"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

terça-feira, 28 de julho de 2009

HÁVERÁ ESPERANÇA PARA OS POVOS NÃO ALCANÇADOS?




A SOLUÇÃO PARA ESTES POVOS

Como hoje, na época de Paulo havia muitos povos sem a presença do testemunho do evangelho de Jesus Cristo. Paulo sabia que a única solução para eles estava na bendita pessoa de Jesus Cristo e sua obra salvadora. Ele escreve em Romanos 10:9, 10, 13: "Se com tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para a justiça, e com a boca se confessa a respeito da salvação. ...Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo." Mas Paulo não pára aqui e começa a fazer uma série de perguntas que nos colocam contra a parede.
Continua ele: "Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem nada ouviram? e como ouvirão se não há quem pregue? e como pregarão se não forem enviados? ...Assim, a fé vem pelo ouvir e ouvir da palavra de Cristo (Rm 10:14, 15a, *17 - grifo próprio).
A resposta às perguntas do apóstolo é uma só: É impossível! É impossível invocar aquele em quem não creram. É impossível crerem em Jesus se não ouviram nada a seu respeito. É impossível que ouçam o evangelho se ninguém for lhes falar. A não ser que as igrejas enviem missionários para levar-lhes as boas novas, que Jesus veio ao mundo e efetuou a obra da salvação, continuarão ignorando tão grande bênção.
Fica claro então, que é impossível ao homem chegar ao conhecimento de Jesus sem que alguém lhe fale acerca disto. "E como pregarão se não forem enviados?" É papel da igreja providenciar treinamento, envio de missionários até estes povos e sustento para o missionário no campo(cf. At 13:1-3). A não ser que alguém lhes seja enviado, eles nunca ouvirão da salvação que só há na pessoa do Senhor Jesus.
Pedro afirma: "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos " (At 4:12). Em I Timóteo lemos: "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (ver também: At 5:31; 13:23; Fp 3:20; ITm 1:10: Tt 1:4, 2:13, 3:6; IIPe 1:1, 2:20, 3:18; IJo 4:14; Jd 25). Se não lhes falarmos acerca deste único salvador, continuarão nas suas práticas abomináveis (animismo, idolatrias, feitiçarias, satanismo etc.), permanecendo em estado de condenação eterna.
A Bíblia nos mostra que mesmo os santos do antigo Testamento foram salvos por confiarem nas promessas de Deus acerca da vinda do Messias. Isto implica que mesmo na Dispensação da Lei ninguém foi salvo por ela, e sim por Jesus. Visto que homem nenhum conseguiu guardar integralmente a lei, fazendo-se assim maldito (Gl 3:10; Tg 2:10), nenhum homem foi justificado pela lei.
Tomemos Abraão e Moisés como exemplo. Paulo afirma que Abraão foi justificado pela fé e não por obras da lei, pois ela (a Lei) veio somente 430 anos depois dele. Abraão cria que um dia viria o Messias, o Cristo de Deus. Isso o livrou da perdição eterna. Pela fé Abraão viu o dia que Cristo viria ao mundo. Foi o próprio Jesus (antes da crucificação) que afirmou esta verdade maravilhosa. Disse ele aos judeus: "Vosso pai Abraão alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se" (Jo 8:56). Mais interessante ainda é o que o escritor aos hebreus afirma acerca de Moisés. Aliás, fica claro e patente em quem Moisés depositava sua fé.
Leiamos Hebreus 11:14-26: "Pela fé Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus, a usufruir os prazeres transitórios do pecado; porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão" (grifo próprio). Porém, como é do nosso conhecimento, na época de Moisés, o Cristo ainda não havia se manifestado corporalmente aos homens. Como então Moisés pode preferi-Lo às riquezas e pompas do grandioso e poderoso Reino Egípcio?
Certamente, Moisés havia tomado conhecimento da promessa feita por Deus de que um dia viria Aquele que esmagaria a cabeça da serpente (Gn 3:15) e decidiu pôr sua confiança nEle. Assim sendo, podemos crer que não só Moisés, mas vários outros também apegaram-se às promessas de Deus que um dia o Messias viria para redimi-los dos seus pecados. Era uma fé que olhava para frente e confiava inteiramente nas promessas divinas (ver Hb 11:113,14; IPe 1:10-12).
Jesus mesmo abençoou estes homens do passado que, mesmo sem vê-lo, creram nEle. Confirmando assim a idéia expressa na carta aos hebreus. Quando o duvidoso Tomé viu Jesus ressurreto e creu, ouviu dEle as seguintes palavras: "Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram, e creram" (Jo 20:29).
Segundo o que temos visto, fica claro e patente que a salvação só se dá mediante a fé na pessoa bendita de Jesus Cristo. Portanto, tentar apontar outro caminho, além do que foi posto por Deus , tentando dar um "jeitinho" para a nossa desobediência ao Ide de Jesus, é um erro que traz conseqüências GRAVES E ETERNAS: Para nós, porque nos fazemos omissos em relação à obra missionária; para eles porque continuarão a caminhar nas trevas da perdição.
Como hoje, na época de Paulo havia muitos povos sem a presença do testemunho do evangelho de Jesus Cristo. Paulo sabia que a única solução para eles estava na bendita pessoa de Jesus Cristo e sua obra salvadora. Ele escreve em Romanos 10:9, 10, 13: "Se com tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para a justiça, e com a boca se confessa a respeito da salvação. ...Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo." Mas Paulo não pára aqui e começa a fazer uma série de perguntas que nos colocam contra a parede.
Continua ele: "Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem nada ouviram? e como ouvirão se não há quem pregue? e como pregarão se não forem enviados? ...Assim, a fé vem pelo ouvir e ouvir da palavra de Cristo (Rm 10:14, 15a, *17 - grifo próprio).
A resposta às perguntas do apóstolo é uma só: É impossível! É impossível invocar aquele em quem não creram. É impossível crerem em Jesus se não ouviram nada a seu respeito. É impossível que ouçam o evangelho se ninguém for lhes falar. A não ser que as igrejas enviem missionários para levar-lhes as boas novas, que Jesus veio ao mundo e efetuou a obra da salvação, continuarão ignorando tão grande bênção.
Fica claro então, que é impossível ao homem chegar ao conhecimento de Jesus sem que alguém lhe fale acerca disto. "E como pregarão se não forem enviados?" É papel da igreja providenciar treinamento, envio de missionários até estes povos e sustento para o missionário no campo(cf. At 13:1-3 - ver apêndice 1). A não ser que alguém lhes seja enviado, eles nunca ouvirão da salvação que só há na pessoa do Senhor Jesus.
Pedro afirma: "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos " (At 4:12). Em I Timóteo lemos: "Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (ver também: At 5:31; 13:23; Fp 3:20; ITm 1:10: Tt 1:4, 2:13, 3:6; IIPe 1:1, 2:20, 3:18; IJo 4:14; Jd 25). Se não lhes falarmos acerca deste único salvador, continuarão nas suas práticas abomináveis (animismo, idolatrias, feitiçarias, satanismo etc.), permanecendo em estado de condenação eterna.
A Bíblia nos mostra que mesmo os santos do antigo Testamento foram salvos por confiarem nas promessas de Deus acerca da vinda do Messias. Isto implica que mesmo na Dispensação da Lei ninguém foi salvo por ela, e sim por Jesus. Visto que homem nenhum conseguiu guardar integralmente a lei, fazendo-se assim maldito (Gl 3:10; Tg 2:10), nenhum homem foi justificado pela lei.
Tomemos Abraão e Moisés como exemplo. Paulo afirma que Abraão foi justificado pela fé e não por obras da lei, pois ela (a Lei) veio somente 430 anos depois dele. Abraão cria que um dia viria o Messias, o Cristo de Deus. Isso o livrou da perdição eterna. Pela fé Abraão viu o dia que Cristo viria ao mundo. Foi o próprio Jesus (antes da crucificação) que afirmou esta verdade maravilhosa. Disse ele aos judeus: "Vosso pai Abraão alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se" (Jo 8:56). Mais interessante ainda é o que o escritor aos hebreus afirma acerca de Moisés. Aliás, fica claro e patente em quem Moisés depositava sua fé.
Leiamos Hebreus 11:14-26: "Pela fé Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus, a usufruir os prazeres transitórios do pecado; porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão" (grifo próprio). Porém, como é do nosso conhecimento, na época de Moisés, o Cristo ainda não havia se manifestado corporalmente aos homens. Como então Moisés pode preferi-Lo às riquezas e pompas do grandioso e poderoso Reino Egípcio?
Certamente, Moisés havia tomado conhecimento da promessa feita por Deus de que um dia viria Aquele que esmagaria a cabeça da serpente (Gn 3:15) e decidiu pôr sua confiança nEle. Assim sendo, podemos crer que não só Moisés, mas vários outros também apegaram-se às promessas de Deus que um dia o Messias viria para redimi-los dos seus pecados. Era uma fé que olhava para frente e confiava inteiramente nas promessas divinas (ver Hb 11:113,14; IPe 1:10-12).
Jesus mesmo abençoou estes homens do passado que, mesmo sem vê-lo, creram nEle. Confirmando assim a idéia expressa na carta aos hebreus. Quando o duvidoso Tomé viu Jesus ressurreto e creu, ouviu dEle as seguintes palavras: "Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram, e creram" (Jo 20:29).
Segundo o que temos visto, fica claro e patente que a salvação só se dá mediante a fé na pessoa bendita de Jesus Cristo. Portanto, tentar apontar outro caminho, além do que foi posto por Deus , tentando dar um "jeitinho" para a nossa desobediência ao Ide de Jesus, é um erro que traz conseqüências GRAVES E ETERNAS: Para nós, porque nos fazemos omissos em relação à obra missionária; para eles porque continuarão a caminhar nas trevas da perdição.

Nenhum comentário: