"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

sábado, 30 de outubro de 2010

POVOS NÃO ALCANÇADOS - QUEM IRÁ?

Suahili
País de Origem: Tanzania Quênia África Oriental
Religião: Islamismo

Há doze séculos mercadores árabes colonizaram a costa e as pequenas ilhas de coral da África oriental casando com o povo de lá e trazendo com eles sua cultura e religião. Suahili uma língua bantu com muitas palavras árabes é uma das línguas mais faladas da África. Quase todas as pessoas de língua suahili são muçulmanas muitas devotas organizando sua rotina diária separando as cinco horas de oração anunciadas pelos conclamadores da mesquita. Outros praticam apenas de nome o islamismo mas concordam com seus amigos mais ortodoxos que o cristianismo é uma religião imoral. Essa idéia é apoiada pelos contatos que eles têm com os turistas que visitam sua área. Embora os falantes de suahili dêem as boas vindas aos visitantes os 12 séculos da prática do islamismo dificulta sobremaneira para eles até pensar numa possibilidade de conversão ao cristianismo. Milhares de missionários trabalham no Quênia e na Tanzânia mas nas áreas onde se fala suahili poucos focalizam os povos muçulmanos.

Jesus use Sua igreja para mostrar aos muçulmanos de língua suahili a verdadeira natureza da Graça e Justiça.

Para maiores informações: Black African (Bantu) of Saudi Arabia Swahili (Shamba) of Kenya Swahili (Coastal) of Kenya Comorian (Mauri Mahor) of France Comoriab (Ngazija) of Comoros Comorian (Ngazija) of Madagascar Segeju (Dhaiso) of Kenya Bajun (Shirazi) of Kenya Swahili of Somalia Segeju (Dhaiso) of Tanzania Swahili of Zambia Swahili of Sudan Swahili of Rwanda

Songai
País de Origem: Mali Níger
Religião: Islamismo Animismo

Cerca de quatro milhões de songai muçulmanos vivem nas cidades e vilas espalhadas pelo Rio Níger no oeste africano. O islamismo tem afetado pouco o animismo profundamente arraigado nessa cultura antiga que reverencia as forças espirituais que governam os elementos: terra rios e plantações. Outrora um povo poderoso os songai têm visto seu mundo encolher com o avanço do deserto do Saara que engole vilarejo após vilarejo. Trabalhadores em obras assistenciais e desenvolvimento comunitário nas áreas songai têm ajudado esse povo a se adaptar ao clima em transição. Esse trabalho pode dar uma boa projeção ao Evangelho e abrir os corações dos songai para Deus.

Senhor envie obreiros para trabalhar em áreas assistenciais e de desenvolvimento comunitário que demonstrem aos songai o Seu Reino eterno.

Para maiores informações: Zerma (Dyerma) of Niger Songhai (Sonrhai) of Mali Songhai (Sonrhai) of Niger Songhai (Sonrhai) of Nigeria Songhai (Sonrhai) of Burkina Faso Zerma (Dyerma) of Nigeria Dendi (Dandawa) of Benin

Canuri
País de Origem: Nigéria Níger
Religião: Islamismo

Com suas vestimentas principescas o solene oficial canuri tem o mesmo semblante dos seus poderosos ancestrais. No auge do seu império no século 16 os canuri controlavam um rico comércio de caravanas que atravessavam o deserto do Saara. Embora hoje não controlem mais grandes riquezas as classes real e aristocrática dos canuri ainda são muito respeitadas em sua sociedade. Há profundas cicatrizes no rosto do oficial conforme o modelo de sua tribo. Ele tem essas cicatrizes desde a infância e foram feitas durante a cerimônia de batismo (dar nome) quando ele tinha apenas oito dias de idade enquanto o mulá (líder religioso) lia o Alcorão. Rituais como a cerimônia de batismo (dar nome) marcam e disciplinam a vida numa vila canuri. Nascimento nome casamento morte e sepultamento todos os eventos têm suas cerimônias. Feriados tradicionais e islâmicos marcam o ano e dão significado e estrutura à vida.

Pai ficamos maravilhados com os milhares de culturas ricas criadas por Sua mão. Que a cultura canuri seja remida por Sua Graça e para Sua Glória!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

ENVOLVIDO OU COMPROMETIDO?

Só há 3 coisas que uma pessoa pode fazer: FUGIR, FICAR OLHANDO OU FAZER ALGO.

Um general norte americano Norman, que atuou na guerra do golfo, explicou a diferença entre os dois principais ingredientes do típico café da manhã americano: O BACON E OS OVOS.

A galinha deu os ovos e envolveu-se, mas o porco se comprometeu, pois deu o bacon;
Uma estória ainda diz, que certa vez, a galinha resolveu dar uma festa, e chamou o porco, o porco então disse a galinha:

- Você tudo bem! Sempre pode estar contribuindo, pois vai se envolver, agora eu estou me comprometendo de uma vez por todas com a minha vida!

Neemias 4:19b diz: “a obra é grande e extensa, e nós estamos separados uns dos outros ao longo do muro”.

Você já parou para pensar que:

• Há 24.000 povos no mundo dos quais 8.000 precisam ser alcançados.
• 85.000 pessoas morrem diariamente sem o conhecimento de cristo.
• Há 7.148 línguas no mundo e 4.125 delas não tem nenhuma parte da bíblia traduzida.

O que temos como igreja brasileira:

• Somos a terceira maior do mundo, mas precisamos de 100.000 crentes para sustentar um missionário na janela 10-40.

• Somos aproximadamente 35 milhões de evangélicos e temos enviado apenas 400 missionários para os não-alcançados.

• O numero de missionários que temos enviado constitui apenas 0,001% de nossos cristãos. Eis ai à distância entre o que precisa ser feito e o que nós temos para dar.

No Brasil temos aproximadamente 170.000 templos evangélicos: o que aconteceria se cada igreja enviasse e sustentasse apenas um missionário?

Investimos anualmente apenas 1,30 r$ por pessoa para missão transcultural;

Onde as igrejas têm gastado o seu dinheiro?

- 95% em atividades domésticas.

- 4,5% em missões no Brasil.

- 0,5% aos povos não alcançados.

E você, aonde vai entrar nessa história, como o que se envolve ou como o que ira se comprometer?

Só há 3 coisas que uma pessoa pode fazer: FUGIR, FICAR OLHANDO OU FAZER ALGO.

Faça algo, se envolva contribuindo com missões, ou se comprometa indo até aqueles que nunca ouviram falar de Jesus, não fique separado de min ao outro lado do muro.


terça-feira, 26 de outubro de 2010

VIDA DEVOCIONAL NO CAMPO MISSIONÁRIO


Elias e Fokjelina Medeiros


Duas expressões que precisam de clarificação: vida devocional e campo missionário. Vida devocional significa uma vida de devoção a alguém, algo, ou alguma causa. No nosso caso me refiro a vida de devoção ao Senhor da seara e dos ceifeiros (Mateus 9:37-38).11. Tal devoção inclue, como parte essencial, fundamental, e inegociável, o meditar diário na Palavra do Senhor a Quem servimos e conversa (oração) com este Senhor para Quem trabalhamos.


“Campo missionário” segundo o ensino das Escrituras é o mundo, todas as famílias da terra (Genesis 12:3), todas as nações (incluindo as nossa nação -caracterizada por cultura e língua distinta ), todos os povos, todas as línguas. Jesus disse que “o campo é o mundo” (Mateus 13:38).


O que caracteriza um campo como missionário não é a presença de um “missionário” mas a existencia dos perdidos. Portanto, o Brasil é campo missionário para os crentes no Senhor Jesus (quer brasileiros ou “estrangeiros”) trabalhando entre o povo ou entre outras etnias nas terras dos brasis. Da mesma forma os Estados Unidos é campo missionário para qualquer crente no Senhor Jesus, tanto americanos e “estrangeiros” que vivem e trabalham com o objetivo de alcançar os perdidos, plantar igrejas, e edificar o povo do Senhor nos EUA.


Portanto, o que determina um campo como “missionário” é a presença de pessoas não-salvas, não-alcançadas (ou não-alcançáveis ainda).

A vida devocional no campo “missionário” é o exercício espiritual diário durante o qual nos alimentamos pessoalmente da Palavra de Deus e conversamos com o nosso Pai que está nos Céus (Mateus 6:9). Tal exercício em nossa experiência pessoal tem sido o fator decisivo no nosso crescimento e ministérios-crescimento na Graça, no conhecimento, e no gôzo do Senhor, envolvimento ativo na evangelizaçã/discipulado/edificação da igreja,(pregação e ensino a nível de pós-graduação do Elias, dedicação ao lar, estudos bíblicos, preparação para o ministerio para senhoras, da Fokjelina, relacionamento entre nós como marido e mulher, filhos, e netos, administração do lar, das finanças, e do tempo. “Quando orares, entra no teu quarto [todo servo do Senhor precisa de um tempo e lugar assim] e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê [e ouve] em secreto, te recompensará” (Mateus 6:6).

Estes 35 anos de ministério pastoral/missional na obra do Senhor foi gerada e é sustentada através do nosso tempo diário com Deus na meditação da Sua Palavra e oração. Elias sempre diz para os alunos: “Espero que o púlpito ou o campo nunca seja a motivação para vocês estudarem a Palavra.


Oro que o estudo e meditação séria e diária da, e na, Palavra de Deus os motive diariamente a pregar e a continuar ministrando no campo.” Afinal, quando estudamos Mateus 28:18-20 percebemos que a primeira ênfase apresentada não é a comissão de “fazer discípulos de todas as nações.”


A primeira ênfase é no comissionador: “Toda autoridade me foi dada nos céus e na terra.” Antes de enviar os Seus discípulos, Jesus Os chamou para Si. Portanto, antes de partirmos para a obra do Senhor, precisamos viver em intimidade com o Senhor.


Antes de ensinar todas as cousas que o Senhor ordenou, precisamos conhecer (conhecimento e obediência = experiência) o Senhor e o que Ele ordenou. Lembremo-nos de Esdras:


“pois, no primeiro dia do primeiro mês, [Esdras] partiu da Babilônia e, no primeiro dia do quinto mês, chegou a Jerusalém, segundo a boa mão do seu Deus sobre ele. 10 Porque Esdras tinha disposto o coração para buscar a Lei do SENHOR, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos” (Esdras 7:9-10).

Progresso ministérial e “devocional” estão produndamente interligados.

Estes princípios têm nos sustentado no decorrer de nossa pergrinação desde o tempo que trabalhamos com evangelização e plantação de igrejas na região amazônica, plantação de igrejas urbanas na região do nordeste, deão acadêmico e professor do Centro Evangélico de Missões, e, agora ministrando nos Estados Unidos durante os últimos 20 anos. O Elias acabou de enviar um relatório ao seu Presbitério na Paraiba. Deixe-nos compartilhar a conclusão deste relatório onde ele ressalta


“Alguns detalhes importantes para vida ministerial pessoal e trabalho pastoral.” Aqui seguem uma lista destes “detalhes.”

A leitura e meditação diária das Escrituras tem sido a maior fonte de renovação e alegria espiritual durante meus anos de ministério. Tenho, pela graça sustentadora de Deus, conseguido ler toda a Bíblia, pelo menos uma vez por ano.


Tal disciplina espiritual tem me ensinado muito sobre como orar, como pregar, como lutar espiritualmente, e, especialmente, como compartilhar o evangelho com os não-crentes e como compartilhar as lições aprendidas e experimentadas com membros do corpo de Cristo. Tais oportunidades têm se apresentado quase diariamente no meu ministério.

Tenho dedicado tempo, pelo menos duas vezes por semana, para orar e dirigir/participar de um estudo bíblico com um grupo de estudantes do Reformed Theological Seminary. Reuno-me com aproximadamente 10 estudantes semanalmente (geralmente das 12:00 s 13:00 hrs) para lermos juntos livros completos das Escrituras.


Alguns destes livros tem demorado, às vezes, mais de dois semestres para terminarmos a leitura, comentários, e aplicações do livro. Lemos juntos versículo por versículo com a participação de todos. Esta tem sido outra grande fonte de renovação ministerial. O Senhor tem aberto muitas portas para aprender dos estudantes como, também, para ensinar.


Outra fonte de bênção para meu crescimento espiritual tem sido um tempo diário para leitura da Palavra e oração com minha esposa. Deus tem nos dado oportunidade agora (os filhos estão todos casados e morando em suas próprias casas) para dedicarmos mais tempo em oração, e leitura das Escrituras, como casal. Fazemos isto, pelo menos duas vezes por dia.


Aproveitamos tais momentos para compartilharmos juntos o que aprendemos do texto Sagrado, orarmos pelos filhos, netos, familiares, amigos, e necessidades outras.


Continuo, pela misericórdia do Senhor e motivação das Escrituras, lendo muito, mas tenho procurado gastar mais tempo na leitura, meditação, e compartilhamento das Sagradas Escrituras. Um dos problemas no ministério tem a ver com o fato de passarmos mais tempo lendo aquilo que outros escreveram sobre as Escrituras em vez de dedicarmos mais tempo sobre o texto Sagrado.


Recomendaria aos membros do Presbitério que formassem pequenos grupos (de 3 ou 4 pastores/presbíteros) para leitura e meditação semanal das Escrituras.


Escolham um livro da Bíblia para lerem juntos.


Separem um dia, uma hora e um local (casa, escritório, restaurante, café, etc) durante a semana para se encontrarem.


Tragam as suas Bíblias, papel e lápis. Comecem a ler versículo por versículo de uma forma compassada.


Dêem oportunidade para cada membro do grupo fazer algum comentário sobre o versículo (pergunta, observação, exemplo, aplicação, etc).


Orem uns pelos outros, por suas igrejas, e pelo trabalho do Senhor em outros lugares do mundo.


Os irmãos que estão em cidades distantes podem começar algo semelhante com alguns líderes das suas igrejas/congregações.

Que o Senhor nos abençõe e nos ajude a crescer na Graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo. Ouçamos o apóstolo: “Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto” (1 Timóteo 4:15).


Seus irmãos de peregrinação,

domingo, 24 de outubro de 2010

POVOS NÃO ALCANÇADOS

Kmer
Origem: Camboja
Religião: Budismo Ateísmo

Imagine-se um adolescente kmer no Camboja. A destruição da guerra genocídio e pobreza dizimaram a geração mais velha. Você e seus amigos constituem mais de metade da população do país. As idéias comunistas ainda permanecem no sistema educacional e assim você aprendeu muito pouco sobre Deus ou sobre a religiãio nacional do Camboja o budismo. No começo da década de 1990 foi restaurado um pouco de democracia e liberdade trazendo nova esperança ao seu país. Porém a liberdade abriu a porta para um comércio crescente de drogas. O Camboja tornou-se centro de distribuição das máfias de drogas chinesas muitas vezes com a colaboração de oficiais do governo. Apesar dos seus efeitos destruidores as drogas são tentadoras por suas falsas promessas de euforia e prosperidade.

Outro problema sério e crescente é a prostituição infantil. O alastramento alarmante de doenças entre prostitutas aumenta a demanda para mais prostitutas. Meninas novinhas são freqüentemente raptadas vendidas e finalmente escravizadas no comércio da carne. A imoralidade presente na cultura kmer vem desde às práticas religiosas dos reis kmer nos séculos 12 a 15 que conforme a tradição acreditavam fortalecer-se tendo relações com maus espíritos. Os jovens kmer são constantemente bombardeados com imagens sedutoras nos meios de comunicação e pressão dos colegas. Se isso não bastasse os kmer rouge (kmer vermelhos) que mataram milhões nos anos 70 continuam a ameaçar o governo democrático frágil e corrupto.

Mas existe esperança. Desde o colapso do comunismo a liberdade de religião foi restaurada. A prática aberta do budismo voltou e há interesse crescente entre os jovens do país.

Sua alma também tem fome mas as tradições do budismo parecem temerosas ritualistas e supersticiosas. Recentemente você foi com um amigo assistir o Filme Jesus e agora tem curiosidade sobre essa estranha religião. Quem é esse homem: Jesus?

Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Mateus 11:28 Ore para que grande número de jovens da presente geração kmer se convertam a Cristo
Ore pela igreja Kmer. Menos de um por cento do povo kmer é de crentes evangélicos. Os jovens crentes sofrem por falta de prosseguimento e treinamento para liderança e pela desunião entre os cristãos. Ore para que o perdão e a reconciliação prevaleçam ali.
Ore para combater o surto de vícios de drogas e imoralidade sexual que se alastra na cultura especialmente entre a geração jovem.
Ore para que a luz do Evangelho brilhe nas sombras espirituais da cultura kmer. O medo associado à presença de templos em toda a parte e o ódio de 20 anos de guerra têm que ser subsituídos pelo amor.








DELÍCIAS DE MORCEGOS DO CAMBODJA




PLANTANDO ARROZ



Bouiei
Origem: China Burma
Religião: Animismo

Quando se visita um lar bouiei vê-se encantamentos escritos em papel fino flutuando sobre as janelas. Acima da porta há um espelho para refletir e espantar os demônios. Atravessando a sala há cinco altares aos deuses do céu terra ancestrais país e educação. Com uma população entre dois e três milhões de pessoas os bouiei estão entre um dos maiores grupos minoritários da China. A maior concentração de bouiei vive na planície Iunan do sudoeste da China. A maioria são agricultores. Alguns bouiei são crentes mas a maioria nunca ouviu falar de Cristo.

Senhor da seara mobiliza a igreja crescente entre os vizinhos hmongue para que se estendam transculturalmente até os bouiei não-alcançados.















Laos
Origem: Laos Camboja Vietnã
Religião: Budismo Animismo

Uma pequena jangada de madeira coberta de velas é carinhosamente empurrada para o Rio Mecongue. Hesita por um instante depois pega a corrente e acompanha muitas jangadas iguais que viajam pelas águas barrentas. Essa jangada “bode expiatório” leva embora a culpa e os problemas do ano que passou. Diferente de outros países comunistas asiáticos o Laos permanece dedicado ao budismo. No Laos ao contrário do Vietnã e da China os monges são vistos por toda a parte. O povo lao mistura seu budismo com o animismo praticando feitiçaria e protegendo-se dos maus espíritos. Procuram méritos pelo bom comportamento sacrifícios rituais reverência de imagens religiosas e ofertas aos monges. Menos de um por cento do povo de Laos é cristão.

Cordeiro de Deus dá aos crentes e missionários do Laos sabedoria espiritual e percepção cultural para que empreguem analogias como a “jangada bode expiatório” a fim de comunicar o Evangelho ao povo lao.












Li
Origem: China
Religião: Animismo

Na costa sul da China fica a grande Ilha de Hainã lar de mais de um milhão de pessoas li. Por gerações os chineses consideram Hainã como atrasada e indesejada. Quando o ex-primeiro ministro da China Li Deiu foi exilado para Hainaã durante a dinastia Tangue (618-907 a.D.) descreveu a região como “a porta do inferno”. Na última década porém oficiais locais têm se esforçado para transformar a ilha num lugar exótico de turismo. Historicamente o povo li praticava o animismo procurando xamãs bruxos e sacrifícios de animais. Recentemente os li abandonaram essa cultura tradicional para abraçar a modernidade. Trajes tradicionais são guardados a não ser para quando se fazem apresentações aos turistas e nas cerimônias fúnebres. Existem algumas pequenas igrejas entre os li mas a maioria desse povo nunca ouviu nada sobre Jesus Cristo.

Senhor toca os corações de turistas chineses crentes que visitam Hainã para que voltem e evangelizem os li.









sábado, 23 de outubro de 2010

POVOS NÃO ALCANÇADOS DA INDONÉSIA

Sundaneses
Origem: Java Ocidental Indonésia
Religião: Islamismo


“Creio que podemos conquistar os sundanese” disse Hamid um líder muçulmano do século 16. Ele estava certo. Missionários muçulmanos converteram muitos sundanese comunicando os ensinamentos do islamismo de modo culturalmente relevante. Hoje quase todos os sundanese são muçulmanos e estão entre os mais fervorosos da Indonésia. Menos de um décimo de um por cento são cristãos. Os 31 milhões de sundanese são considerados hoje um dos maiores grupos de povos não alcançados do mundo.

Os mercadores holandeses que foram à Indonésia diziam ser cristãos mas colocavam maior ênfase no comércio e nos lucros do que em compartilhar o Evangelho. Alguns chegavam a impedir o trabalho missionário a fim de preservar a paz e o comércio. O islamismo tornou-se ponto de partida enquanto os muçulmanos lutaram para se livrar da influência desses brancos provenientes de terras estrangeiras.

Missionários cristãos de tempos atrás trabalharam com fidelidade entre os sundaneses mas não prestaram atenção à sua cultura. Isso fez com que os sundaneses vissem o Evangelho como europeu e os convertidos ao cristianismo como pessoas que rejeitavam os costumes sundaneses.

Conquanto os sundanese sejam muçulmanos sua religião é temperada por rituais animistas budistas e hindus passados de uma geração a outra. Cerimônias especiais marcam o nascimento de um filho seus primeiros passos circuncisão casamento e sepultamento. Esses rituais falam também da vida do além. Os sundaneses respeitam os poderes dos mortos e prestam homenagens a espectadores invisíveis. Assombrados por espíritos das árvores ou dos túmulos apelam aos ancestrais por ajuda e intercessão nas horas de dificuldades...





Todas as nações que fizeste virão e se prostrarão perante a tua face ó Senhor; glorificarão o teu nome. Salmo 86:9

Ore para que Deus quebre as correntes do islamismo sobre as mentes do povo e que mais líderes muçulmanos se submetam a Deus através de Seu filho Jesus.

Ore para que o Senhor da Ceifa envie mais ceifeiros para evangelizar e plantar igrejas de modo culturalmente sensível entre os sudanese.

Embora a Indonésia seja predominantemente muçulmana o governo protege oficialmente a liberdade religiosa. Ore para que as autoridades não cedam às pressões dos muçulmanos para impedir a propagação do Evangelho.

A Java ocidental tem grandes centros urbanos mas cerca de 80 por cento da população mora nos vilarejos. Ore pela rápida difusão do Evangelho nas áreas rurais.

Louve a Deus pelo testemunho de uma revista cristã entre os sundanese uma de poucas revistas de qualquer espécie disponíveis na língua sundanesa. Ore pela impressão e distribuição de mais Bíblias e outras literaturas cristãs nesta língua.





Madurese
Origem: Java Oriental Indonésia
Religião: Islamismo

Como um dos quatro maiores grupos de povos nesta nação muçulmana os 12 milhões de madurese são chave para estabelecer o reino de Deus no sudeste asiático. A maioria dos madurese migrou para a parte oriental da Iilha de Java à procura de uma vida mais próspera. Os que permanecem na Ilha de Madura protegem seu modo tradicional de vida da modernidade e do secularismo. Outros indonésios dizem “Se um madurese for seu inimigo você está com problemas mas se o madurese for seu amigo ele é amigo para toda a vida”. Quase 100 por cento dos madurese são muçulmanos. Muitos moram em pequenos vilarejos onde são extremamente leais aos uluma líderes religiosos com poderes místicos. Os poucos madurese que aceitaram a Cristo têm que buscar refúgio para não serem atacados por membros irados de suas famílias Porém há relatos recentes de que jovens madurese estão agora mais dispostos que nunca de ouvir o Evangelho.

Pai pedimos que teu Santo Espírito conduza muitos desses jovens a clamar por Jesus como Salvador e Senhor






Balinese
Origem: Bali Indonésia
Religião: Hinduísmo

Bali é uma ilha hindu na nação predominantemente muçulmana da Indonésia. Resplandescente de belezas naturais a ilha atrai mais de um milhão de turistas por ano. Milhares de ocidentais enchem a praia Kuta de Bali mas jamais se adentram na ilha para encontrar a alma de Bali à sombra de sua montanha sagrada. A cultura balinesa é ligada por um forte senso de responsabilidade coletiva em volta de rituais complicados. Sob a folhagem de esmeraldas e flores tropicais coloridas os balinese se entregam aos deuses e aos ancestrais através de cerimônias belíssimas mas demoníacas. É difícil para um balinse seguir a Jesus por causa do ostracismo e da perseguição que isso causaria. Menos de um por cento dos 3.8 milhões de balineses são cristãos. A Bíblia toda foi publicada em balinês em 1990.

Senhor da criação oramos para que o Senhor redima a riqueza e criatividade da cultura balinesa e a utilize para trazer a glória ao nome do Senhor.





Sasaque
Origem: Lomboque Indonesia
Religião: Islamismo Animismo

A sociedade sasaque gira em torno da religião ou melhor das religiões.Os sasaque foram afetados pelo islamismo hinduísmo e uma religião animista singular chamada Uequetu Tulu que é praticada apenas na Ilha Lomboque lar dos sasaque. Um grupo denominado de sasaque uequetu lima adere às crenças mais ortodoxas e aos rituais do islamismo. Lima significa “cinco” e se refere aos cinco pilares do islamismo seguidos pelos seus crentes. Em contraste os sasaque uequetu telu só guardam o primeiro mandamento do islamismo: a crença em Alá e no seu profeta Maomé. Eles rezam em sua própria língua e sempre que querem compõe suas orações no coração. Em vez de edificar mesquitas eles escolhem cantos de oração ou pequenas salas olhando para Meca em todos os seus edifícios públicos. Diferentes dos ortodoxos os sasaque uequetu telu comem carne de porco considerando que tudo que venha de Alá é bom.

Deus dos sasaque revele o Filho aos sasaque de maneira poderosa para que eles o adorem em espírito e em verdade.