"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

terça-feira, 27 de março de 2012

David Botelho: OS 10 MAIORES DESAFIOS DA ASIA

“E me esforcei para anunciar o Evangelho onde Cristo nunca fora anunciado”. Rom. 15.20

O texto acima traz a visão ministerial paulina, que é de sempre ir onde o evangelho ainda não fora anunciado, e isto para não edificar sobre fundamento alheio. O contraste hodierno é a proliferação de igrejas onde se concentra a maioria dos recursos econômicos. A realidade brasileira comprova isto, pois abandonamos as tribos indígenas que tem 151 tribos sem um obreiro sequer, o sertão nordestino e os povos ribeirinhos. Agora tente imaginar o grande desafio de levar os cristãos brasileiros a amarem os povos menos alcançados da terra que estão distantes dos nossos olhos!!!

É interessante perceber o contexto da passagem em que o apóstolo Paulo menciona que já iria para outro lugar, pois havia concluído a tarefa de evangelizar as quatro províncias do Império romano – Galácia, Macedônia, Acaia e Ásia proconsular –, desde Jerusalém até a atual Bósnia, e isto em apenas 10 anos de trabalho árduo e em diferentes contextos culturais.

Desejamos compartilhar os dez maiores desafios sobre a tarefa inacabada da Ásia e esperamos que possa sensibilizar o seu coração, mente e espírito para que venha a se associar conosco para juntos ver parte desse quadro mudado ainda nesta década.

1 – Mais de 81% dos quase cinco bilhões de pessoas não cristãs vivem nesse continente.

2 – Possui 85% das pessoas menos evangelizadas, nove dos dez países menos evangelizados com as maiores populações. Somente na China tem aproximadamente 320 milhões que nunca ouviram nada de Jesus; e das 600 mil cidades e vilas da Índia, 500 mil não têm um obreiro sequer.

3 – Presença dos três maiores blocos religiosos não cristãos: islamismo, hinduísmo e budismo; eles são os maiores desafios para os cristãos. São em torno de 1,1 bilhão de muçulmanos, 950 milhões de hindus, e entre 500-900 milhões de budistas.

4- O Projeto Josué mostra 16.350 povos etno-linguísticos. Dos 6.648 menos alcançados da lista, 5.150 são asiáticos. O desafio da tradução bíblica é muito grande, pois das mais de 2 mil línguas que precisam de tradução no mundo, mais de 40% delas estão na Ásia.

5 – A Janela 35-45 ou Janela Túrquica – povos de origem turca que se espalham desde a Bulgária até o Oeste chinês, onde se encontram os povos muçulmanos Uigers e Huis. Além dos povos árabes e iranianos.

6 - Desastres ecológicos – A região tem sido afetada por grandes terremotos, vulcões, secas, ciclones, tsunamis e enchentes que tem ceifado milhões de vidas, e levado outras a ficarem desabrigadas, necessitando de muitos obreiros para prestação de ajuda humanitária e em todas as áreas da vida.

7 – Tráfico. O tráfico tem sido uma forma ilícita de obtenção de recursos financeiros. O tráfico de drogas tem sido a forma mais violenta e conhecida, como a heroína no Afeganistão e no Triangulo de Ouro (Mianmar, Tailândia e Laos). Ainda mais aviltante é o tráfico humano para trabalho escravo e prostituição. A Ásia é a região que mais supre adolescentes para os bordéis internacionais.

8 - Vírus HIV – A pandemia está intensificando neste continente, principalmente na India, Tailândia e China, e isto devido ao crescimento da indústria do sexo.

9 – O crescimento econômico dos tigres asiáticos tem sido fenomenal devido ao acesso à alta tecnologia, mão de obra barata e investimentos estrangeiros que proporcionam produtos com preços super-competitivos devido à alta produção para o mercado interno e exportação. Isto tem levado à grande corrupção e grande discrepância entre pobre e rico.

10 – O fundamentalismo religioso muçulmano e hinduísta tem sido o grande desafio para os cristãos nacionais. Isto tem dificultado a entrada de obreiros, bem como a mudança de status religioso e o acesso às classes mais altas da sociedade, pois para conseguir um emprego precisa ser parte da religião estatal. O maior desafio está na Coréia do Norte, que dizimou milhares de cristãos. O país tem enfrentado uma fome tremenda. Sabe-se da história de um pai de família que estava morrendo e chegou a dizer ao filho que comesse a carne dele quando morresse, pois, se o enterrasse, o vizinho desenterraria o cadáver para comê-lo.

Poderíamos enumerar muitos outros fatos, mas entendemos que esses são os mais fortes. Estes desafios necessitam das orações específicas da igreja e exigem novas maneiras de trabalho. A Horizontes América Latina analisou todas essas áreas e procurou parcerias para ver a melhor forma de trabalhar. Buscando visualizar novos métodos para alcançar o maior número de discípulos nesta região, lançamos o Projeto UNIÁSIA, um projeto de sete anos onde os candidatos receberão sete formações diferentes: Bíblica, Missiológica, Transcultural, Espanhol, Inglês, Língua Asiática e uma graduação Universitária na Ásia, e que recebe os candidatos com apenas um terço do sustento sendo o restante mobilizado no treinamento. Para isto contemplamos o treinamento de cristãos nacionais para as igrejas subterrâneas, estabelecimento de empresas e negócios internacionais, intercâmbios culturais, área educacional e a tradução de línguas, além de projetos de aconselhamento em áreas de desastres.

Nosso alvo é trabalhar arduamente para ver o número de obreiros brasileiros na Ásia dobrado até o ano de 2015. Estima-se hoje que haja em torno de 275 obreiros brasileiros, de todas as denominações em todo o continente asiático.

Nosso grande desafio para 2012 é o de levantar recursos para enviar 70 jovens que estão esperando os recursos.

Contamos com seu apoio e o convidamos a se unir conosco neste novo ano para que, ao final dele, possa vir e ver de perto aqueles que o Senhor tem levantado para encarar o grande desafio: alcançar os povos não alcançados da terra.

No amor do Mestre,

David Botelho

Missão Horizontes – contato@mhorizontes.org.br-Bradesco – Agência 1020 – Conta 3111-9 – CNPJ 59.958.983-0001/16

quarta-feira, 21 de março de 2012

SITUAÇÕES QUE CAUSAM SOBRECARGA EMOCIONAL NA CARREIRA MISSIONÁRIA


Autoria: Missionário JAIRO DE OLIVEIRA

SEGUNDA PARTE

CHEGADA AO CAMPO



Além das implicações culturais e linguísticas, a chegada de um missionário no campo é sempre cercada de enormes demandas logísticas e o resultado é um clima de tensão. Os primeiros após o desembarque representam um período em que todo obreiro precisa ter em mãos uma boa reserva financeira. Quando isso não é uma realidade, somente uma genuína confiança na provisão sobrenatural de Deus será capaz de evitar um quadro de preocupações. No mínimo, o obreiro precisará de recursos para quitar despesas imediatas com aluguel de uma casa e com a compra de mobília básica.
Há, ainda, outras ocasiões em que haverá a necessidade de assumir despesas com hospedagem numa moradia temporária, com a aplicação de visto (quando o processo de aplicação de visto ocorre no país onde se deseja estabelecer residência), com a tradução de documentos, com a matrícula dos filhos em uma escola, com o aprendizado da nova língua – seja o aprendizado formal, numa escola, ou informal com o auxílio de um nacional – e com a compra de acessórios que possibilitam a adaptação imediata ao novo ambiente (casado, toca, luva, turbante, véu, etc). Sem falar na compra de um carro, moto, barco ou camelo, dependendo em que região da terra o missionário esteja.
Em alguns contextos, o transporte particular está longe de representar um objeto de luxo, antes, e a única forma de acesso ao povo que se deseja alcançar. O conjunto de todas essas demandas pode produzir um estado de cansaço físico e emocional.

SUSTENTO INADEQUADO

Outras situações como sustento inadequado também estão entre os fatores que podem abalar bastante o obreiro emocionalmente. Lidar com problemas financeiros estando fora do país e distante da família, da comunidade cristã de origem e dos amigos exigirá de qualquer indivíduo uma boa dose de maturidade. Essa situação pode se tornar ainda mais desafiadora quando o missionário, além de depender de recursos para sustentar a família, é responsável por outras despesas no desenvolvimento do ministério.
Lamentavelmente, o sustento inadequado dos missionários brasileiros tem produzido situações extremamente desconfortáveis no campo e sugerido, em contraste com o que afirmam as Escrituras, que o obreiro não é digno do seu salário (1 Timóteo5. 18).
Observando nossa caminhada, como movimento missionário brasileiro, somos desafiados a reconhecer que ao longo dos anos o problema da falta de sustento tem tornado o campo missionário numa arena de fé e, em alguns casos, num terreno de sobrevivência para o missionário brasileiro.


ALUGUEL DE CASA

O processo de aluguel de uma casa pode roubar muitas energias de um missionário. Em países como a Tailândia, não é comum encontrar imobiliárias e é preciso visitar a comunidade em cada bairro para descobrir a disponibilidade de casas para alugar. Já em países como a Indonésia, o inquilino é obrigado a providenciar o pagamento adiantado do aluguel, que pode variar de três meses a um ano, antes de se entrar para morar na casa. Na África do Sul, é exigido o pagamento de um depósito equivalente a dois ou três meses do valor do aluguel como garantia por danos ao imóvel. O que supostamente deve ser devolvido ao inquilino no fim do contrato.
A experiência de alugar uma casa pode se tornar ainda mais penosa em se tratando de um missionário que acaba de desembarcar no campo. Além do desgaste natural dessa empreitada, depois de algumas semanas vivendo provisoriamente, acrescenta-se o esgotamento com o processo de mudança e com a falta de privacidade, sobretudo se o missionário possui esposa e filhos.

SAUDADE

Nos primeiros meses e anos, a saudade da família e dos amigos afeta consideravelmente as emoções do recém chegado, em especial se ele faz parte de uma sociedade que estima viver em comunidade e que considera os relacionamentos em alto nível.
Nessa fase, aliado à saudade, o receio de ser esquecido ou abandonado pela igreja, enviadora também pode abater um obreiro e representar um desafio maior do que as lutas enfrentadas no campo.

AUSÊNCIA DE RESULTADO

A ausência de resultados satisfatórios no ministério também pode causar cnsiderável estresse. Quando não é perceptível o avanço no aprendizado da língua o0u quando o povo alvo resiste ao evangelho, mesmo depois de já ter ouvido a pregação por longos meses, é comum que surge o sentimento de abatimento. Invariavelmente, as expectativas não correspondidas se transformam dem objeto de frustrações.

DOENÇAS

As doenças, além de debiliarem o corpo, sempre acabam por produzir um conjunto de preocupações que, por sua vez, geram tensão emocional. Avalie o volume de estresse de determinado missionário que acaba de desembarcar com a esposa na Ìndia. Trata-se de seu primeiro campo missionário e, antes mesmo de adquire conhecimento suficiente da língua para se comunicar descobre que precisa se submeter a uma cirurgia com urgência. Esse quadro revela a experiência do missionário Carlos Roberto Pinheiro, da Associação Missionária Evangelistica (AME), compartilhada com seus mantenedores e intercessores em uma de suas cartas de oração.
Pedimos que orem por todo o que estamos vivendo aqui. É muito difícil passar por isso num país estrangeiro e diante de uma língua que não compreendemos, mas sei que posso louvar o Senhor porque estamos vendo o seu amor em ação.

RETORNO DO CAMPO

O retorno do campo e a readaptação ao ambiente cultural de origem fazem parte de um processo que pode representar a fase mais difícil na carreira missionária.
As dificuldades para se reajustar a vida e se adaptar ao nosso contexto têm sido classificadas como choque cultural reverso.
Todo processo de adaptação já é um desafio em si e a situação pode ser agravado quando o missionário e seus filhos retornam do campo estando desinformados, desatualizados e se sentindo totalmente fora da realidade em seu contexto de origem.
__________
Publicado no Livro "Vida, ministério e desafios no Campo Missionário, Mis. Jairo de Oliveira, Editora Abba, SP. 2011

domingo, 18 de março de 2012

IMPLICAÇÕES EMOCIONAIS NA CARREIRA MISSIONÁRIA

PRIMEIRA PARTE
Mis: Jairo de Oliveira
“Nós porém, irmãos, privados da companhia de vocês por breve tempo, em pessoa, mas não no coração, esforçamo-nos ainda mais para vê-los pessoalmente, pela saudade que temos de vocês” (I Tessalonicenses 2.17)

Considerando somente os desafios que já foram abordados até aqui, já teríamos motivos suficientes para supor que o trabalho missionário é campo fértil para lidarmos com grande sorte de dificuldades emocionais e acumularmos alto nível de estresse.

Embora o missionário procure viver na dependência de Deus, suas emoções e a dinâmica da vida no campo, com constantes transformações, mudanças e adaptações podem, ao longo do tempo, sobrecarrega-lo emocionalmente.

Sem sombra de dúvidas, o missionário antes de seguir para o campo de trabalho, precisa saber que, tal como sua fé, suas emoções serão, também e com frequência, postas à prova. De fato, surgirão momentos de crises em que suas convicções hão de ser intensamente testadas, produzindo sentimentos de profunda incapacidade, questionamentos quanto a sua identidade e, até mesmo, dúvidas quanto ao seu chamado. Surgirão, ainda, ocasiões em que o obreiro se sentirá indigno por não estar correspondendo a todo investimento feito por parte daqueles que mantêm seu ministério e insignificante ao se comparar com outros missionários (talvez, aqueles “heróis” que o inspiraram no processo de caminhada para o campo).

Ao se deparar com estas situações, em que suas emoções se encontram abaladas, será difícil o obreiro reconhecer que as crises possuem seu valor de importância. Não obstante, elas desempenham papel fundamental em nosso processo de amadurecimento cristão. Em virtude de sua complexidade, o campo missionário se torna lugar propício para encarnarmos a nossa identificação com a morte de Jesus, a fim de que Cristo viva em nós e por meio de nós: “Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gálatas 2.20).

Definitivamente, as crises nos levam a repensar as convicções que sustentam a nossa vocação, sugerindo-nos olhar para o que Deus já fez e nos oferecendo a chance de ouvir novamente a sua doce voz, reafirmando no presente o que já foi dito no passado.

É bom que se diga que as crises não são de exclusividade de uma minoria ou propriedade privada dos inexperientes. Apesar de tais crises não serem comumente trazidas ao conhecimento público, elas fazem parte da carreira de todo missionário e costumam se manifestar com frequência num ambiente transcultural.

Saber que elas fazem parte da jornada missionária nos dá uma visão correta de nossa carreira. Ainda, traz-nos certo conforto nesses momentos de conflito interior em que pensamos que somos os únicos debaixo de tão grande nuvem de provação. A missionária no Senegal, Ronalda Lombardo Garcez, da APMT, compartilha conosco acerca desses momentos:
Existem momentos de lutas dificuldades e pressões em que nos sentimos desanimados e tristes. Às vezes, sentimos tanta falta de uma palavra de encorajamento, de consolo... Então, pensamos em nossas igrejas, parentes e amigos e, por estarmos longe, já foi bastante tempo, muitos deles têm-se esquecido de nós.(1)

O grande problema é quando os conflitos emocionais não nos conduzem a experiências de amadurecimento e resultam apenas em sobrecarga emocional. Aí é preciso ter cuidado redobrado. Ao percebermos que um ciclo de acúmulo de tensão está-se formando, precisamos interrompê-lo. Do contrário, o resultado pode comprometer tanto a nossa saúde emocional quanto a física, a ponto de nos incapacitar totalmente no desenvolvimento do trabalho. O ex-missionário Myron Loss chama atenção para a estreita relação entre a sobrecarga emocional e o surgimento de doenças físicas:

Ao longo dos últimos vinte anos, muitos estudiosos têm comprovado a influência que o estresse exerce em problemas como dores de cabeça, artrites, dores de coluna, pressão alta e vulnerabilidade para acidentes. O estresse também pode criar frigidez, impotência e ouras irregularidades sexuais, como perda da menstruação, por exemplo. Muitos médicos acreditam que as alergias são deterioradas, senão causadas pelo estresse. Mais e mais pesquisas estão chamando a atenção também para a influência que o estresse pode ter no surgimento de câncer. (2)

As crises que dão origem à condição de estresse ou a emocional podem ocorrer quando enfrentamos diversos fatores, como, por exemplo, saudade, preocupações, desconforto, opressão, instabilidades, falta de dinheiro, solidão, ameaças, conflitos, fraquezas, enfermidades, frustração, perdas etc. Tudo isso pode nos levar a aborrecimentos com o povo, com os colegas de equipe, com a organização missionária e, inclusive, com a igreja em nosso país.

(1) Revista Alcance. P. 19
(2) Culture Shock: Dealing with Stress in Cross-cultural. Living: p.17

(Este texto é de autoria de Jairo de Oliveira, e foi publicado no Livro “Vida, ministério e desafios no campo missionário” uma abordagem contemporânea sobre missões da Editora Abba. S.P.2011).

quarta-feira, 7 de março de 2012

PASSEA CORDILHEIRA DOS ANDES E AJUDE-NOS

Pr. Teófilo Karkle

E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedónia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos. (Atos dos Apóstolos 16.9)


Um texto bíblico como este é de domínio publico, graças a Deus por isso, não são como aqueles textos o imagens que tem Copyright e levamo símbolo © ou aquelas que levam o ® de Registrado ou direito de autor, onde temos que citar a fonte. A Bíblia tem sim Autor e tem a Fonte, isso é muito importante saber que Deus se comunicou com o homem e inspirou a escrever a Bíblia.

Paulo teve uma visão estando em Viagem Missionária de um homem de uma região chamado Macedônia que clamava a ele pedindo ajuda. Que linda visão, da qual fazemos repetir através deste Artigo Missionário adaptando a nossa Realidade e a nossa Necessidade aqui na Republica do Chile. Quando citamos esta frase que colocamos como titulo: Passe a Cordilheira dos Andes e Ajude-nos. Poderíamos até registrar-la como Direitos Autorais, pois esta frase foi criada por nós aqui da PRONAMI-Promotoria Nacional de Missões. A PRONAMI tem como objetivo principal Promover no Brasil Missões com destino ao Chile.

As Cordilheiras de los Andes é uma cadeia montanhosa muito linda, e muito alta, o seu ponto mais elevado esta bem pertinho da capital do Chile, Santiago do Chile, faltando apenas 38 metros para 7.000 Ou seja, tem exatamente 6.962 de altura. Se você visitar o Chile de avião o comandante sempre da esta informação turística: Senhores passageiros, esta montanha que sobressai das demais a sua direita é o Aconcagua amontanha mais alta do Chile. Logo que cruzar por esta montanha, mais uns 15 minutos o avião já esta pousando em Santiago do Chile, no Aeroporto Internacional Arturo Merino Benitez, construído por uma empresa brasileira por sinal.

Aconcagua significa Sentinela de Pedra. Atrás desta cadeia montanhosa esta um vale plano de aproximadamente 4.300 km de extensão chamado Chile, que no idioma indígena Aimará significa: Fim do Mundo.

Com este Artigo Missionário queremos que tome vida aexpressão Passe a Cordilheira dos Andese Ajude-nos. Você pode passar de muitas maneiras diferentes, mas vamos mencionar quatro maneiras: Fisicamente vindo até o Chile e ofertar a tua vida para as Missões. Mas também pode passar as Cordilheiras Virtualmente, através da Internet, conhecendo nossa necessidade como Missionários e conhecendo também as Necessidades da nossa Igreja.

Outra maneira é Espiritualmente através de tua oração e de tua visão para com a Obra do Senhor. E por ultimo você pode passar a Cordilheira dos Andes, Financeiramente, enviando socorro, ajuda e amor.







Estamos construindo um Templo de 8 x 14 metros. O grosso da Obra esta pronto, mas faltam ainda: Aberturas, Forro, Piso e Iluminação. Por isso escrevemos esta Matéria Missionária pedindo que nos ajudem. Suas Doações têm que ser feita em Dinheiro, pois não podemos passar pela sua Empresa ou pela sua casa com uma camioneta, para ir buscar uma Caixa de Cerâmica ou um Saco de Cimento. Mas você poder fazer uma Oferta de Amor, calculado pelo valor dos produtos no Brasil e dizer assim: Quero enviar 1 Metro Quadrado de Amor, baseado no valor da Cerâmica no Brasil. Internamente aqui no Município de Cerronavia, estamos fazendo uma Campanha para juntar 112 Metro² de Amor, vamos em 68 Metros² juntados, mas falta ainda, pois a meta é 112 Metros² depois temos um pequeno banheiro para cobrir e uma pequena cozinha. Como podem ver nas fotos anexa neste Pedido de Ajuda.

Deus tem abençoado muito o Brasil, e para ele que escrevemos sempre, para brasileiros e brasileiras não é para os Estados Unidos. Gostaríamos de encontrar a partir de agora muitas pessoas que pudessem Doar R$ 20,00 Vinte Reais para comprarmos aqui esse Metro² de Amor, como estamos chamando esta Campanha. Pessoas que mesmo desempregadas e queiram participar, não tenha duvida nem medo de Lançar o teu pão sobre as águas porque depois de muitos dias o acharas. Não tenha vergonha de que seja pouco, que sejam apenas 20 Reais, tem um exemplo na Bíblia de um Punhado de Trigo que foi lançado na terra e o seu Fruto o seu Resultado fez tanto barulho como as Folhagens das altas Arvores do Líbano. (Salmos 72.16)






Aproveitamos esse espaço para pedir Cadeiras Plásticas, também no mesmo valor de R$ 20,00. Você podemandar uma Cadeira, duas Cadeiras, cinco Cadeiras ou quanto Deus tocar no seucoração.

Vamos precisar de Forro de PVC, você pode nos ajudar com um Metro² de Forro de PVC, e cobrar de nós as Imagens que serão feitas a partir de cada etapa dessa Construção que estamos fazendo. Novamente você pode fazer uma doação de R$ 20,00 e nos mande dizer para qual parte do Templo você gostaria que fosse destinado sua Oferta de Amor.

Passe a Cordilheira de los Andes, conheça o Chile via Online, Adote esta Nação, Adote esta Missão. Coloque no mural da sua Igreja ou da sua Empresa uma Foto das muitas que poderemos mandar a você a partir do momento que enviares tua Contribuição de Amor. Para que o nome do Senhor seja glorificado e para que tua empresa ou igreja seja abençoada, pois esta tem sido a experiência de cada pessoa que se envolveu com Missões, houve um avanço, houve um crescimento. As dividas atrasadas foram pagas, as coisas novas foram compradas, pois Deus que é o Deus de toda Dádiva se compraz em abençoar.

Queremos convidar para que você seja nosso Promotor ou Promotora de PRONAMI, paraisso é preciso nos escrever para que nós possamos te enviar as instruções de como poderá fazer. Amem?

Visite nosso Blog e faça parte dele http://pronami.blogspot.com/
escreva-nos ao nosso E-mail centrodealegria@hotmail.com

E também visite o portal do seu Banco e Faça uma Transferência à

Conta Corrente: 18481-8
Agencia 3078-3
Banco do Brasil

ou então passe por uma Agencia do Banco doBrasil e use aqueles envelopes para fazer um Deposito de Amor, sem ter que enfrentar a fila ou sem ter que esperar a agencia abrir.

Que Deus possa tocar teu coração e que ele seja aberto para Doar, Amar, Abraçar e para Passar a Cordilheira dos Andes e nos Ajudar nesta grande Missão.

Pr. Teófilo Karkle e Mis. Ivone Karkle

sexta-feira, 2 de março de 2012

CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÕES

VOCÊ ESTAVA PENSANDO QUE ERA O ÚNICO NA TERRA... DEUS AINDA TEM UMA MULTIDÃO DE SERVOS FIÉIS QUE NÃO SE DOBRAM À BAAL... A IGREJA É MAIOR DO QUE VOCÊ PENSA... ENTRE NESTA CAMPANHA E VEJA O QUE DEUS VAI FAZER NA TERRA. SEJA UM DIVULGADOR DESTA CAMPANHA.