"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O MINISTÉRIO DO MISSIONÁRIO


ENCONTRE UM MINISTÉRIO
O missionário mais útil é aquele que tem um coração aberto e uma mente prontamente desejosa de se tornar um membro da equipe ao invés de insistir em suas próprias idéias.

Como tal pessoa sabe o que realmente ela tem que fazer é como ele pode perseverar nisto, até que a tarefa seja completada: Vários fatores devem ser considerados:

ESTRATÉGIA DO CAMPO
Lembre-se que os obreiros no campo lutaram com isto no passado. Eles desenvolveram uma estratégia. O novo obreiro precisa se encaixar nela e aceita-la até que todo o outro obreiro no campo sinta-se que devem mudar.

Infelizmente, a estratégia do campo não é sempre explicada de maneira clara e simples como deveria. Mas ela está lá. Estude a história do campo. Examine as atas das conferências passadas e converse com vários missionários. Faça algumas anotações e lentamente verá qual era e continua sendo a estratégia.

Da mesma maneira que estuda as estratégias estude também a situação do pessoal no campo, assim ficará consciente das limitações causadas por falta de pessoal.

A menos que você seja aceito pela Missão para uma designação específica, não vá para o campo determinado a realizar um tipo de ministério específico em um lugar específico. Compartilhe seus sentimentos e opiniões, mas permaneça aberto para a orientação do corpo de obreiros do campo. Não coloque suas análises da situação ou sua direção subjetiva acima do corpo de obreiros. Deus não irá mostrar a eles uma coisa e a você outra. Portanto, quando a sua direção entra em conflito com a dos outros obreiros, siga a direção do campo com um coração alegre.

DONS ESPIRITUAIS
É claro que Deus irá colocá-lo num ministério que você é capaz de realizar, então Ele te equipou com dons espirituais. Mas quais são os seus dons?

“Entre todos os conhecimentos, o sábio e o bom busca mais conhecer a eles mesmos”. Disse Shakespeare.

Isto seria um bom lema para a pessoa que busca conhecer seus dons pessoais. Estude a si próprio. O que você gosta de fazer? Qual a espécie de trabalho cristão parece mais uma “diversão” do que um “trabalho?” Pergunte aos outros (missionários e nacionais) quais os dons que eles sentem que você tem?

Quando você perceber vários dons se voltando em um mesmo dom aí você tem uma pista. Busque ser inteiramente objetivo e honesto com você mesmo e no final de tudo nunca reivindique um dom que seus irmãos não sentem que você tenha.

DIREÇÃO DO LÍDER
Como um principiante envie os seus relatórios mensais ao seu líder de campo. Isto te ajudará a construir um bom relacionamento com ele e também te dará oportunidades de compartilhar alguns dos seus sentimentos quanto a um futuro ministério. Lance suas opiniões e deixe que ele as considere. Ele será compreensivo e você poderá constatar falha, caso haja em algumas de suas idéias e opiniões.

MANTENHA UM MINISTÉRIO
Depois que você tiver encontrado o seu lugar e tiver se adaptado, a verdadeira batalha começa: Você quer ser produtivo. Aqui estão alguns princípios que poderão te ajudar a manter um ministério pessoal produtivo.

Não fixe muito alto seus alvos e expectativas pessoais. Pequenas vitórias te farão melhor do que grandes derrotas. Mantenha os seus alvos razoáveis e almeje um progresso constante.

Estude. Leia livros específicos sobre o seu ministério. Faça algum curso por correspondência diretamente relacionado com o trabalho que você está desenvolvendo. Torne-se um perito na sua função, no seu trabalho. Você aprende melhor quando pode aplicar imediatamente o conhecimento que está adquirindo.

Se tudo está dando errado e o seu mundo parece estar desabando. Fique firme. Tome uma decisão certa e consciente para sua vida. O exército Britânico tem um ditado que diz “O vitorioso é aquele que vence a ultima batalha”. E um boxeador antigo (pesos-pesados) declarou que o segredo de seu sucesso era que ele conseguiu ir para mais um assalto.

MINISTÉRIOS ESPECIAIS
As vantagens do especialista são óbvias – a contribuição singular que ele pode trazer a satisfação e realizações vindas da concentração e conquista numa frente limitada, a oportunidade de mais tarde desenvolver habilidades especiais, o sentimento de outros reconhecerem seu ministério como sendo único e normalmente indispensável, a satisfação de treinar outros nacionais.

Contudo, há muitos perigos para ambos, o especialista e os membros da equipe que ele faz parte.

É fácil perder a visão geral dos objetivos e perder aquela preocupação solidária em oração pelos outros. O especialista precisa desenvolver a habilidade de se desprender a si mesmo de sua esfera de ação para que possa se identificar realisticamente com os outros.

É fácil fazer exigências a uma equipe mais ampla e usar um conhecimento especializado para sustentar essas exigências até o ponto onde um senso de proporção foi perdido.

Trabalhar com outros especialistas tem a tendência de focalizar na tarefa ao invés do povo.

Conhecimento especializado nunca deveria ser usado como uma alavanca para evitar tarefas não muito empolgantes as quais têm que ser empreendidas como parte de todas as estratégias.

O MINISTÉRIO DOS OBREIROS SOLTEIROS

Primeiramente, precisa ser dito que a vida de solteiro é viável e é uma alternativa Bíblica (1 Corintios 7.8), e que, não é somente para muitas mulheres missionárias que não é somente para muitas mulheres missionárias que não têm escolha se elas quiserem permanecer fiéis aos seus comissionamento, mas para os homens também. Muitos obviamente, muitos obreiros cristãos, ambos homens e mulheres, irão se cansar e esta é a vontade de Deus para eles, mas nos dias modernos parece que a outra alternativa é muito raramente considerada. Isto não deveria ser assim. Diante da presente desigualdade da quantidade entre homens e mulheres empenhados na obra missionária, muitas mulheres terão que encarar realisticamente a questão da espontaneidade e viver uma vida de solteira.
Contudo, não seria errado a cada homem com um chamado para a obra missionária encarar séria e realisticamente o fato de que a vontade de Deus para ele pode ser que ele permaneça solteiro.

Em muitas culturas não cristãs a idéia de um homem ou uma mulher permanecer solteira e, até certo ponto, uma anormalidade. Isto é assim particularmente em culturas islâmicas ou animistas. De um outro lado, dentro da cultura hindu a idéia de um homem negar sua oportunidade de se casar para se devotar mais ao serviço religioso é aceita e respeitada.

Portanto, a alternativa cristã de permanecer sem se casar não é sem paralelo no mundo não cristão e ensinar isto como opção cristã. A pessoa solteira, mulher ou homem, precisa ser confiante de que ele ou ela tem bases completamente bíblica para sua posição.

A liberdade dos vínculos de família ajuda a desenvolver nossa mobilidade e flexibilidade. O obreiro solteiro pode estar disponível as pessoas nas horas mais oportunas como as noites e finais de semanas. Contactos pessoais são fundamentais ao ministrar a alguém estes requerem tempo, tempo que as pessoas e nós temos livres.
O trabalho com jovens será programado para solteiros. Oferece tremendas oportunidades para o obreiro solteiro pois seus status é uma grande ajuda para se identificar com eles assim como o capacita a participar em todas as suas atividades sem restrições. Identificação é muito importante quando os problemas e necessidades peculiares à vida de solteiro são compartilhados. Poderão ser dados conselhos tirados de sua experiência presente e pessoal.

A vida devocional, quase sempre referida por nós como “a sós com Deus”, pode ser longe de ser um “a sós” para o homem casado, mas o obreiro solteiro tem todas as oportunidades para ler, estudar, preparar e orar sem o mínimo de interrupções, não há dúvidas disto.

De acordo com 1 Corintios 7.27, 32-35, a pessoa solteira está livre para o Senhor, não está presa a preocupação com esposa, filhos e etc.

O obreiro solteiro e quase sempre o melhor para trabalhos pioneiros que envolvem muita interação.

Ele ou ela são os mais capazes de preencher às vezes dos ministérios daqueles que saem de férias prêmios, etc.

PERIGOS PARA OS HOMENS

Geralmente, homens solteiros são uma grande minoria no campo missionário e quase sempre sentem falta da comunhão com os outros obreiros solteiros. Estar sem a comunhão na oração e sem a companhia de outros que têm a mesma mente e espirito, é estar vulnerável aos ataques espirituais. Sabedoria e não presunção é necessário na colocação exata dos obreiros solteiros.

Então, há o perigo de encontrar-se em situações comprometedoras com membros do sexo oposto. Todas as culturas vêem o casamento como normal e desejável, e se pessoas fazem tudo o que podem para encontrar um parceiro para aquela pessoa solteira. Sempre há pouca compreensão do nosso conceito de buscar de Deus a pessoa certa, mesmo partindo do cristão.

O homem geralmente não é muito doméstico e o solteiro precisa cuidar de si mesmo propriamente, cozinhar, fazer limpeza, arrumar as coisas com ordem, etc.

Pelo fato dele não precisar dar satisfações a ninguém dentro de um relacionamento muito próximo, sobre suas ações, decisões e atitudes, ele pode facilmente se tornar egocêntrico, “cuidando de suas próprias coisas” não importando de como isto pode afetar os outros.

Sem o sólido fator de se ter uma companheira, o solteiro pode facilmente sair das tangentes proveitosas e não proveitosas. Hobbes, atividades e até mesmo alguns aspectos de seu ministério pode fugir das proporções
PERIGO PARA AS MULHERES
Há o medo de ser ofendida fisicamente – usualmente, um doente mental pode bater a sua porta a noite e exigir que você seja sua esposa.

Uma amizade ao ponto de haver um envolvimento emocional com um nacional, ou mesmo com um colega missionário solteiro é uma possibilidade.

Um relacionamento exclusivamente muito próximo com um outro missionário pode ser devastador para uma organização missionária.

Há uma tendência de fugir de ministério entre homens. Um genuíno coração humilde é a chave que abre os corações dos homens africanos para liderança de uma mulher solteira.









Nenhum comentário: