"“Muitos crentes consagrados jamais atingiram os campos missionários com seus próprios pés mas poderão alcança-los com seus joelhos” (Adoniran Judson)”"

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PROBLEMAS NO CAMPO MISSIONÁRIO

Problemas no campo

Problemas sempre virão no campo, precisamos ser dóceis para resolvê-los


Gn.12,10: “E havia fome naquela terra e desceu Abrão ao Egito para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra.”

Abraão passou por situações delicadas como família, você pode imaginar-se no lugar dele, tendo uma família para cuidar, esposa e parentes, fora os animais e serventes que acompanharam. Quando Deus chamou Abraão, talvez ele não imaginava o desafio que teria pela frente. Quando Deus nos chama e respondemos “sim” devemos nos preparar para os desafios que virão, pois satanás com certeza irá atacar e preparar ciladas e situações para nos desanimar e nos fazer olhar para trás.
Quando deixamos o Brasil no dia 03 de dezembro de 1993 rumo a Inglaterra para estudarmos Inglês não imaginávamos que passaríamos por tantas provas e dificuldades. Naquela época o Brasil passava por sua maior crise financeira na história com uma inflação gigantesca que chegava a quase 43% ao mês e com a desvalorização da nossa moeda era uma “loucura” sair do país para estudar inglês na Europa. Encaramos o desafio e demos um passo de fé.
No primeiro mês percebemos os problemas chegando, pois algumas igrejas que haviam prometido nos ajudar financeiramente falharam e ficamos em uma situação muito delicada com duas filhas pequenas e com contas para pagar, é lamentável que algumas igrejas brasileiras ainda estão tão imaturas no que tange `a fazer missões transculturais e interdenominacionais, pois muitas enviam e não sustentam espiritualizando o chamado missionário com o jargão de que se somos missionários e fazemos missões dizem que vivemos por fé… É verdade que nossa confiança está em Deus, mas é a obrigação da igreja local que uma fez feito o compromisso cumpra e honre coma palavra, pois missionário precisa do pão na mesa, precisa de vestir e de férias também.
Muitas igrejas “tiram o corpo for a” e deixam o missionário a mercê do milagre. Vemos isto como tentar a Deus! Apesar dos erros de algumas igrejas, louvamos ao Senhor, pois DEUS NUNCA FALHA e é provedor, todos estes anos vivendo no campo missionário, nunca nos faltou nada! É lamentável que muitas igrejas omitem e não cumprem sua missão de não só enviar, mas sustentar, apoiar e pastorear. Muitas igreja lançam o missionário no campo e se esquecem dele. Lembro-me de que um dia tínhamos que pagar o aluguel e não tinhamos o valor necessário, deveria pagar o aluguel no outro dia ou sair da casa, então naquela noite fui em uma igreja para orar e depois da reunião de oração um senhor inglês me chamou e perguntou, você é missionário? Quando respondi que sim, ele me convidou para entrar em seu carro e me levou até um banco 24 horas onde sacou uma quantia de dinheiro e colocou em minhas mãos, para minha surpresa era o valor exato para pagar o nosso aluguel, fiquei sem saber o que dizer, mas partilhei com este irmão que estava necessitando de provisão para pagar o aluguel e com isso, a fé dele foi edificada como a minha também. Talvez você ao ler isto possa maravilhar-se e honestamente nós nos alegramos e regozijamos em Deus com você, mas achamos que isto não seria necessário acontecer, se as igreja que enviam fossem fiéis. Muitas vezes jogamos a
responsabilidade para Deus, enquanto somos nós quem temos que fazer o trabalho, é por isto que o mundo ainda não foi todo evangelizado e o islamismo toma conta do planeta e outras religiões e seitas invadem vários países. Abrão enfrenta a fome mas Deus o sustenta. A diferença aqui, foi que nenhuma igreja ou corpo eclesiástico fez compromisso com Abrão e Ele viu de perto a provisão de Deus em todos os sentidos e como o Senhor o conduziu.
A igreja tem que entender que quando envia um casal para o campo, esta família talvez terá problemas, pois algo que no país de origem parece ser um problema pequeno, fora do nosso país pode ser um gigante! No Brasil usa-se muito o “jeitinho” para resolver as coisas, mas fora do Brasil não há o “jeitinho”, ou você é ou não é, ou tem ou não tem, já vimos vários missionários com problemas financeiros vivendo no campo transcultural e isto é uma VERGONHA para a igreja brasileira! É tempo de colocarmos os pés no chão e sermos coerentes ao enviarmos alguém para o campo, não se brinca com família, com crianças e com a obra de Deus.
Outro problema que a família enfrenta é a língua, outra cultura, costumes é como nascer de novo, você se torna como um bebê, pois dependendo do país onde você vai terá que aprender tudo outra vez, como comprar, o que comprar, como usar o transporte público. Há paises onde somente os homens podem sair e a mulher fica em casa a maioria do tempo, na igreja por exemplo, há igrejas onde a mulher não pode fazer nada, e isto pode ser muito frustrante, pois você que é mulher mãe de filhos ou casal sem filhos deixou o país para pregar, ganhar almas, evangelizar e em alguns paises você não será permitido fazer isto e terá que usar uma outra estratégia. Outro problema que o missionário pode enfrentar é o da higiene que pode ser
pessoal como da comunidade, por exemplo, paises onde não se usa papel higiênico, ou come-se com a mão, ou usa-se o banheiro ao ar livre… Este foi um dos problemas que enfrentamos na India como família, pois além de ser um problema higiênico também é moral(Segundo nossa cultura), pois homens urinam em público e em frente de qualquer um e para as mulheres isto é imoral e pode chegar até a ser um escândalo.
As crianças, filhos de missionários também enfrentam problemas e choques culturais. A escola pode ser um grande problema para a família. Passamos por uma experiência dessas com Keren nossa filha mais velha que estudou em escola local Indiana por 03 anos e teve muitos problemas, devido a maneira de ensinar e a mentalidade local. Naquela época (1994) morávamos em Allahabad (cidade “santa” hindu que traduzida significa: Cidade de Aláh) onde passa o rio Ganges, Permanecemos nesta cidade por três anos e Keren estudava numa das melhores escolas para meninas, com mais de 5.000 alunas, somente na classe de Keren haviam 75 alunas e uma professora gritando e com uma vara em uma das mãos, um dia Keren perguntou algo para a professora sobre a matéria que não havia entendido e a professora lhe deu um tapa na cara… como você reagiria como pai ou mãe? Quem vai ao campo como família tem que pensar na educação dos filhos e principalmente no português, pois se você não alfabetizar os seus filhos eles não irão aprender o Português e poderão ter grandes problemas no futuro. Louvamos a Deus, pois nossas filhas, sabem ler, escrever e falar português fluentemente, Rosane foi ótima professora e alfabetizou as duas filhas que hoje falam mais de 05 idiomas. Vemos famílias que não dão
prioridade para os filhos e os mesmos crescem odiando missões e a obra de Deus e conhecemos alguns que condenam ao Senhor por chamar seus pais ao campo missionário, pois não se preocupam com a educação dos filhos que crescem com problemas e conflitos.
Não se esqueça que a igreja começa em casa, a família é prioridade, e quem não cuida dos seus como diz a palavra, é PIOR QUE UM INFIEL! (1Tm.5,8)”Mas se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família negou a fe e é pior do que o infiel! Você quer saber como nós reagimos quando a professora bateu na cara da Keren, não fizemos nada, pois iria piorar a situação, oramos e no ano seguinte, Deus abriu as portas para nossas filhas estudarem na escola francesa em Nova Delhi, uma provisão de Deus que até hoje ficamos perplexos quando pensamos nisto.
Um conselho aos que se preparam para saírem ao campo transcultural: Antes de você sair do Brasil, leve livros de gramática da língua portuguesa, história do Brasil e geografia do Brasil, pois seus filhos precisam saber sobre seu país de origem para que saibam de onde vieram e suas raízes.
O fator saúde: É um fator importante no campo, pois você gasta muito mais energia vivendo fora do Brasil do que dentro.
Só de você falar uma outra língua você já gasta mais energia e sua mente cansa mais rápido. Outra coisa que as vezes acontece pode ser a poluição da cidade; se você vai morar e trabalhar em grandes centros como Cairo ou Nova Delhi onde e a poluição é imensa, vai ter que cuidar mais de sua saúde. Você notará que não tem a mesma energia vivendo em outro país que não seja o seu, pois as pressões são maiores e o desgaste emocional também. Na Índia, muitas vezes nos cansávamos de fazer muito pouco, especialmente no verão onde o calor no norte chega a 49 graus e isto ajuntando a poluição é quase que uma tortura… então é necessário “cuca fresca”, senão você começa a cobrar de si mesmo e um sentimento de culpa enorme pode vir sobre sua vida, pois geralmente no Brasil onde
vivemos em nossa cultura e costumes, produzimos mais e nos cansamos menos. Quando você sentir cansaço, pare e descanse, se sentir sono, pare e durma, fazendo assim você irá produzir muito mais no campo. Lembre-se de que Deus não quer te ver enfermo, mas saudável, que Deus não está preocupado com aquilo que você faz para Ele, mas por aquilo que você é e será isto o que irá impactar outras pessoas, quando elas virem Cristo em você.

Nenhum comentário: