"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

VISÃO MISSIONÁRIA


A multidão vista por Jesus e descrita por Marcos, como pessoas que andavam de um lado para o outro sem direção, como ovelhas que não tem pastor, é um retrato antigo dos grandes desafios que ainda hoje a Igreja têm pela frente. E para vencer este desafio como igreja, necessitamos da mesma visão de Jesus. Uma visão cheia de compaixão e que nos leve a sentir o mesmo desejo que Jesus sentia. Alcança-las, alimenta-las e ensiná-las.
É este tipo de sentimento pelas almas que Deus quer despertar em nossos corações nos dias atuais.
Aquela multidão estava em busca do Messias, porque sabia que ele trazia uma mensagem de paz, de esperança, uma mensagem de vida de justiça. Enfim Jesus era a esperança de tudo que eles necessitavam. E eles sabiam disso, o que eles não sabiam é que Jesus além de oferecer alento para sua alma, cura para suas enfermidades, podia também alimentar suas necessidades físicas, e tinham razão, porque eles nunca haviam visto Jesus realizar o milagre que seria realizado naquela ocasião. Era a primeira vez que o desafio era colocado diante dos discípulos e dos apóstolos.
Aquela multidão era o verdadeiro retrato das multidões que ainda hoje vivem perambulando pelas grandes cidades, e cujas necessidades e carências ainda é a mesma. Mas que não conhecem a Jesus vivo, ressuscitado que têm poder para transformar o homem dando-lhe um novo sentido de vida.
Para nós a igreja do Senhor Jesus, o desafio é o mesmo, Ele quer que alimentemos as multidões, Ele está nestes dias de crise nos desafiando! E quem não perceber os grandes desafios que Deus têm colocado diante de nós, está fadado à estagnação espiritual.
Quando avaliamos o quadro relatado pelo Evangelista João, sobre a primeira multiplicação dos pães, entendemos que o desafio enfrentado pelos discípulos é o mesmo enfrentado pela Igreja nos dias atuais. A insuficiência de recursos humanos para saciar a fome da multidão, a crise econômica e financeira nos preocupa, desanima a alguns. E se avaliarmos a situação em que vivem as multidões nos dias atuais, e a carência de recursos para saciarmos as suas necessidades. Nos perguntaremos tal como fizeram os discípulos: “o que fazer com tão pouco? O que fazer com apenas três peixinhos e dois pãezinhos?”.
Mas espera aí, esta é uma pergunta intempestiva! Não podemos responder aos desafios de Deus com perguntas como esta. Jesus havia testado os discípulos, colocando diante deles o desafio que haveriam de enfrentar. O teste de Jesus era: “Onde compraremos pães para alimentar tão grande multidão?”.
Mas a Palavra de Deus afirma que Jesus bem sabia o havia de fazer, e a sua pergunta era apenas para testa-los. Mas ele queria que os seus discípulos entendessem que o desafio era para todos. Jesus quer que entendamos, que o desafio é o mesmo. E o modo de soluciona-lo também. O problema não é apenas de Jesus, não é apenas meu, nem somente seu. Não é de um grupo de pessoas, nem de determinado departamento dentro da Igreja. Fazer missões é tarefa para cada um de nós que compartilhando o pouco que temos com Jesus podemos nos dar conta do milagre que só ele é poderoso para realizar.
Missão é tarefa para aqueles que estão dispostos a consagrarem suas vidas, para anunciar que Jesus é a solução para os grandes problemas que afligem a humanidade sem Cristo. Se missão é proclamar o evangelho de Jesus, então concluímos que esta é a única maneira de transformarmos as grandes diferenças sociais que oprimem a humanidade.
Fazer missões hoje, assim como naquela época, é contar com os milagres de Deus, e para isto devemos colocar o pouco que temos nas mãos de Jesus, é necessário nos dispormos, consagrarmos a nossa vida. E assim responderemos a expectativa do Senhor que afirmou: “A seara é grande e poucos os ceifeiros...”.
Diante do tamanho da Seara, não adianta ficarmos a discutir os grandes desafios, necessário se faz, levantarmos os nossos olhos e vermos os campos que estão brancos para a ceifa.
A igreja que entende o Ide de Jesus é uma igreja missionária. E uma igreja missionária é uma igreja que têm os olhos voltados, não para o mundo, mas para a situação em que vive a humanidade sem Jesus.
Uma igreja missionária é aquela que entende o seu papel dentro do Reino de Deus. E o papel da igreja não é outro senão proclamar o evangelho de Jesus Cristo. A igreja que não cumpre o seu papel está perdendo a oportunidade de ser benção nas mãos de Deus, e, por conseguinte deixando de abençoar aqueles que não conhece o Senhor Jesus.
Quando vejo a situação em que vive a humanidade nos dias atuais, e comparo com a situação da humanidade nos tempos de Jesus. Entendo que as crises são as mesmas, as calamidades são as mesmas, as necessidades são as mesmas.
Mas lendo o profeta Habacuque vejo a aflição daquele homem de Deus, querendo entender porque ele tinha que ver a triste situação do seu povo. A resposta é esta, não podemos ficar indiferentes ao que acontece em volta de nós, virando o rosto para não vermos a situação da humanidade. Precisamos pedir ao Senhor que nos encha de sentimento de compaixão, que nos ensine a ver as necessidades do mundo conforme Jesus via.
O profeta pensava que Deus estava indiferente ao que estava acontecendo. A sua indagação era: até quando Senhor clamarei eu e tu não me ouvirás? Irmãos Deus não está indiferente ao que acontece neste mundo. Deus não está indiferente às crises que a igreja está enfrentando. Ao seu povo ele diz; Tenho visto o sofrimento do meu povo e ouvido o seu clamor. Se você tem clamado a Deus, saiba que suas orações não têm sido ignoradas por Deus.
A nossa tarefa não é ficarmos reclamando pelo que está acontecendo, mas clamarmos pela misericórdia de Deus diante de tantas injustiças.
Deus está fazendo grandes coisas entre as nações. Ele não está indiferente ao que está acontecendo. Olhe para as nações e vede o que Ele tem feito. Ele tem realizado grandes coisas, Ele mesmo diz que se nos fossem contadas não creríamos.
Não podemos nunca culpar a Deus pelo que está acontecendo ou deixando de acontecer. Nós somos os responsáveis pela mudança no curso da nossa história. Deus quer realizar grandes coisas como as que têm realizado até agora. E ainda que ninguém possa interferir na sua vontade. Ele diz: Tenho procurado homens que se coloquem na brecha em favor deste mundo para que eu não exerça juízo sobre ele, mas a ninguém tenho encontrado.
Vivemos numa época em que pessoas e igrejas falam muito em missões, fazem movimentos, e mais movimentos, denunciam o que acontece, mas como o profeta Habacuque no capitulo 1 e versículo 2, não entendem quais os propósitos de Deus em sua vida. Deus quer que olhemos para o mundo, com os olhos do profeta Jeremias: “Os meus olhos movem a minha alma, pelas filhas de Jerusalém” “Com os olhos de Paulo que quando estava no areópago, chorou vendo o povo mergulhado em tão grande idolatria”, com os olhos de Jesus que vendo a multidão moveu-se de intima compaixão “. Deus não quer que fiquemos indiferentes ao que está acontecendo no mundo”.
É interesse de Deus que olhemos para as nações, e vejamos as grandes coisas que Ele está realizando.
Mas saiba você de uma coisa: Se algo está acontecendo, se Deus está fazendo grandes coisas é porque algumas pessoas têm se colocado a sua disposição para Ele usar.
É porque alguém têm compartilhado o pouco que têm com Jesus para alimentar as multidões. Deus está em busca de pessoas que verdadeiramente querem consagrar, doar, entregar a sua vida ao seu controle, ao seu senhorio para que assim Ele possa usar.
Não são poucos os missionários, muitos que nem mesmo sabemos o nome, que não conhecemos, tem deixado tudo, família, igreja, futuro profissional, pátria para dar os melhores anos de sua vida, para levar o evangelho de Jesus aos povos da terra. Quantos têm deixado para traz realizações, corrido risco de vida, risco de contraírem sérias enfermidades em lugares onde não tem nenhuma infra-estrutura, para anunciar que Jesus veio ao mundo para buscar e salvar os que se haviam perdidos.
É necessário sabermos e nos preocuparmos com a situação em que o mundo vive; mas não podemos esquecer que a cada um de nós o Senhor tem chamado de modo especial. E importa para realizarmos este chamado que estejamos no centro da vontade de Deus.
Deus quer que nos coloquemos na posição para qual fomos chamados. Deus quer que saibamos qual é a sua vontade em nossas vidas. E a única maneira de descobrirmos qual é à vontade de Deus em nossa vida, é através de uma consagração pessoal. (Rm 12.1-3).
À vontade de Deus em nossas vidas é que estejamos intercedendo, falando, anunciando a sua Palavra. A palavra de Deus nos diz que quando os discípulos receberam a ordem de Ir, foram, e pregaram e o Senhor colaborava, com eles confirmando a palavra com sinais que se seguiam.
Deixa Deus usar a sua vida, você tem sido abençoado por Deus porque Ele quer que você seja uma bênção para aqueles que ainda não o conhecem.
Pai amado, muito obrigado por tuas misericórdias que se renovam a cada manhã em nossas vidas. Obrigado por teu cuidado e por tua fidelidade pelas bênçãos derramadas sobre cada um de nós.
Agradeço-te ó Senhor, porque não olha para nós, segundo as nossas fraquezas, mas olha através do Senhor Jesus que nos purifica de todo pecado e injustiça e vê em nós, não o que somos agora, pessoas imperfeitas e infiéis; mas o que seremos um dia pela tua graça e misericórdia. Perdoe nossos pecados e ajude-nos a estar dentro dos parâmetros da tua vontade, para que a cada dia que passa, teu nome seja exaltado e a tua glória seja manifesta em nossas vidas e através de nossas vidas, onde quer que estejamos, em tudo que fizermos. Em nome de Jesus é que oramos agradecidos. Amém!

Nenhum comentário: