"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

sábado, 15 de agosto de 2009

TRANSFORMADOS PARA IMPACTAR O MUNDO



“E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rom. 12.2 (Bíblia Anotada)

“Não se tornem tão bem ajustados à sua cultura, à qual vocês se moldam mesmo sem pensar. Em vez disso, fixem sua atenção em Deus. Vocês serão transformados de dentro para fora... Ao contrário da cultura que está em seu redor, sempre conduzindo vocês para baixo, para o nível de imaturidade, Deus produz o melhor em vocês e desenvolve uma maturidade bem formada.” Rom. 12.2

Meditando no texto de Rom. 12.2, observamos e reconhecemos a necessidade de experimentar e conhecer a vontade de Deus para nossas vidas. Quando ouvimos o termo: “Vontade de Deus”, nos parece se tratar de algo tão pesado, impossível e às vezes até desagradável de se viver. Mas o Senhor quer nos fazer conhecer esta vontade que a palavra fala que é boa, agradável e perfeita. Não significa que hora ela é agradável, hora desagradável, hora é boa, hora é um peso! A vontade de Deus é sempre boa, sempre perfeita e sempre agradável. Nós é que precisamos primeiro: “...não nos conformarmos com este mundo”, e segundo: “....transformar-nos pela renovação da nossa mente”. Só então, veremos a vontade de Deus para nossas vidas, corretamente. Deus não precisa mudar, nós é que precisamos! Observe atentamente o texto:

1. “E não vos conformeis com este mundo...”

O fato de termos tanta facilidade em nos moldar ao mundo não é novo, ao contrário, de acordo com o relato bíblico é algo antigo e até certo ponto “normal”, se o Senhor não quisesse para nós que vivêssemos de acordo com os seus parâmetros e valores. Estamos no mundo, contudo não pertencemos a ele, antes somos peregrinos na terra, concidadãos dos santos e membros da família de Deus, chamados para sermos semelhantes a Jesus, “santos”. (João 17.14/ Hebreus 11.13/ Efésios 2.19/ 1Pedro 1.15).

Então, nosso primeiro passo é ter consciência de quem somos e qual é o nosso lugar : “Somos de Jesus e nosso lar é o Celestial”. Uma vez que somos propriedade exclusiva de Deus (Ex 19.5), e cidadãos dos céus, nosso estilo de vida deve corresponder ao estilo de vida do “Rei Jesus” e do “Reino dos céus”.
Precisamos, portanto, nos despir do velho homem, nos revestir do Senhor e desejar ardentemente uma transformação.

2. “...transformai-vos pela renovação da vossa mente.”

Recentemente li uma entrevista dada por Elvis Presley, onde ele dizia que gostaria muito de mudar radicalmente sua vida e entrar para um monastério. Estava cansado do sucesso e queria uma vida simples e em paz! Então o seu entrevistador o apertou dizendo: “Você tem certeza que gostaria de largar tudo?” O rei do rock respondeu: “É, acho que eu não teria paciência!”

Ouvimos muitas declarações de crentes e não crentes que afirmam querer mudar suas vidas, que estão tentando, umas chegam até a culpar Deus por seus fracassos, mas o problema é que lá no fundo de seus corações, não querem ser transformados verdadeiramente. Amam mais o mundo do que a Jesus!

Voltando para o texto, a transformação da qual nos fala o apóstolo Paulo, não conseguimos com pensamento positivo ou força de vontade. Mudar conceitos e costumes com os quais convivemos toda a nossa vida não é algo tão simples assim. E só é possível mediante o agir sobrenatural do Senhor Jesus através do Espírito Santo, e este processo começa na mente.

Def. transformação: Ato ou efeito de transformar(-se); mudança de estado; metamorfose.

A Bíblia nos apresenta Pedro (depois, Simão) – Um homem de temperamento forte, genioso, explosivo, prático, inconstante, impulsivo, voluntarioso. Pedro era aquele irmão que encontra-se em muitas igrejas (em praticamente todas) que podemos chamar de irmão “tribuloso”. Era uma pessoa que precisava urgentemente de uma transformação.

Após conhecer e já seguindo a Jesus, Pedro em determinada situação confessa a Cristo (Mt 16.16) e tempos depois, nega-O TRÊS vezes (Mt 26.69). Em Mateus 14.28, ao ver Jesus andando sobre as águas, aparentemente com uma fé e coragem gigantes, pede para ir ter com Jesus sobre as águas. Jesus diz: “Vem”! Pedro obedece e vai. Só que de repente ao ver a força do vento, cheio de medo, começa a gritar a afundar.... Ao contemplar a transfiguração de Jesus, (Mt 17.2) ao invés de Pedro procurar primeiro entender o que aquilo significava ou mesmo perguntar ao Senhor o significado exato daquele acontecimento, lá vem Pedro, querendo fazer as coisas do seu jeito, estando ainda Elias e Moisés junto de Jesus, Pedro quer fazer uma tenda para cada um... Ê Pedro!

Jesus em sua pré-ciência ao chamar Pedro (Mt. 4.18 / João 1.40) sabia exatamente como ele era. O Senhor não havia se enganado, ou chamado Pedro porque ninguém o queria seguir. Jesus, que tem um propósito bem definido em TODAS as coisas, não pensou duas vezes e disse: “Segue-me”.

Vivemos num mundo acostumado a rotular as pessoas. E se a pessoa não é uma “Coca-cola”, não serve. Isto acontece também na Igreja, quando muitos preferem pegar os irmãos “tribulosos” e colocá-los para fora da Igreja, ao invés de amar, acreditar e investir tempo e energia nestas vidas.

Jesus encontra Pedro, e diz: “eu quero investir na tua vida, quero transformar seu temperamento e que você aprenda a submeter a sua vontade a mim, hoje você se cinge e vai para onde quer, faz o que quer, mas haverá um dia em que você terá aprendido uma lição e será levado para um lugar onde não queres ir (João 21.18-19), quero te ensinar domínio próprio, quero lhe mostrar minhas maravilhas e edificar a sua fé, quero mudar seus conceitos, mudá-lo de dentro para fora. Segue-me Pedro”!

Jesus manifesta seu propósito para vida de Pedro e ele se cumpre!
Sabemos que Pedro aprendeu a lição que o Mestre queria lhe ensinar. A transformação que aconteceu em sua vida, e tudo o que ela gerou. Pedro começou a impactar o mundo.

As provas encontram-se em:

At. 1.15; 2.14 – Sermão de Pedro no pentecoste.
3.1-10 – Pedro curou o coxo.
4.1-12 – Pedro falou no sinédrio.
5.17 – Pedro foi preso e solto.

Era indouto e iletrado – mas causava impacto e admiração pela maneira com que falava. (At. 4.13)

Até na hora da morte (João 21.18) – Fala do gênero da morte de Pedro, que morreu como um servo submisso, fiel e obediente. A história nos conta, que Pedro seria morto, crucificado. Mas, antes de ser colocado na cruz, ele disse: “Não sou digno de morrer como o meu Senhor, coloquem-me então, de cabeça para baixo”!

E foi assim que Pedro morreu.

Ele Não se conformou com este mundo, teve sua mente transformada e experimentou a vontade de Deus em sua vida. E tem mais, conseguiu ver a sua própria morte como a vontade de Deus que é boa, agradável e perfeita, sendo submisso a ela até o fim.

Pedro foi um daqueles homens que fez valer a pena o sangue de Jesus derramado na cruz!!!

Lembremo-nos também de nossos irmãos que em 1547, por ocasião da Inquisição, morreram por amor a Jesus e ao evangelho. Famílias inteiras que após serem humilhadas, torturadas, terem seus bens confiscados, eram amarradas a gigantescas fogueiras em praça pública. Seus algozes antes de acender a fogueira davam-lhes uma última chance! Se eles negassem a Jesus e ao evangelho, sua pena seria diminuída e não seriam queimados vivos. Mas seriam mortos antes, por meio de um garrote. E bravamente nossos irmão diziam: “Jamais negaremos nosso Deus, mas a Ele cantaremos louvores.” Então eles começaram a cantar um hino, e também o fogo começou. Quando um irmão em meio a dor, parava de cantar e começava a gritar, outro que ainda estava agüentando o calor das chamas, cantava mais forte. Famílias inteiras mortas por amor ao Senhor!

Homens e mulheres que conheceram o que é “fazer a vontade de Deus”. E foram fiéis até o fim. Homens e mulheres que impactaram sua geração com seu testemunho, fizeram valer a pena o sangue derramado! Aleluia!

Nenhum comentário: