agora o Óleo de Alegria, o próprio Espírito Santo. Ademais perder as pessoas que ele havia colocado um espírito angustiado por um manto de louvor, manto que, quem usa é rei, uau, que lindo é o Senhor Jesus.

O turista enche a sacola de coisinhas da terra para presentear aos seus queridos. O missionário com Legalidade ele se estabelece, faz de tudo para adotar a cultura que o hospeda. O Missionário passa a viver no meio do povo, falando como eles, comendo como eles, se vestindo como eles. Se por exemplo andar com uma camiseta verde e amarela escrita no meio a palavra Brasil, ele não esta fazendo Missão, ele esta fazendo Turismo ou Propaganda da sua terra, fechando a porta para a adoção cultural nativa.

Legalidade é o mesmo que Autoridade, mas não pode ser usada para o seu bel prazer ou para vingar-se da algo mal que se apresenta no seu caminho, como fez Elias, dando morte a 42 meninos, pois ele não gostou que o chamasse de careca, sendo que de fato era careca.

A melhor coisa é rir com o povo, pois qual Missionário que hoje não é um pouco careca, um pouco gordo? Ele estaria mostrando sua maturidade si se ri do seu defeito, quem não tem um pé grande, terá uma orelha, ou um nariz, se salva quem pode.

Legalidade é poder para curar a morte, seja onde ela esta, ou na fonte d’água amarga, ou na panela como fez Elizeu. A morte esta rondando hoje vidas, casais, profissionais, igrejas, precisa-se de Missionários aqui no Chile com a Legalidade de Deus para decretar vida. Queres vir nos ajudar? Envie-nos um e-mail que encontrarás no final deste artigo.

Algo novo recebemos do Senhor aos 44 dias de Missão no Chile, quando um pastor chileno com sua esposa uma pastora brasileira, com ampla trajetória missionária na America do Sul, orou por nós, dando o Bem Vindo a esta terra e falando da Legalidade de Deus sobre nossas vidas no Chile, para falar a Palavra de Deus com Autoridade e por via correta.

Na sua oração ele mencionou que muitos missionários que passaram por aqui, trataram de apenas ser conhecido no país, fazendo propaganda de si mesmo, mas que Deus queria de nós que fizéssemos a Propaganda de Jesus. Falou que o demônio do orgulho é difícil de identificar-lo, que ele se esconde, mas na sua influência muitos caíram dizendo: eu fiz, eu sou o melhor, eu sou o cara.

Deus falava conosco no Brasil em sete meses de preparo, no livro de Deuteronômio, não te parece estranho que neste livro tem palavras Missionárias as quais transcrevo aqui? Vocês estão a ponto de atravessar o Jordão e de tomar da terra que o Senhor, o seu Deus, lhe esta dando. (Dt 11.31) Logo falava também: O Senhor, o seu Deus, o atravessará pessoalmente à frente de vocês… Vocês tomarão posse da terra delas. O Senhor as entregará a vocês, e vocês deverão fazer com ela tudo o que lhes ordenou. Sejam fortes e corajosos.

Não tenham medo nem fiquem apavorados por causa delas, pois o Senhor, o seu Deus, vai com vocês; nunca os deixará, nunca os abandonará. (Dt 31.3,5 e 6) E por ultimo Deus nos falou em: Pois o Senhor, seu Deus, os esta levando a uma boa terra, cheia de riachos e tanques de água, de fontes que jorram nos vales e nas colinas; terra de trigo e cevada, videiras e figueiras, de romãzeiras, azeite de oliva e mel; terra onde não faltará o pão e onde não terá falta de nada; terra onde as rochas têm ferro e onde vocês poderão extrair o cobre das colinas. (Dt 8.7-9)

Pronto já estamos vivendo estas promessas, estas verdades, já temos tomado posse da terra, já estamos comendo pão com abundancia aqui no Chile, já estamos na terra das vinhas, já estamos na terra do cobre. Já estamos desatando espíritos angustiados e já estamos liberando espíritos angustiados e trocando a cinzas por brasas vivas.

Você que leu este artigo até agora, recebe da parte de Deus a ordem de Contribuir com a nossa Missão e verás os céus se abrindo sobre você. Abençôo-te desde o Chile e finalizamos dizendo que estamos buscando muitos irmãos que queiram colocar o seu ombro ao nosso lado, que queiram passar a Cordilheira dos Andes com tua oferta de amor todos os meses.

Durante a noite Paulo teve uma visão, na qual um homem da Macedônia estava em pé e lhe suplicava: Passa a Macedônia e ajude-nos. (Atos 16.9)

Em Cristo Jesus, Senhor das Missões.

Pr. Teófilo Karkle
CENTRO DE ALEGRIA

A MULHER BRASILEIRA E AS AFEGÃS

Por D. César, da missão Interserve Brasil-CEM

A capa da revista Veja de 19 de maio traz uma rica e bem apresentável mulher brasileira e, no canto superior esquerdo, duas mulheres afegãs cobertas pela típica burca azul.

A brasileira ilustra a reportagem de capa de 15 páginas "O milionário mora ao lado". As afegãs ilustram a reportagem de mesmo número de páginas "Afeganistão – um inferno para as mulheres". A primeira reportagem afirma que seis brasileiros de classe média se tornam milionários a cada hora – em outras palavras, temos um novo milionário a cada 10 minutos no Brasil. Incrível.



A segunda reportagem afirma que 57% das afegãs se casam antes da idade mínima permitida por lei, de 16 anos – e, claro, com maridos geralmente mais velhos, escolhidos por outros. Incrível também.



No Afeganistão apenas 15% das mulheres com mais de 15 anos sabem ler e escrever.

Mais incrível ainda é saber que 87% das desnutridas afegãs sofrem violência física, sexual ou psicológica – 82% destas dos próprios familiares (leia-se maridos, na maior parte dos casos).


Não dá para continuar insensível. Só não vê quem não quer. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. A capa da revista é uma pregação por si mesma.



O contraste atesta mais uma vez que o Brasil evangélico de hoje tem condições e obrigações de fazer muito mais pelos seus pobres e pelos pobres do mundo afora. Ainda mais os pobres que não conhecem a graça redentora de Jesus. Pelo menos por amor e temor a Deus, criador de todos neste mundo, e por gratidão àqueles que deixaram sua zona de conforto e vieram dividir conosco esta "maravilhosa graça" – não muitos anos atrás.
Está mais do que na hora de deixarmos de ouvir a vergonhosa estatística de que o brasileiro contribui, em média, com míseros R$ 2,30 para missões – o equivalente a um refrigerante por ano. Nós podemos e devemos ser e fazer muito mais do que isso.

Que Deus tenha misericórdia de nós.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

FAZER MISSÕES PODE SER PERIGOSO

Por John Piper

Devo considerar não fazer missões se isso implica perigo constante para minha vida?

Sim, considere. Mas, depois de haver considerado a questão, talvez você deva fazer missões.

Se a sua esposa diz: “Não”, talvez você não deva se envolver em missões.

Suponho que você está falando de perigo real tanto para si mesmo como para sua esposa, e não está falando de colocar sua esposa em risco porque têm uma posição segura e excelente. Se isso é o que você está querendo dizer, então você é egoísta e não deve fazer missões de modo algum.

Mas, se você quer dizer: “Devo seguir uma chamada que põe em risco a mim, minha esposa e meus filhos?”, eu diria: sim, porque, se todos seguirem o caminho oposto, a Grande Comissão nunca será terminada.

A menos que você esteja dizendo que a Grande Comissão deve ser terminada somente por solteiros. “Deixemos os solteiros sofrer. Somos pessoas casadas, não devemos sofrer. Casamos e, assim, escapamos do sofrimento.” Não acho que o Novo Testamento ensina isso.

Essa foi a razão por que Jesus disse: “Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher... não pode ser meu discípulo”. Jesus não usou a palavra “aborrece” no sentido de ódio para com os parentes. Ele a empregou no sentido de que você assume riscos ao ponto de sua avó dizer que você age como se a odiasse. Você sabe que não a odeia. Você a ama, assim como ama todas as pessoas que está tentando alcançar com o evangelho.

Não tenho critério final e preciso a respeito de quando fugir e de quando permanecer. Essa é a velha ênfase sobre a qual John Bunyan escreveu em seu livro Advice for Sufferers (Conselho para Aqueles que Sofrem).

Bunyan escolheu passar 12 anos na prisão quando poderia ter saído da prisão. Ele tinha uma esposa e quatro filhos, um dos quais era cego. Ele poderia ter ficado livre da prisão se apenas tivesse assinado a confissão: “Eu não pregarei mais”. Mas ele escolheu permanecer preso, e isso colocou sua família em grande risco, com pobreza.

Por isso, ele escreveu a obra Advice for Sufferers (Conselho para Aqueles que Sofrem), na qual ele oferece exemplos bíblicos de pessoas que fugiram, como Paulo quando escapou de Damasco, sendo descido num cesto pela muralha, em vez de ser corajoso. É como se disséssemos: “Ei, Paulo! Por que você está sentado em um cesto, sendo descido pela muralha e fugindo de dificuldades?” Há também exemplos de Paulo lançando-se, por assim dizer, aos leões em Éfeso ou em Filipos, indo para a prisão e mostrando-se disposto a receber açoites.

Quando você fica e quando você foge?

Bunyan diz: “Deus lhe mostrará”.

Portanto, não acho que seja automática a sua escolha de preservar a si mesmo, sua esposa, seus filhos do risco, do perigo e do sofrimento. Haverá momentos em que você sentirá: “Sim, é tempo, por causa do Reino e de tudo que está envolvido, de que eu mude para outro lugar e outro ministério”.

Não é uma resposta simples. Não tenho uma resposta simples a respeito de quando tomar essas decisões.



Traduzido por: Wellington Ferreira

Editora FielFonte: Editora Fiel

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Cultivando uma Cultura Missionária numa Igreja Pequena



Tom Ascol é o pastor da Grace Baptist Chruch em Cape Coral, na Flórida e Diretor Executivo do Ministérios Founders, nos EUA.



Pastor, você já pensou consigo mesmo: “Minha igreja é tão pequena, não podemos fazer muita coisa por missões, principalmente por missões no estrangeiro”?


Caso sua resposta seja positiva, tenho uma novidade para você. As igrejas pequenas não estão isentas do trabalho missionário, nem deveriam desejar estar.


Minha igreja, Grace Baptist (Batista da Graça), não possui todos os recursos que geralmente estão associados às igrejas que investem em missões com intensidade. Mas, pela graça de Deus, eis a maneira pela qual nos tornamos cada vez mais comprometidos com o avanço da causa de Cristo ao redor do mundo:


1) Pregação Expositiva


É lógico que as Escrituras estão repletas de instruções para os crentes, bem como para as igrejas, acerca do plano de Deus e de nossa responsabilidade de espalhar as boas-novas da salvação em Cristo até os confins da terra. À medida que nossa igreja enxergou essa responsabilidade, repetidas vezes, por meio do estudo expositivo das Escrituras, partimos do consentimento teórico para um compromisso prático e zeloso.


2) Oração Intencional


Depois, nossa igreja começou a orar de forma fervorosa “ao Senhor da seara”, para que mandasse “trabalhadores para a sua seara” (Lc 10.2). Começamos a orar dessa maneira nas orações feitas pelos pastores durante nossos encontros de adoração, em nossas reuniões regulares de oração e nas reuniões de pequenos grupos. Deus respondeu àquelas orações, chamando alguns de nossos membros mais fiéis e talentosos para dedicarem-se a alguns dos povos menos alcançados do mundo.


3) Estudos voltados para missões Dois livros foram muito úteis na peregrinação de nossa igreja rumo ao envolvimento prático em missões. O primeiro foi o livro de Patrick Johnstones, Operação Mundial (este livro foi chamado anteriormente de Batalha Mundial: guia para intercessão pelas nações).


Durante mais de uma década, incorporamos em nossos avisos semanais e reuniões de pastores, informações estatísticas e espirituais, extraídas desse livro, a respeito das nações. Isso sensibilizou os membros de nossa igreja em relação aos povos e lugares, que de outra forma, teríamos ignorado.


E também, uma das melhores coisas que fizemos foi utilizar o livro de John Piper, Let the Nations be Glad (Alegrem-se os Povos – Cultura Cristã) nos estudos para adultos, em nossa escola dominical. A visão da glória de Deus sendo magnificada pela alegria dos povos ainda não alcançados cativou muitos de nossos membros. Ele continua sendo o livro favorito da igreja.


4) Relações Pessoais


Finalmente, nossos esforços missionários começaram praticamente por meio de encontros providenciais e relações pessoais. Um missionário batista do sul, que havia acabado de voltar de um período de quatro de anos no Afeganistão, visitou nossa igreja e trouxe-nos notícias de primeira mão, as quais causaram um impacto duradouro em nossa igreja: prisioneiros que morreram de fome porque seus companheiros não tinham recursos para alimentá-los; crentes que se converteram do Islã e eram mortos ou simplesmente desapareciam; e assim por diante.


Esse relacionamento pessoal nos levou a adotar um grupo de pessoas de um povo não alcançado, na Ásia central, o qual aquele missionário desejava atingir. Começamos a aprender sobre eles, a orar por eles e a empregar recursos para ajudar a alcançá-los com o evangelho. Finalmente, Deus nos levou a enviar um de nossos diáconos e sua família para se unir ao trabalho de tempo integral daqueles que já estavam trabalhando naquele país.


Uma vez que alguns de nossos próprios membros estavam vivendo em meio ao nosso grupo de pessoas não alcançadas, nosso interesse pela obra do evangelho naquela parte do mundo aumentou consideravelmente. Nossas orações tornaram-se mais pessoais e fervorosas. Nossas ofertas passaram a ser mais significativas e sacrificiais E nosso regozijo ficou ainda mais profundo e agradável quando, pela graça de Deus, uma igreja finalmente foi estabelecida entre os novos convertidos daquele grupo de pessoas.


Ao longo dos anos, enviamos quatro missionários (três famílias e um adulto solteiro) para viver em lugares desagradáveis, a fim de tornar Cristo conhecido. Adotamos um outro grupo de muçulmanos não alcançados, na Ásia central, e temos nos alegrado com o nascimento de uma nova igreja.


Uma Cultura Missionária


Por meio da pregação expositiva, da oração e de estudos especiais, Deus tem cultivado uma “cultura missionária” em nossa igreja. Além daquilo que já mencionei, temos várias atividades específicas para promover essa cultura:

Agendamos visitas com missionários confiáveis regularmente, para que nos falem acerca de seu trabalho. Tentamos encorajá-los e damos-lhes ofertas, principalmente bons livros.

Procuramos conhecer missionários (às vezes, perguntando sobre eles a crentes com discernimento), anunciamos suas necessidades e oramos sistematicamente por eles.

Cedemos espaço, em nossas dependências, para mapas e murais de atividades missionárias.

Lembramos das datas especiais e do aniversário dos missionários, e lhes enviamos mensagens atenciosas e ofertas.

Recrutamos membros da igreja para se corresponderem com os missionários.

Encorajamos os membros da igreja a ler bons livros missionários, incluindo biografias.

Treinamos e enviamos membros da igreja em viagens de curto prazo, para auxiliar os obreiros que estão no estrangeiro com projetos especiais ou simplesmente para servi-los e encorajá-los. Deus tem usado as viagens curtas para confirmar o seu chamado na vida de cada um dos missionários que temos enviado.

Trabalhamos para aumentar a quantidade de dinheiro que a igreja destina para missões.

Nenhuma dessas coisas parece ser muito importante por si só. Mas, de modo coletivo, elas podem encorajar a igreja a desenvolver uma perspectiva global acerca do avanço do evangelho. E não somente isso, elas são o tipo de coisa que toda igreja pode fazer, independentemente de seu tamanho ou recursos. Uma igreja com esse tipo de atmosfera pode tornar-se um solo fértil para cultivar a próxima geração de missionários internacionais.


Traduzido por: Waléria CoicevTraduzido do original em inglês: Cultivating a Culture of Missions in a Small Church&Fonte: Editora Fiel

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

RTA - RELATÓRIO TRANSCULTURAL NA AMAZÔNIA


Amazonas, 2011

“Enquanto pregamos nos púlpitos de nossas igrejas que Jesus vira pela segunda vez, existem povos, raças, tribos, línguas e nações na Amazônia que ainda não sabe que Ele já veio pela primeira vez.”

Graça e paz
Nestes últimos messes tenho me dedicado ao aprofundamento da palavra de Deus e também estudando estratégias de como comunicar a palavra de Deus de uma forma simples e relevante observando o pensamento, comportamento e modo de agir do povo da Amazônia.


Visitei comunidades de Caboclos Ribeirinhos no Amazonas que vivem em suas casas flutuantes e que tiram dos imensos rio seu sustento diário e visitei também os povos Indígenas que vivem nas densas florestas do grande estado do Amazonas e que em sua maioria das vezes em lugares isolados de difícil e perigosos acesso.


Pude perceber que os povos Amazonenses é um povo Social, em um só dia das 8 famílias visitadas na calha do médio Rio Negro todas ofereceram algo pra comer ou beber, o mais popular e o Chibé (farinha da mandioca com água) ou o cafezinho com tapioca ou um refresco/suco de frutas regionais como o Cupuaçu e o Açaí, os Amazonenses também são um povo Religioso com alto índice de sincretismo religioso, das 8 famílias visitadas naquele dia sem exceção todas tinhas uma foto ou uma imagem de um ídolo como seu protetor e que fui herdade das gerações passada e todos falam em Deus, inclusive aqueles que eu encontrei alcoolizados, fumando ou praticando algum tipo de benzimento ou uma pajelança ora praticado por algum motivo, complementada com oração do Pai Nosso e uma Ave Maria, bem nos moldes Católico Romano.


Tentando entender porque esse povo esta mergulhado neste imenso emaranhado de religiosidade sem pé e sem cabeça onde nem eles mesmos entendem porque praticam ou agem daquela maneira.


Numa tarde sentando no banco de uma canoa na beira do rio conversando com alguns homens que trabalhavam na construção de um Barco a beira do Rio Negro ouvi os seus relatos e comecei a entender um pouco porque o povo age desta maneira e depois interagindo e conversando com mais pessoas e participando do dia a dia deles e pesquisando na internet e nos livros e outros fontes, pude ter um breve panorama da situação.


Com a chegada das expedições de colonizadores (Holandeses, Portugueses e outros) que juntos trouxeram seus Frades-Missionários como os Capuchinhos, Franciscanos, Mercedários, Jesuítas e Salesianos o povo recebeu de bom grado tudo que eles apresentaram como opção, inclusive a fé destes novos visitantes que transmitiram como algo importado de um pensamento puramente Grego-Romano, forçando o povo a aceitar porque eram visto como almas pagãs e aos poucos o povo vai abandonando suas antigas tradições e praticas ou juntar as suas antigas crenças e práticas com o novo que estava chegando e foi assim que este povo tão sofrido do norte do Brasil, e cristianizado e tornaram em um povo de sincretismo religioso que foi fortalecido com a queda desses primeiros missionário-Colonizadores.


BREVE ESTATITICAS dos POVOS CABOCLOS e RIBEIRINHOS do AMAZONAS:


Das 34 mil comunidades de Caboclos Ribeirinhos 17 Mil não tem uma Igreja Evangélica, não tem um Missionário, não conhecem Jesus e estão morrendo sem esperança de um futuro Glorioso com Cristo. Esse numera representa 1,7 milhões de Caboclos Ribeirinhos sem cristo.


Logo após os Caboclo-Ribeirinhos os Indígenas também passam a receber esta mensagem, mas com alguns agravantes onde os primeiros missionário-colonizadores os tratavam como selvagem e sem alma, mas que poderiam ser domesticados e usá-los nos serviços pesados, e foi assim que os missionário-colonizadores fizeram fundaram suas missões, conquistava o povo à força os dominava e ensinava um novo padrão de vida e os disciplinavam para o trabalho forçado.


Depois vieram os fazendeiros, comerciantes, os patrões e os garimpeiros, que também viram a possibilidade de tirarem proveito destes preciosos nativos e nas riquezas de suas terras como os minerais, a Fauna a e Flora que rondavam essas comunidades indígenas, assim esse povo foi se sentindo ameaçado e acuado em seu próprio território e na busca de adquirir sua liberdade, resistiram, lutaram, morreram e mataram.


BREVE PANORAMA das ESTATISTICAS INDÍGENAS EM NOSSO PAÍS:


Em pleno século XXI a grande maioria dos brasileiros ignora a imensa diversidade de povos indígenas que vivem no país. Estima-se que, na época da chegada dos europeus, fossem mais de 1.000 povos, somando entre 2 e 4 milhões de pessoas.


Atualmente encontramos no território brasileiro 340 povos sendo que reconhecida oficialmente 238 povos, falantes de mais de 180 línguas diferentes.


Os povos indígenas somam, segundo o Censo IBGE 2010, 817.963 pessoas. Destas, 315.180 vivem em cidades e 502.783 em áreas rurais, o que corresponde aproximadamente a 0,42% a população total do país.


A maior parte dessa população distribui-se por milhares de aldeias, situadas no interior de 669 Terras Indígenas, de norte a sul do território nacional.


Temos no Brasil um grupo de povos isoladas 27 etnias, parcialmente isoladas 10 etnias, 25 etnias a pesquisar, 111 etnias em processo de urbanização, 9 etnias possivelmente extintas e 41 etnias ressurgidas.


Um dos motivos que leva o povo a um processo de isolamento e extinção é concerteza fruto do processo de conquista e exploração da Amazônia. Esses grupos que eu quero aqui classificálos de Isolados ou Arredios por opção, fazem parte daquele grupo mais perigosos, desconfiados e sem Jesus. 3 Bíblias completas traduzidas, 32 Novos testamentos traduzidos, 23 porções da Bíblia traduzida.


Existe neste imenso país 121 etnias pouco ou não evangelizadas. Hoje temos 152 Igrejas Genuinamente Indígenas plantadas em solo Brasileiro
Visitei também mais 65 comunidades indígenas em vários estados do nosso imenso pais, onde pude ver de perto a ação do todo poderoso, indígenas crentes querendo sair de suas aldeias pra irem em busca dos outros patrícios que estão morrendo sem Jesus.


No final contabilizei mais de 137 vidas que se entregaram a Jesus durante essas visitas, Honra ao Eterno.


Congresso do CONPLEI em Roraima.


Estiverma presentes mais de 400 pessoas de 13 etnias diferentes como:


Os Yekuana (5),

Wai Wai (48),

Kaxuyana (6),

Hiskariana (5),

Macuxi (108),

Ticuna (7),

Mayoruna (1),

Waimiri – Atroari (1),

Wapichana (53),

Yanomami (50),

Baré (1),

Terena (1),

Satere-Mawe (1),


Durante 4 dias ouvimos a mensagem de Cristo pregado na língua materna de cada etnia presente, louvores, testemunhos edificantes, danças, artes, pinturas e o colorido dos cocares ornamentavam cada apresentação que engrandecia o Eterno.


RESGATADO do INFANTICIDIO:
- Renato Sanuma testemunhou e apresentou a criança que ele salvou do infanticídio.


- Os Sanuma trouxeram uma mulher que estava com o rosto sarcástico, triste, abatida, e revoltada o motivo foi que o esposo a abandonou e ela revoltada pisoteou sobre sua criança de 4 messes ate morrer, Por isso a tristeza profunda e aparência de rosto sarcástico, reuni os mais de 30 pastores para orarem por ela, e depois gastamos tempo apresentando Jesus, no final ela entregou seu coração a Jesus e instantaneamente muda a sua fisionomia.


TESTEMUNHOS EDIFICANTES:


- Uma jovem Sanuma testemunhou como fui curada dos rins enquanto fazia modialise em Boa Vista – RR, após receber visita de crentes que oraram por ela.


- Os Yanomamis foram a etnia que mais reivindicaram querendo missionários e também querem que seus filhos estudem a Palavra de Deus e que alguém os ensinem a tocar violão, denunciaram também que sua liderança através da organização Hutukara, (liderado pelos Kopenawa) esta os intimidando e dizendo que não podem falar de Jesus. Apresentaram também um grande numero de infanticídio que esta sendo praticado entre eles.


Empoderamos como representante do CONPLEI: Pr. Nazario Wapixana, Pr. Debrão Macuxi, Pr. Waldemiro Wai Wai e o Jovem Jorge HIskariana.


Foi Apresentado a vida e obra de EUKA O pajé de Cristo, através de Slides durante 2 dias.


Muita oração e intercessão pelos indígenas do Brasil.
Foi um Congresso totalmente diferente dos outros.
Na oportunidade foi aprovado que em Outubro de 2012 será realizado um Congresso Indígena do CONOPLEI entre os povos Yanomamis na comunidade PALIMIU.


Também aprovamos o envio de 4 alunos para o seminário teológico, sendo que 2 em Manaus e 2 em Roraima, e já conseguimos as vagas para os dois.


IGREJA GENUINAMENTE INDÍGENA em MANAUS.


Na liderança do Pr. Domingos Ticuna, tem dado frutos, como estão crescendo na palavra e fazendo diferença entre os mais de 20 mil indígenas de 70 etnias urbanizadas em Manaus. Desde o inicio do ano de 2011 quando foi plantada estão se reunindo no centro cultural Ticuna, mas Já adquirimos um belo terreno e estamos orando a Deus pelos recursos para que possamos construir um templo maior pra melhor acomodar os preciosos irmãos.


MINISTERIO com HAITIANOS em MANAUS


A nossa igreja continua crescendo e investindo em missões, já fazem 3 meses que adotamos 22 Haitianos sobrevivente do terremoto em seu país, eles estão morando conosco na igreja, 11 deles já são crentes e de alguns já tiramos a documentação necessária e para 10 deles já conseguimos um trabalho conforme as necessidades. São inúmeras as necessidades deles.


Em fevereiro iniciaremos a segunda etapa deste projeto onde enviaremos 6
deles pro Rio de Janeiro onde eles em parceria com as Igrejas locais estarão trabalhando e estudando TEOLOGIA e MISSIOLOGIA para que depois de 4 a 5 anos eles possam voltar a seu pais de origem como missionários autóctones.


MINISTERIO COM BARCO HUMANITARIO


O Nosso Barco Humanitário “Salvação para a Amazônia”, rompeu fronteiras e adentrou nos rios, Paranás, igarapés, lagos do imenso Amazonas, visitamos comunidades de Caboclos Ribeirinhos e povos Indígenas, levando saúde física (Clinica, Odontologia e Laboratório) e saúde Espiritual com a pregação a Palavra de Deus e o resultado foi conversões de muitas vidas para Cristo.


Novas igreja foram plantadas.


Já estou terminando, mas gostaria de coração de convidar você a fazer parte destes projetos, como parceiros em oração e nos sustentando
financeiramente para que possamos continuar a levar o IDE de Cristo aos povos, raças, tribos, línguas e nações a esses povos sofridos do norte do Brasil.


Agradeço de coração aos que colaboraram para que isso fosse uma realidade, desejando a todos um 2012 de benção, vitorias e novas conquistas.
-----------------------------------------------------------------------
Pr. Paulo Nunes de Carvalho - (Missionário da JOCUM, AMTB, AMA e CONPLEI) - (92) 8138-1997

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

MISSÕES E EVANGELISMO

(Um complemento ao artigo “Pergaminhos Missionários”)
Autor: Rinaldo de Mattos

Missões e evangelismo, na maioria das vezes, são atividades que se confundem. Quem faz missões, evangeliza e quem evangeliza faz missões. Em outras palavras, um missionário é um evangelista e um evangelista é um missionário. Porém, quando a prática da evangelização é feita fora do contexto cultural do evangelista, é preciso que se faça uma distinção estratégica entre essas duas atividades.
Ralph Winter, no livro Missões Transculturais – Uma Perspectiva Histórica, pp. 357-398, diz que “evangelismo é a prática da evangelização feita dentro do âmbito geográfico e cultural da igreja. Missões é a prática da evangelização feita além das fronteiras da igreja, onde ela cruza barreiras geográficas, culturais e às vezes lingüísticas”.
A partir dessa perspectiva, devemos enxergar nosso País, o Brasil, como um campo missionário que precisa tanto da prática do evangelismo como da prática de Missões. Ao nosso redor estão milhares de pessoas que falam nossa língua, possuem a mesma cultura que a nossa e vivem, conosco, mais ou menos as mesmas experiências.
Estamos falando dos habitantes das cidades, das vilas, dos sertões (de modo geral), dos sítios e fazendas, todos eles falando a mesma língua, o Português, com apenas algumas diferenças regionais já conhecidas, em função da mídia e da globalização. Com essas pessoas, temos uma ponte direta de comunicação já pronta. Só precisamos conhecer alguns métodos de evangelismo para fazermos uma apresentação inteligível do evangelho, uma vez que tenhamos o ardor evangelístico, é claro.
Todavia, esses não são os únicos habitantes do Brasil. Aqui temos os indígenas, representados por centenas de etnias, cada uma delas com sua própria língua, cultura e tradição; temos os quilombolas, com todo um histórico diferenciado atrás de si; temos os ribeirinhos da Amazônia, com experiências muitíssimo diferentes que as nossas e com um linguajar que é quase um dialeto do Português (alguém já pensou até em uma versão da Bíblia apropriada para os ribeirinhos); temos as comunidades de pescadores e algumas comunidades específicas de sertanejos com costumes bem diferenciados; temos também os grupos étnicos imigrantes, cada nação trazendo suas tradições e experiências vividas em sua antiga pátria, como temos também aqueles que, no contexto de nossa sociedade, vivem em um mundo todo seu como os deficientes auditivos, os usuários de droga, os alcoólatras, os encarcerados e outros grupos dessa natureza, onde temos aí uma alternância entre missões e evangelismo.
Nós, batistas brasileiros, somos bons no evangelismo. Campanhas como a sempre lembrada “Jesus Salva”, o PNE e o trabalho atual de nossa Junta de Missões Nacionais, impactando o Brasil de língua portuguesa através das TRANS e de missionários radicais, temporários e de voluntários, mostram o nosso poder de fogo quanto à capacidade de evangelizar, como mostra também o nosso ardor evangelístico. Porém, na área de Missões propriamente dita, somos fracos. Não entendemos ainda que os demais seguimentos de nossa Pátria que não compartilham das mesmas experiências que nós, precisam de estratégias diferenciadas e clamam por missionários permanentes e bem treinados.
Quando um missionário vai para um lugar estranho ao seu, ele é recebido como se fosse um estrangeiro. Daí, ele irá precisar de muito tempo para adquirir a confiança do povo, até que as pessoas possam dar crédito à sua palavra; ele vai enfrentar uma situação em que dormir, comer, viver o dia-a-dia, irá exigir dele uma adaptação radical aos modos locais e, trocar a maneira de viver, é coisa que não se faz de um dia para o outro; se ele tem um metabolismo que reage a mudanças drásticas como frio, calor, alimentação diferenciada, ele terá, na certa, problemas de saúde, pelo menos no início; se ele é pessoa introspectiva, retraída, de hábitos muito particular, é certo que ele terá problemas com a questão da privacidade.
A História de Missões (incluindo a brasileira, posto que recente) mostra que muitos dos enviados não conseguiram se adaptar à situação local, tiveram que voltar para seus lugares de origem porque foram vencidos pelo conhecido, tradicional e malfadado “choque cultural”; se o povo fala outra língua ou tem um dialeto deferente, ele precisará ter aptidões linguísticas e ter feito um curso de Linguística para saber como se aprende uma língua ágrafa que não tem ajuda escrita; ele vai descobrir, cedo ou tarde, que o seu modo de apresentar o evangelho não bate com o sistema cognitivo do povo, isto é, com o método que eles mesmos usam (como um povo de comunicação oral) para passar o conhecimento de geração a geração; cedo ou tarde ele irá descobrir também que o povo, alvo do seu ministério, tem uma visão diferenciada das coisas, reagem às coisas de forma diferente e possuem histórico e tradições que lhe dão um Norte completamente diferenciado às suas vidas. Tão cedo ele irá descobrir que só um conhecimento da ciência da Antropologia, ainda que na base de leituras, o irá equipar para compreender a situação; ele irá descobrir, afinal, que o povo tem uma cosmovisão diferente da sua e que precisará de missionários diferenciados com uma metodologia de apresentação do evangelho também diferenciada.
Concluindo, Missões, ou trabalho transcultural propriamente dito, não é, com todo o respeito, para missionários temporários. Missionário temporário, voluntários e outros, são muito úteis e têm o seu lugar no evangelismo de impacto bem como em trabalhos missionários complementares. Mas, trabalho transcultural pioneiro é para missionário permanente e bem treinado. Nossa Denominação precisa acordar para esse fato se queremos mesmo alcançar todas as pessoas em nosso País.
A ordem é: Convocação de missionários permanentes e treinamento teológico, linguístico e missiológico à altura. Daí, sim, ficaremos bons tanto no Evangelismo como em Missões.