"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

sábado, 18 de abril de 2009

QUAL É O PROCESSO PARA SE ADOTAR UM POVO ?


1. O processo de adoção de um povo por uma igreja local começa coma a obra de Deus na vida de um ou de vários membros desta igreja. Começa-se então a ver o mundo de uma perspectiva mais específica não somente como diferentes países mais como grupos humanos que vivem nestes países. Este interesse aumenta quando se entende que existem hoje cerca de onze mil grupos humanos que necessitam do Evangelho significando que estes não têm a oportunidade de conhecer a Cristo devido a sua religião sua localização geográfica sua cultura ou qualquer outra razão. E esta visão é reforçada quando se reconhece a responsabilidade da Igreja em pregar a Cristo a todas as nações (etnias) - Mt 28.19 e onde o Evangelho ainda não foi anunciado - Rm 15.20 21.

2. O segundo passo é a divulgação da visão para o restante da igreja; aos anciãos aos professores de Escola Dominical aos jovens às mulheres às crianças aos pais de família e a cada irmão dentro da igreja. Isto é de suma importância porque ao contrário a visão ficará restrita a uns poucos e não haverá uma verdadeira motivação para se lançar a um novo e "louco" plano. A divulgação da visão procura fazer com que o projeto seja da igreja como um todo e que a igreja entenda que o plano pode dar um novo sentido de compromisso e de unidade ao cumprir com a vontade de Deus e com sua tarefa missionária.

A divulgação pode ser feita de muitas maneiras criativas: dramatizações participação das crianças com cânticos e trajes típicos através do boletim da igreja por meio de um culto especial de missões pelo rádio e pela televisão por meio de seminários e grupos de trabalho etc.

3. O seguinte passo será a investigação. Esta consiste em três aspectos:

Identificar um ou mais povos que são considerados não alcançados. A lista de 200 povos aqui apresentada é fruto desta investigação.
A igreja deverá definir seus interesses em termos de tipo de povo ou área geográfica que deseja alcançar (muçulmano hindu grupo tribal budista europeu africano etc). Isto ajudará a orientar seus esforços rumo a uma meta definida focalizando a intercessão por um grupo definido conhecendo mais sobre este tipo de povo e preparando as estratégias que servem para alcançar a este povo incluindo o tipo de missionário que é necessário enviar.
Comunicar as decisões que se tomam para o Centro de Investigação e de Informação do Projeto de Adoção de Povos no Brasil - a SEPAL (endereço no fim deste manual). Isto ajudará no apoio e na orientação da tarefa a ser cumprida. Este procedimento é especialmente importante porque manterá aberta a comunicação para se obter mais informação sobre o povo e acerca daquilo que outros estão fazendo inspirando e animando a continuidade do projeto. A comunicação também é importante para evitar duplicação de esforços por parte das igrejas e das organizações missionárias aproveitando o que outros já prepararam e decidiram.

4. Ao conhecer os grupos que poderiam ser adotas o seguinte passo será orar buscando a direção de Deus sobre que povo adotar. O ato em si de adoção de um povo é uma decisão muito séria comparável a um casal que resolve adotar uma criança (conhecê-la amá-la alimentá-la educá-la procurar o seu bem-estar total é um trabalho de muitos anos e não de curto prazo etc). Portanto o Senhor das nações deve guiar a igreja a conhecer sua vontade neste propósito. Além disto a oração será a chave durante todo o processo para que se consiga o mais rápido possível alcançar este povo. 5. O seguinte passo será a adoção do povo. É um compromisso feito diante do Senhor diante da igreja e diante do povo escolhido de se fazer o necessário para que o Evangelho chegue ao povo e que uma igreja forte auto-sustentável e auto-reprodutiva (evangelística e missionária) seja fundada alí.

6. Uma vez que a igreja tenha adotado o povo não alcançado ela deve ser educada em tudo aquilo que implica o plano de alcançar os não alcançados. Uma igreja que não é ensinada nesta área perderá o enfoque na razão pelo qual está se envolvendo neste projeto. - Deve-se ensinar a igreja a orar fielmente pelas pessoas que compõem este povo pela salvação delas e pelas necessidades físicas ou materiais que conhecemos; - A igreja deve ser educada a ofertar sacrificialmente especialmente em favor daqueles que necessitam com urgência a satisfação de suas necessidades espirituais e físicas; - A igreja deve ser ensinada a destinar seus recursos e a orientar seus esforços em direção a necessidades e projetos que desafiem e satisfaçam mais como o de levar o Evangelho a quem ainda não teve a oportunidade de ouvi-lo.

7. Como um resultado do passo anterior espera-se que no meio da igreja local Deus levante uma pessoa a ser enviada para alcançar o grupo. A igreja deve estar atenta no recrutamento e no treinamento daqueles que demonstram maturidade (espiritual emocional e social) e um compromisso profundo em favor daqueles que não conhecem ao Senhor. O papel do Conselho Missionário e dos líderes da igreja será de extrema importância neste passo sendo que precisam animar orientar e aconselhar os que demonstram estas qualidades. Esta pessoa escolhida pelo Senhor e pela liderança de sua igreja e que tem um chamado para alcançar os não alcançados precisa passar por um processo de treinamento missionário. Existem várias opções de treinamento missionário no Brasil de acordo com o enfoque e o tipo de ministério que se deseja ter.

8. O oitavo passo é a coordenação. É um passo muito importante para se poder alcançar com maior eficácia o grupo adotado. A coordenação implica que a igreja estará em contato com outras igrejas com sua junta ou secretaria de missões ou com outras agências missionárias com o fim de poder fazer um trabalho de cooperação. Nosso interesse não é o de estabelecer uma igreja de nossa denominação neste povo mas de comunicar o Evangelho para que seja plantada uma igreja que conheça a Jesus Cristo o exalte aprenda dEle proclame as Boas Novas para o restante de seu povo e a outros povos em outras partes do mundo. Por isso a cooperação pode e deve ocorrer já que a tarefa é muito séria grande de alto custo e urgente. A igreja deve aprender a trabalhar com outras agências e denominações compartilhando seus conhecimentos e aprendendo de outros. Tudo ajuda para que os esforços missionários sejam apoiados em oração e em espírito por outras igrejas e denominações.

9. O último passo neste processo será o de alcançar o povo. Isto significa enviar missionários que levem o Evangelho e estabeleçam uma igreja autóctone neste povo. O processo de adoção culminará quando vermos isto realizado. O missiológo norte americano Larry Pate tem afirmado que um grupo só deve ser considerado alcançado quando 20% da população total confesse ser crente em Cristo Jesus. A implicação disto para a igreja é que ela deve estar disposta a trabalhar e investir vidas dinheiro oração e esforços a médio e a longo prazo para poder se envolver neste projeto de adoção. A igreja precisa ter uma clara compreensão de seu propósito e de seu compromisso com o Senhor não poupando recursos nem tempo até ver realizada sua visão. (Patrício Paredes é Coordenador do Projeto AUP para Comibam Internacional)

Texto: Prof. Patrício Paredes V. Coordenador Adote Um Povo Comibam

Nenhum comentário: