"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

terça-feira, 19 de maio de 2009

A IGREJA MISSIONÁRIA

AT 13.1-3

INTRODUÇÃO:
1. Creio que a Igreja de Antioquia, desempenhou uma função tão importante quanto à Igreja de Jerusalém, no início do cristianismo.

2. O cristianismo chegou até Antioquia, através de alguns irmãos que fugiram de Jerusalém, com a perseguição movida nos dias de Estevão, At 11.19, "E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus".

3. Embora estes irmãos inicialmente não pregassem aos gentios, alguns de Chipre e de Sirene, indo até Antioquia, anunciaram também aos gregos, At 11.19-20, "19 E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus. 20 E havia entre eles alguns homens cíprios e cirenenses, os quais entrando em Antioquia falaram aos gregos, anunciando o Senhor Jesus".

4. Tal resolução, foi abençoada pelo Senhor, At 19.21, "E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor". Pois a salvação dos gentios estava no plano de Deus.

5. Quando chegou a notícia a Jerusalém, que muitos ali tinham aceitado a Palavra, a Igreja enviou para lá Barnabé, que começou a trabalhar na edificação e no crescimento daqueles irmãos, At 19.22.23, "22 E chegou a fama destas coisas aos ouvidos da igreja que estava em Jerusalém; e enviaram Barnabé a Antioquia. 23 O qual, quando chegou, e viu a graça de Deus, se alegrou, e exortou a todos a que permanecessem no Senhor, com propósito de coração".

6. Barnabé tinha condições de exercer um ministério abençoado, At 19.24, "Porque era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor". Contudo, notando este irmão, a carência da Igreja, foi para Tarso à procura de Saulo para que este o ajudasse no desenvolvimento do trabalho, At 19.25-26, "25 E partiu Barnabé para Tarso, a buscar Saulo; e, achando-o, o conduziu para Antioquia. 26 E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja, e ensinaram muita gente; e em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos".

7. Estes dois homens de Deus, tinham o caráter missionário, e movidos pelo Espírito Santo, levaram aquela Igreja a um despertamento missionário impar e que contribuiu grandemente para o desenvolvimento do cristianismo. "Vejamos alguns pontos sobre a Igreja Missionária":

I - É UMA IGREJA QUE TEM ESTRUTURA
Vs. 1, "E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo".

1. Quando a Igreja ama missões, Deus começa a formar nela uma estrutura de liderança, para que possa contribuir para o trabalho missionário, sem perigo interno.

2. Inicialmente, a Igreja contava com apenas dois líderes, Barnabé e Saulo, mas outros foram levantados pelo Senhor:

a. "Os profetas e doutores".

b. Simeão, que tinha por sobrenome "Niger". Talvez este Simeão, tivesse sido o mesmo que teria ajudado Cristo a carregar sua cruz, Mc 15.21, "E constrangeram um certo Simão, cireneu, pai de Alexandre e de Rufo, que por ali passava, vindo do campo, a que levasse a cruz". Embora alguns acham que se fosse o mesmo, Lucas teria citado o fato. Contudo, seu sobrenome, "Niger", parece indicar que era da África, de onde também era, aquele que ajudou Cristo a carregar a cruz.

c. Lúcio de Cirene. Alguns interpretes, o indentificavam com o Lúcio de Rm 16.21, "Saúdam-vos Timóteo, meu cooperador, e Lúcio, Jasom e Sosípatro, meus parentes". Se este Lúcio é o mesmo da Igreja de Antioquia, e se ele de fato era parente de Paulo, é provável que seja ele que tenha lembrado de Saulo, para que Barnabé o buscasse, At 11.25, "Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado".

d. Manaem, Colaço de Herodes. Foi criado com Herodes, o tetrarca, também conhecido como Herodes Antipas, o que assassinou João Batista. Que melhor destino teve este homem, comparado ao de seu irmão de criação. Josefo citou em seus escritos um homem de nome Manaem, que era essênio e amigo de Herodes, o grande. É provável que este homem teria sido parente de Manem.

3. Com esta estrutura, a Igreja poderia dispor de dois homens para o trabalho que surgira em frente.

II - É UMA IGREJA QUE MANTÉM UMA COMUNHÃO VIVA COM O SENHOR
1. "Servindo eles ao Senhor". A palavra "servindo", poderia ser traduzida por "ministrando", "adorando". Servir ao Senhor, é estar na presença de Deus disposto a ouvi-lo e obedecê-lo. Paulo recomenda aos Romanos que fossem fervorosos no Espírito, servindo ao Senhor, Rm 12.11, "Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor". Esta era uma característica da Igreja de Tessalônica, 1 Ts 1.9, "E vós fostes feitos nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a palavra em muita
tribulação, com gozo do Espírito Santo". Antes, serviam aos ídolos, agora serviam ao Senhor.

2. "Jejuando e orando". Notamos que esta Igreja era também uma Igreja de Oração e jejum. A oração e o jejum, são partes fundamentais na vida da Igreja que deseja manter uma comunhão com o Senhor. Vejamos esta prática em At 14.23, "E, havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido". Aqui Paulo e seus companheiros estavam elegendo presbíteros em cada Igreja formada e era necessário proclamar um jejum. A própria vida de Paulo era pautada por jejuns e oração:

a. 2 Co 6.5, "Nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns".

b. 2 Co 11.27, "Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez".

3. Uma Igreja que tem visão missionária, é uma Igreja que jejua e ora.

III - É UMA IGREJA QUE ATENDE A VOZ DO ESPÍRITO SANTO
1. "...disse o Espírito Santo: Separai-me a Barnabé e a Saulo, para a obra que os tenho chamado".

2. É bom notarmos que a chamada missionária começa primeiro, no coração do missionário - "os tenho chamado", Gl 1.15-17, "15 Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, 16 Revelar seu Filho em mim, para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue, 17 Nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia, e voltei outra vez a Damasco".

3. A chamada do missionário, deve ser pelo Espírito Santo. A Igreja deve endossar a chamada, atendendo também a voz do Espírito - "separai-me".

4. A Igreja em oração, cumpriu a ordem do Espírito Santo, Vs. 3, "Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram". Embora não tenha contribuído financeiramente, Fp 4.15, "E bem sabeis também, ó filipenses, que, no princípio do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja comunicou comigo com respeito a dar e a receber, senão vós somente". Os recursos são providos pelo Senhor da obra. No Vs. 4, temos a continuação do trabalho que o Espírito vinha realizando: "E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre".

CONCLUSÃO:
1. A Igreja missionária, é aquela que cresce em estrutura, mantém comunhão com Deus e obedece à voz do Espírito Santo.

2. Deus é o grande missionário, que pelo seu Espírito move a Igreja para esta obra, no sentido de que nós oremos, contribuamos e enviemos os missionários chamados.

3. A obra de missões, visa a salvação do pecador. Você é pecador. Deus enviou Jesus, o grande missionário, que morreu por você, para que você, fosse salvo, Jo 1.14, "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade".

Nenhum comentário: